Passos afinal já não vai apresentar o livro proibido de Saraiva

José Sena Goulão / Lusa

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, pediu a José António Saraiva para “o desobrigar” de estar presente no lançamento do seu livro “Eu e os políticos”, o que levou ao cancelamento da apresentação.

Em comunicado enviado esta terça-feira à noite à agência Lusa, a editora Gradiva afirma que o ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho “pediu ao autor, por motivos pessoais, para o desobrigar de estar presente na sessão de lançamento do livro”, prevista para dia 26, em Lisboa.

No fim de semana, Passos Coelho tinha insistido que não recuaria na decisão. “Não sou de voltar com a palavra atrás nem de dar o dito por não dito. Estarei a fazer a apresentação dessa obra”, afirmou no sábado, em Proença-a-Nova.

Ao jornal i, José António Saraiva afirma que “esta decisão foi absolutamente inesperada, mas acho compreensível. Metendo-me na pele de Pedro Passos Coelho, é de facto a atitude mais sensata.

A Gradiva afirma que “o livro tem sido objeto de uma polémica, por vezes excessivamente inflamada, nos media e nas redes sociais” e nesse sentido, José António Saraiva e “a editora consideram que o momento exige reflexão e que tudo farão para evitar o que possa contribuir para alimentar novas polémicas”.

“Por decisão conjunta do autor e da editora, a cerimónia foi cancelada“, lê-se no mesmo comunicado.

No livro, Saraiva descreve, segundo a editora Gradiva, “um conjunto de episódios polémicos, vividos na primeira pessoa, com diversos políticos e personalidades” portugueses, como Paulo Portas, Mário Soares, Marcelo Rebelo de Sousa, José Sócrates e Pedro Santana Lopes, assim como o atual primeiro-ministro, António Costa, incluindo pormenores mais íntimos e privados.

Leia o comunicado de José António Saraiva e da Gradiva:

1 – O Dr. Pedro Passos Coelho pediu ao autor, por motivos pessoais, para o desobrigar de estar presente na sessão de lançamento do livro “Eu e os Políticos – O que não pude (ou não quis) escrever até hoje”, de José António Saraiva, agendada para dia 26 de Setembro de 2016, às 18h30m, no El Corte Inglés de Lisboa.

2 – O livro tem sido objeto de uma polémica, por vezes excessivamente inflamada, nos media e nas redes sociais.

3 – Em conformidade, o autor e a editora consideram que o momento exige reflexão, e tudo farão para evitar o que possa contribuir para alimentar novas polémicas.

4 – Por decisão conjunta do autor e da editora, a cerimónia foi cancelada.

José António Saraiva e Gradiva Publicações

Passos “não gostaria de ficar associado a isso”

O líder do PSD afirmou que pediu a José António Saraiva para “o desobrigar” de apresentar o seu livro porque não querer ficar associado a uma discussão que mistura política e questões privadas e da intimidade das pessoas.

“Eu tenho defendido sempre que uma coisa é a política, outra coisa são as questões privadas e da intimidade das pessoas e não gostaria de ficar associado a isso, a uma discussão que pudesse misturar as duas coisas”, afirmou o presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas no final de uma visita a uma incubadora de empresas, no Taguspark, em Oeiras.

Admitindo que, em seu entender, o livro “Eu e os políticos” tem “um filtro” que não foi “devidamente aplicado”, Passos Coelho explicou que, como não gosta de faltar à sua palavra, pediu a José António Saraiva que o “desobrigasse” de um compromisso que com ele tinha assumido, numa altura em que não tinha ainda lido o livro e estava “guiado sobretudo pela admiração e respeito” que tem pelo autor.

Tive oportunidade de ler e, na sequência disso, pedi ao arquiteto José António Saraiva que me desobrigasse desse compromisso porque entendo que o respeito e admiração que tenho por ele também tenho por pessoas que vêm ali retratadas e que são retratadas em termos que não são estritamente políticos”, disse Passos Coelho.

O líder do PSD assegurou ainda que a sua decisão de pedir ao diretor do jornal Sol que o “desobrigasse” a apresentar o seu livro nada teve que ver com pressões do PSD, sublinhando que sempre disse que esta não era uma questão partidária.

“Era uma questão de natureza particular, que decidi particularmente”, vincou, acrescentando não ter tido qualquer manifestação de existir dentro do PSD algum mau estar.

“O que posso dizer é que se alguém se sentiu melindrado por isso não terá razão com certeza hoje para se melindrado, pelo menos comigo, na medida em que manifestamente me parece que era importante fazer essa separação de águas”, referiu.

Dando a questão como “ultrapassada”, Passos Coelho insistiu que José António Saraiva compreendeu a sua decisão e que isso o deixou “mais confortado” porque não gosta de faltar à sua palavra.

“Se ele não me desobrigasse teríamos uma situação, aí sim, mais constrangedora para mim. Mas, felizmente ele compreendeu muito bem a situação”, comentou.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Como já aqui disse, acho este individuo um “mestre da pirueta”.
    É inacreditavel como este individuo consegue, como tantas vezes fez, dizer hoje uma coisa e, um dia ou poucos dias depois, dizer exactamente o contrário. A sensação com que se fica é que muito “fraco de espirito” .

  2. Quanto a mim o senhor Passos andou mal e de que maneira ao aceitar tal convite, se fosse membro de um partido de esquerda até nada me surpreenderia, no entanto devo dizer que fiquei um pouco desiludido com a ação, agora voltou com a palavra atrás por imposição, aconselhá-lo-ia a mudar de partido mais à esquerda pois esta forma de estar na vida enquadra-se na perfeição num desses partidos, se pretende continuar à frente do PSD faça atenção pois terá que ser muito mais coerente para que não caia no carnaval politico e para que os outros não caiam no engano, tinha por dever ter já um pouco mais de calo nestas andanças!.

ADN revelou quem teve casos extraconjungais nos últimos 500 anos

Os cientistas revelaram que membros da sociedade tinham mais probabilidade de ter filhos fora do casamento ao estudar o ADN de pessoas da Europa ocidental nos últimos 500 anos. A densidade populacional do local onde uma …

O Ártico pode ficar sem gelo no verão de 2044

As mudanças climáticas provocadas pelo Homem estão muito perto de tornar o Ártico livre de gelo, já a partir do verão de 2044. Um artigo científico, publicado recentemente na Nature Climate Change por investigadores da Universidade …

Estamos sozinhos no Universo? Cientistas detalham que exoplanetas poderiam albergar vida

Através da modelagem climática, uma equipa de cientistas da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos, apontou que tipo de planetas têm maior probabilidade de serem habitáveis. A descoberta pode ajudar os astrónomos a selecionar áreas …

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …