Pedrógão: Funcionários acusam empresária de dever 250 mil euros

(cv) TVI24

A empresária Isabel Monteiro

A empresária que, depois de ir às aldeias atingidas pelos fogos, voltou para Lisboa, de onde é natural, com um registo de 73 mortes – contra os 64 oficiais das autoridades -, é acusada pelos ex funcionárias da empresa da qual era sócia gerente de dever 250 mil euros.

O caso não é de agora: em Setembro de 2013, cerca de 50 trabalhadores da Dialectus reclamaram salários em atraso junto à sede da empresa, em Linda-a-Velha, Lisboa. O CENA – Sindicato dos Músicos, dos Profissionais do Espetáculo e do Audiovisual referia na altura que a dívida ascendia a 250 mil euros.

Segundo a Sábado, fonte do sindicato CENA dizia que a Dialectus seria a quarta empresa de Isabel Monteiro nesta área, pelo menos, que “abre falência e que há processos judiciais referentes a empresas antigas pendentes há pelo menos 10 anos.”

Isabel Monteiro seria sócia gerente da empresa que fazia tradução, locução, legendagem e dobragem para televisão, cinema, home-vídeo e DVD para vários canais de cabo em Portugal. A empresária negou e referiu que estava a ser vítima de coação.

André Albuquerque, do sindicato, disse, citado pela Sábado, que ainda há processos em tribunal dessa altura, mas pouca esperança porque “não há património, a Dialectus entrou em insolvência. Muitos trabalhadores ficaram sem receber, especialmente os que estavam a recibos verdes, que era a maioria.”

André Albuquerque refere que Isabel Monteiro tinha simultaneamente várias empresas do mesmo género da Dialectus e que havia trabalhadores a passar de umas empresas para as outras.

Isabel Monteiro não quis prestar declarações sobre a questão à revista: A empresária interrompeu sempre a chamada alegando que “outros colegas seus” – referindo-se aos jornalistas – estavam a tentar falar com ela e não era possível continuar a chamada. Posteriormente, pelas 21h35, deixou de atender o telefone.

“A culpa é da SIC”

Apesar de não querer prestar declarações, na sua página pessoal do Facebook, a empresária tem recebido muitos comentários de apoio e incentivo, mas também muitos outros a condená-la.

Quando confrontada com a situação de insolvência na rede social, a empresária tem respondido sempre com o mesmo texto: “Quis a vida que aquilo que em 2012 foi levado a cabo pelos corredores de um cliente/sócio maioritário/cliente, e cirurgicamente orquestrado, volte à praça pública num ato voluntário. Tudo o que, de forma igualmente cirúrgica, foi abafado, regressa como uma oportunidade de esclarecimento factual. Em 5 anos muita verdade vem ao de cima. O Karma é lixado.”

Além disso, a empresária faz-se acompanhar de uma notícia do Correio da Manhã que data de 2013 e que dá conta de que a Dialectus processou a SIC.

O artigo dá conta de que a SIC foi processada em 360 mil euros pela, agora falida, Dialectus, quando, de acordo com a empresa, a estação de televisão não cumpriu o contrato estabelecido depois de ter comprado em 2007, por 500 mil euros, a Dialectus e a ter vendido em 2009, por 540 mil.

De acordo com o advogado da empresa de tradução, quando Francisco Pinto Balsemão decidiu vender a empresa aos seus antigos donos, assinou um contrato de exclusividade por três anos, onde a Dialectus garantia a tradução e a legendagem de todos os canais da SIC.

No final de março de 2012, o contrato não foi renovado. De acordo com o advogado desta empresa, o acordo não foi respeitado e, por isso, é exigida a execução de uma cláusula, que previa o pagamento de 10 mil euros por cada mês em que existisse incumprimento. O contrato era de 36 meses e a Dialectus alega que este foi desrespeitado sempre.

O nome de Isabel Monteiro tem sido mais falado desde que a empresária alega ter registado um número de mortes (73) bastante superior ao das autoridades (64).

Depois de levantar o segredo de justiça e revelar os nomes das vítimas mortais do incêndio de Pedrógão, o Ministério Público lançou, na noite de terça-feira, um comunicado, no qual revela que, segundo a RTP, o Ministério Público inquiriu a testemunha que tem vindo a alegar publicamente ter confirmado 73 vítimas mortais, entre as quais 9 não sinalizadas pelas autoridades.

As autoridades referem ter encontrado “diversas imprecisões“, excluídas as quais houve “coincidência entre os nomes das vítimas mortais já identificadas no inquérito e os constantes da lista publicitada pela testemunha”.

“Da análise dos elementos recolhidos apurou-se haver diversas imprecisões quanto à identificação das pessoas indicadas na referida lista, bem como repetição de nomes em, pelo menos, 6 situações“, pode ler-se no comunicado da Procuradoria-Geral da República.

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. O que é que tudo isto tem a ver com as vítimas de Pedrogão, alguém me sabe explicar?
    Processos de justiça, que sejam entregues à justiça e tratados de forma adequada.
    Quadros de incompetência e de compadrios políticos que vitimizam o povo, que sejam corrigidos e os seus autores responsabilizados.

  2. Como a idade já não deixa “usar o corpo” para se fazer notar na praça pública usa-se matéria noticiosa para se fazer notar.
    Infelizmente quem morreu já não volta mas vamos deixar as famílias fazer o luto.
    Parece-me irrelevante à data de hoje se foram 64, 65, 74 ou mesmo 5 ou 10. O que agora é importante é analisarem-se causas e tomarem-se medidas de correção para que futuramente se evite situações semelhantes.

  3. Deixem-se de tretas. Esta senhora procura é o protagonismo, sendo que alguém da direita portuguesa lhe deve ter prometido qualquer coisa. O que move esta gente, a direita, é a não admissão de incompetência quando foram governo face aos resultados desta geringonça.

  4. Pois, parece que esta senhora é mestre em imprecisões.
    Ao que parece, esta senhora “enganou-se” redondamente no número de vítimas. Para vir para a praça pública, dizer o que disse sem ter a certeza absoluta, num caso de tão grande gravidade, dá para tirar algumas conclusões… não é difícil imaginar quem tem razão no caso de insolvência e dívidas aos trabalhadores…
    Trabalhar e enriquecer quando não se paga o que se deve é fácil… pois é tudo lucro…
    Tomara que a justiça neste caso seja tão grande quanto a lata desta pobre criatura…

  5. Quem mais alimentou tudo isto até se ter possivelmente chegado à especulação foi o próprio governo que se tem aparentemente mostrado desinteressado do que se passa à sua volta, são muito eficazes quando se trata de aproveitar as boas notícias mas muito esquivos quando algo corre mal.

  6. Quem alimentou tudo isto foi o PSD e CDS com o aproveitamento político da vida alheia e com o empolamento político das listas dos mortos. dando cobertura a empresárias que pelos vistos pouco ou nada honesta. O PSD desceu a um nível impensável de baixeza com estes dirigentes. Espero que Rui Rio avance para dar uma varredela a toda esta gentalha.

RESPONDER

Marisa Matias critica Centeno por “encabeçar ameaças” a Itália

A eurodeputada Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, disse a Mário Centeno, num debate no Parlamento Europeu, que é “desconcertante” vê-lo, enquanto presidente do Eurogrupo, a “encabeçar as ameaças” a Itália, questionando-o se não "há …

Moscovici quer voltar a "tweeetar" com Costa (mas deixa avisos)

O comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, diz que ficará "encantado" se o primeiro-ministro e seu "bom amigo" António Costa tiver o prazer de voltar a "tweetar". Isto para sublinhar que espera que Portugal …

Não há acordo. Greve dos enfermeiros começa quinta-feira e só acaba no fim do ano

Os enfermeiros mantêm a greve que começa na quinta-feira nos blocos operatórios de cinco hospitais, por falta de acordo com o Governo sobre a estrutura da carreira. A informação foi prestada à Lusa pelos presidentes da …

Próximas eleições portuguesas podem ser marcadas por fake news

A difusão de notícias falsas durante as eleições brasileiras atingiu níveis sem precedentes e o fenómeno chegou também a Portugal, onde se pode estar a preparar uma ação semelhante para as próximas eleições nacionais, alertou …

Proposta de Orçamento mostra um "profundo desconhecimento" do país

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, considerou esta terça-feira que a proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) mostra um "profundo desconhecimento" e está de "costas voltadas" para o país. "É um Orçamento que mostra …

Caso Khashoggi: Trump mantém-se ao lado da Arábia Saudita

Donald Trump emitiu um comunicado em que se pronunciou sobre o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, revelando que embora condene veemente o crime, a relação dos Estados Unidos é com Reino da Arábia Saudita, "parceiros …

Visita de João Lourenço pode deixar “irritante” entre Portugal e Angola para trás

A primeira viagem de Estado de João Lourenço a Portugal é uma demonstração de que Portugal e Angola "pretendem enterrar o irritante e avançar com os temas da cooperação direta", avança Jornal de Angola. No editorial …

Documento de 2014 previu colapso e aconselhava encerramento da estrada de Borba

Há novos dados que apontam que a tragédia da estrada de Borba, que desmoronou, provocando a morte de 2 pessoas e mais 3 desaparecidas, poderia ter sido evitada. Um memorando de 2014 já previa a …

Noiva adolescente leiloada no Facebook. Rede social só reparou depois do casamento

Uma jovem de 16 anos do Sudão do Sul foi leiloada para casamento no Facebook. Quando a rede social reparou, a jovem já tinha sido comprada e estava casada. De acordo com a organização pelos Direitos …

Défice português “desaparece” em 2020, mas é preciso mais

O défice público de Portugal deve cair para 0,2% do PIB em 2019, como prevê o Governo, e em 2020 deve “desaparecer”, transformando-se num excedente de 0,1% do PIB, defende a OCDE. A organização dos países …