Picasso foi acusado de roubar Mona Lisa (e mentiu em tribunal)

Em 1911, a Mona Lisa foi roubada no Museu do Louvre. Era segunda-feira – o museu estava fechado e a segurança era mínima – e o ladrão teria passado o fim de semana a planear o assalto, escondido num armário do museu.

Na época, a segurança no Louvre era péssima. Havia menos de 150 seguranças encarregados de guardar 250 mil artefactos, e nenhuma das pinturas estava pregada nas paredes. De acordo com o Artsy, “meses antes do assalto, um repórter francês passou a noite num sarcófago do Louvre para expor a insignificante vigilância do museu”.

Após o desaparecimento da pintura, as fronteiras da França foram fechadas, com as autoridades a examinar todos os veículos que cruzavam a fronteira este do país. A cobertura dos media espalhou-se pelo mundo, transformando a pintura pouco conhecida num nome familiar.

O Paris-Journal ofereceu 50 mil francos pelo retorno da pintura. Surgiu, então, uma dica sobre um ladrão de arte que fez com que a polícia voltasse a sua atenção para um dos jovens artistas mais promissores do país: Pablo Picasso.

Picasso, que se mudara para Paris uma década antes, vivia com um grupo de boémios chamado de “bande de Picasso”. Entre eles, estava o poeta e escritor Guillaume Apollinaire, cujo ex-secretário era Joseph Géry Pieret, um homem belga de moral questionável.

Pouco depois de a Mona Lisa ter sido roubada, Pieret – atraído pela possibilidade de receber uma recompensa em dinheiro – entrou no escritório do jornal Paris-Journal e alegou que já tinha levado obras de arte do Louvre e as entregara a “amigos”.

E era verdade. Em 1907, Pieret tiha roubado pelo menos duas esculturas ibéricas feitas no século III ou IV a.C e vendeu-as a Picasso, que lhe pagou 50 francos por peça. Além disso, Pieret também roubou uma peça semelhante do Louvre em 1911 e colocou-a na lareira da casa de Apollinaire.

A polícia leu sobre as façanhas de Pieret com grande interesse. As autoridades acreditavam que as pessoas que possuíam estas esculturas poderiam também ter a Mona Lisa – e não foi difícil descobrir quem eram os amigos do ladrão.

Percebendo que estavam em apuros, Picasso e Apollinaire empacotaram as esculturas ibéricas e fugiram no meio da noite com um plano: deitar as obras de arte no rio Sena. Mas quando os dois artistas chegaram à água, não conseguiram.

Em vez disso, Apollinaire visitou o Paris-Journal na manhã seguinte, onde deixou as estátuas e exigiu que o jornal lhe desse anonimato. O jornal concordou até as autoridades entrarem em cena.

Dias depois da visita de Apollinaire ao jornal, a polícia deteve-o. No início de setembro, Picasso foi condenado a comparecer perante um magistrado. Quando lhe perguntaram se conhecia Apollinaire, o pintor mentiu. “Nunca vi este homem”, respondeu ele.

Recordando os acontecimentos, Picasso disse: “Eu vi a expressão de Guillaume alterada. O sangue desapareceu de seu rosto. Ainda estou envergonhado”. Enquanto o processo continuava, Picasso chorou.

Embora ambos os homens tivessem realmente arte roubada, o juiz determinou que a situação não tinha nada a ver com o desaparecimento do quadro da Mona Lisa e decidiu deixar o caso.

Dois anos depois, os dois homens seriam ilibados do crime, quando a polícia descobriu que a pintura tinha sido roubada por Vincenzo Peruggia, um artista italiano que trabalhava no Louvre.

PARTILHAR

RESPONDER

A brilhante estrela Betelgeuse continua a "apagar-se" sem qualquer explicação

Betelgeuse, a nona estrela mais brilhante do céu, continua a escurecer num fenómeno para o qual os astrónomos não conseguiram ainda encontrar uma explicação científica, revela uma nova investigação.  A estrela, uma super-gigante vermelha pertencente à …

Vai ser possível ver auroras boreais a partir de um balão de ar quente

A agência Off The Map Travel vai lançar em dezembro de 2020 o primeiro balão de ar quente. O objetivo é levá-lo a ver auroras boreais do céu. As auroras boreais são já um verdadeiro espetáculo …

Nova tecnologia militar aquece as mãos em temperaturas negativas sem luvas

Cientistas do exército norte-americano criaram uma tecnologia capaz de aquecer as mãos dos soldados em baixas temperaturas sem serem necessárias luvas. Se completar uma tarefa do dia-a-dia com luvas pode revelar-se complicado, imagine-se tentar recarregar uma …

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …