Passos afinal já não vai apresentar o livro proibido de Saraiva

José Sena Goulão / Lusa

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, pediu a José António Saraiva para “o desobrigar” de estar presente no lançamento do seu livro “Eu e os políticos”, o que levou ao cancelamento da apresentação.

Em comunicado enviado esta terça-feira à noite à agência Lusa, a editora Gradiva afirma que o ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho “pediu ao autor, por motivos pessoais, para o desobrigar de estar presente na sessão de lançamento do livro”, prevista para dia 26, em Lisboa.

No fim de semana, Passos Coelho tinha insistido que não recuaria na decisão. “Não sou de voltar com a palavra atrás nem de dar o dito por não dito. Estarei a fazer a apresentação dessa obra”, afirmou no sábado, em Proença-a-Nova.

Ao jornal i, José António Saraiva afirma que “esta decisão foi absolutamente inesperada, mas acho compreensível. Metendo-me na pele de Pedro Passos Coelho, é de facto a atitude mais sensata.

A Gradiva afirma que “o livro tem sido objeto de uma polémica, por vezes excessivamente inflamada, nos media e nas redes sociais” e nesse sentido, José António Saraiva e “a editora consideram que o momento exige reflexão e que tudo farão para evitar o que possa contribuir para alimentar novas polémicas”.

“Por decisão conjunta do autor e da editora, a cerimónia foi cancelada“, lê-se no mesmo comunicado.

No livro, Saraiva descreve, segundo a editora Gradiva, “um conjunto de episódios polémicos, vividos na primeira pessoa, com diversos políticos e personalidades” portugueses, como Paulo Portas, Mário Soares, Marcelo Rebelo de Sousa, José Sócrates e Pedro Santana Lopes, assim como o atual primeiro-ministro, António Costa, incluindo pormenores mais íntimos e privados.

Leia o comunicado de José António Saraiva e da Gradiva:

1 – O Dr. Pedro Passos Coelho pediu ao autor, por motivos pessoais, para o desobrigar de estar presente na sessão de lançamento do livro “Eu e os Políticos – O que não pude (ou não quis) escrever até hoje”, de José António Saraiva, agendada para dia 26 de Setembro de 2016, às 18h30m, no El Corte Inglés de Lisboa.

2 – O livro tem sido objeto de uma polémica, por vezes excessivamente inflamada, nos media e nas redes sociais.

3 – Em conformidade, o autor e a editora consideram que o momento exige reflexão, e tudo farão para evitar o que possa contribuir para alimentar novas polémicas.

4 – Por decisão conjunta do autor e da editora, a cerimónia foi cancelada.

José António Saraiva e Gradiva Publicações

Passos “não gostaria de ficar associado a isso”

O líder do PSD afirmou que pediu a José António Saraiva para “o desobrigar” de apresentar o seu livro porque não querer ficar associado a uma discussão que mistura política e questões privadas e da intimidade das pessoas.

“Eu tenho defendido sempre que uma coisa é a política, outra coisa são as questões privadas e da intimidade das pessoas e não gostaria de ficar associado a isso, a uma discussão que pudesse misturar as duas coisas”, afirmou o presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas no final de uma visita a uma incubadora de empresas, no Taguspark, em Oeiras.

Admitindo que, em seu entender, o livro “Eu e os políticos” tem “um filtro” que não foi “devidamente aplicado”, Passos Coelho explicou que, como não gosta de faltar à sua palavra, pediu a José António Saraiva que o “desobrigasse” de um compromisso que com ele tinha assumido, numa altura em que não tinha ainda lido o livro e estava “guiado sobretudo pela admiração e respeito” que tem pelo autor.

Tive oportunidade de ler e, na sequência disso, pedi ao arquiteto José António Saraiva que me desobrigasse desse compromisso porque entendo que o respeito e admiração que tenho por ele também tenho por pessoas que vêm ali retratadas e que são retratadas em termos que não são estritamente políticos”, disse Passos Coelho.

O líder do PSD assegurou ainda que a sua decisão de pedir ao diretor do jornal Sol que o “desobrigasse” a apresentar o seu livro nada teve que ver com pressões do PSD, sublinhando que sempre disse que esta não era uma questão partidária.

“Era uma questão de natureza particular, que decidi particularmente”, vincou, acrescentando não ter tido qualquer manifestação de existir dentro do PSD algum mau estar.

“O que posso dizer é que se alguém se sentiu melindrado por isso não terá razão com certeza hoje para se melindrado, pelo menos comigo, na medida em que manifestamente me parece que era importante fazer essa separação de águas”, referiu.

Dando a questão como “ultrapassada”, Passos Coelho insistiu que José António Saraiva compreendeu a sua decisão e que isso o deixou “mais confortado” porque não gosta de faltar à sua palavra.

“Se ele não me desobrigasse teríamos uma situação, aí sim, mais constrangedora para mim. Mas, felizmente ele compreendeu muito bem a situação”, comentou.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Como já aqui disse, acho este individuo um “mestre da pirueta”.
    É inacreditavel como este individuo consegue, como tantas vezes fez, dizer hoje uma coisa e, um dia ou poucos dias depois, dizer exactamente o contrário. A sensação com que se fica é que muito “fraco de espirito” .

  2. Quanto a mim o senhor Passos andou mal e de que maneira ao aceitar tal convite, se fosse membro de um partido de esquerda até nada me surpreenderia, no entanto devo dizer que fiquei um pouco desiludido com a ação, agora voltou com a palavra atrás por imposição, aconselhá-lo-ia a mudar de partido mais à esquerda pois esta forma de estar na vida enquadra-se na perfeição num desses partidos, se pretende continuar à frente do PSD faça atenção pois terá que ser muito mais coerente para que não caia no carnaval politico e para que os outros não caiam no engano, tinha por dever ter já um pouco mais de calo nestas andanças!.

Os terrenos contaminados de Fukushima vão tornar-se num centro de "energia verde"

Fukushima, local que sofreu um dos maiores desastres nuclear do mundo, vai reinventar-se e tornar-se num centro de energia renovável. Depois de ser atingido por um terramoto e um tsunami de 15 metros em 2011, três …

Cientistas identificaram neurónios específicos que mapeiam memórias

Neurocientistas descobriram um aspeto curioso de como a nossa memória funciona: Quando o cérebro precisa de recuperar informação relacionada com um lugar específico, neurónios individuais podem atingir memórias específicas. De acordo com o estudo publicado na …

Grande tempestade de areia pode ter ditado o fim de um império da Mesopotâmia

O Império Acádio da Mesopotâmia entrou em colapso devido a uma enorme tempestade de areia, sugeriu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Hokkaido, no Japão. Em comunicado, os especialistas explicam …

Encontrado templo milenar usado em rituais pagãos de veneração da água

O local tem 3.000 anos, onde investigadores encontraram 21 sepulturas, bem como várias peças de cerâmica e anéis de cobre. O templo era usado em rituais pagãos de veneração da água. Uma equipa de arqueólogos encontrou …

Elon Musk diz que inovações da Neuralink vão conseguir curar o autismo

Musk disse que a sua empresa Neuralink iria "solucionar uma série de doenças neurológicas", entre as quais o autismo. Contudo, o autismo não é uma doença relacionada com o cérebro, mas sim uma perturbação do …

"Indivíduos desconhecidos" terão obrigado Marinha a apagar vídeo do incidente do USS Nimitz com um OVNI

Vários membros da Marinha que testemunharam o famoso Incidente do USS Nimitiz, em 2004, disseram que "indivíduos desconhecidos" apareceram depois do acontecimento e obrigaram-nos a apagar as gravações de vídeo. Em novembro de 2004, um porta-aviões …

Coreia do Norte detonou bomba atómica equivalente a 17 "Hiroshimas"

Dados de um satélite japonês revelam que a explosão de um teste nuclear na Coreia do Norte, em 2017, terá sido 17 vezes mais poderosa do que a bomba de Hiroshima. A Coreia do Norte estimou que …

Invenção financiada por Bill Gates pode invisivelmente resolver a malnutrição

Uma invenção financiada por Bill e Melinda Gates pode ser a solução para resolver o problema da malnutrição a nível mundial. O próximo passo é conseguir o apoio dos Governos locais. A malnutrição é um problema …

Com a ajuda de um radar, cientistas revelaram pegadas de mamutes e humanos pré-históricos

Espalhados pelo Monumento Nacional de White Sands, nos Estados Unidos, encontram-se os "rastos fantasma" de mamutes mortos há milhares de anos. Agora, investigadores conseguiram revelar pegadas de humanos. De acordo com o Science Alert, esta descoberta, …

A desertificação está progredir na Índia. Mas a solução pode estar no conhecimento tradicional

Quase 45% da área de Maharashtra está a transformar-se em deserto, assim como uma grande parte da Índia. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o ritmo da desertificação no país é agora …