Novo administrador da Sonangol investigado por suspeitas de lavagem de dinheiro

Luís Ferreira do Nascimento José Maria, um dos novos administradores da Sonangol, integra a lista de suspeitos investigados no âmbito do caso de desvio e  lavagem de dinheiro que envolve a companhia aérea da petrolífera angolana, a Sonair, e a TAP Air Portugal.

O Observador realça que Luís Ferreira José Maria, que integra a recém-eleita administração da Sonangol, no seguimento da exoneração de Isabel dos Santos, é suspeito do desvio de cerca de 2,5 milhões de euros. Os capitais do Grupo Sonangol terão sido “branqueados” através de uma offshore nas Ilhas Seychelles, detida pelo gestor em co-propriedade com a mulher.

Estes 2,5 milhões são uma pequena fatia do “bolo” global de 25 milhões de euros que terão sido desviados do Grupo Sonangol, no âmbito de um contrato fictício de prestação de serviços entre a Sonair e a TAP Portugal.

O caso investigado pela justiça portuguesa envolve ainda outras figuras angolanas, como o ex-presidente da Sonangol, Francisco José Lemos Maria, e Mirco Martins, enteado de Manuel Vicente, ex-vice-presidente de Angola e ex-presidente da Sonangol.

As autoridades portuguesas enviaram para Angola, em Agosto de 2017, uma carta rogatória no sentido de investigar estas figuras, incluindo Luís Ferreira José Maria, conforme avançou o jornal Público. Mas, neste momento, não se sabe em que ponto se encontra a investigação em Angola, afiança o Observador.

A publicação atesta, ainda, que Luís Ferreira José Maria incorre apenas no crime de abuso de poder, tal como as demais figuras angolanas implicadas no caso. Isto ocorre por via de uma amnistia, decretada em 2015 pelo ex-presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, para os crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Presidente angolano muda chefias militares

Entretanto, o novo Presidente angolano, João Lourenço, continua a promover mudanças na estrutura de poder do país. Desta feita, exonerou 19 chefias militares, oficiais generais nomeados anteriormente, para vários postos, incluindo na Casa de Segurança da Presidência, pelo então chefe de Estado, José Eduardo dos Santos.

Segundo uma informação disponibilizada pela Casa Civil do Presidente da República, em contrapartida, o novo chefe de Estado nomeou outros 54 oficiais generais para várias áreas de confiança.

Desde que tomou posse, a 26 de Setembro, na sequência das eleições gerais angolanas de 23 de Agosto, João Lourenço procedeu a exonerações de várias administrações de empresas estatais, dos sectores de diamantes, minerais, petróleos, comunicação social, banca comercial pública e Banco Nacional de Angola, anteriormente nomeadas por José Eduardo dos Santos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Acham mesmo que c as mudanças que estão a acontecer em Angola que é p/ bem do povo? Então estão completamente enganados. Isto é mudança de nomes porque a M— vai ser a mesma ou PIOR…

  2. A dificuldade de João Lourenço é escolher gente que não esteja envolvida em corrupção…
    Toda a “nata” angolana tem a barra suja !

Jornalistas insultados e ameaçados em jantar-comício de Ventura (sem distanciamento)

Jornalistas foram vaiados, insultados e até ameaçados num jantar-comício do Chega, este domingo. O evento não cumpriu o distanciamento social, reunindo 170 pessoas num sala com 450 metros quadrados. No domingo, no Campo de São Mamede, …

Athletic Bilbao vence Barcelona e conquista Supertaça. Messi expulso após agressão

O Athletic Bilbao ergueu a sua terceira Supertaça de futebol de Espanha, ao vencer 3-2 no prolongamento o FC Barcelona, após 2-2 no final do tempo regulamentar, na final disputada no Estádio Olímpico de Sevilha. Depois …

Regionalização, um "poema de um calceteiro" e (mais) críticas a Marcelo. O último debate presidencial

Os candidatos presidenciais juntaram-se em mais um debate conjunto antes das eleições. Falou-se da ausência de Ventura, regionalização, justiça e até jardinagem. O primeiro tema a marcar o debate das rádios foram as medidas de confinamento …

Em plena pandemia, houve cinco setores que conseguiram faturar mais do que em 2019

Apesar de a pandemia ter levado muitos setores da economia para os piores resultados de sempre, nem todos perderam faturação durante os meses de março a novembro da crise sanitária, algum conseguiram mesmo aumentar. Neste sentido, …

Pesadelo de Özil no Arsenal chega ao fim com transferência para o Fenerbahçe

O futebolista alemão Mesut Özil, dos ingleses do Arsenal, confirmou que vai assinar pelos turcos do Fenerbahçe, depois de vários meses sem jogar pelos 'gunners'. "Estou muito feliz e muito animado, por Deus me ter dado …

Palácio mais antigo da China é descoberto perto de antiga capital. Tem mais de 5000 anos

Um Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas da China, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem atualmente cerca de 5.300 …

"Há exceções a mais". Marques Mendes defende que Governo deve reavaliar medidas de confinamento

No seu habitual espaço de comentário na SIC, no domingo à noite, Luís Marques Mendes falou sobre as novas medidas de confinanento e das eleições presidenciais. Depois de uma semana a bater recordes em números de …

O cenário "é de guerra" e o medo é de a perder. Temido admite que "estamos muito próximos do limite"

Após uma visita ao Hospital Garcia de Orta, que alertava no sábado para um "cenário de pré-catástrofe", Marta Temido admitiu que o Serviço Nacional de Saúde, os operadores sociais e privados estão em "extremo sobreesforço". Marta …

Discutir sobre temas controversos requer mais atividade cerebral do que concordar

Uma nova investigação da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, confirmou aquilo que o senso comum já vaticinava: discutir sobre temas controversos requer muito mais atividade cerebral do que simplesmente concordar. De acordo com a nova …

Estado de emergência vai manter-se até março. Marcelo admite confinar mais o país

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, esteve este domingo no Hospital Santa Maria, em Lisboa, onde admitiu confinar mais o país devido à pressão nos hospitais. Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa, …