/

Nove migrantes encontrados vivos em novo camião no Reino Unido

A polícia britânica encontrou um segundo camião onde viajavam nove migrantes, todos eles vivos. Ainda hoje foi encontrado um camião com 39 pessoas mortas.

Horas depois de ter sido encontrado um camião com 39 pessoas mortas, a polícia britânica mandou parar um segundo camião que seguia na autoestrada, em Kent, e que trazia consigo nove migrantes dentro, todos eles vivos.

“Agora, nove pessoas estão a ser examinadas como precaução do Serviço de Ambulância da Costa Sudeste antes de serem encaminhadas aos oficiais de imigração do Ministério do Interior”, comunicou um porta-voz da Polícia de Kent, à Sky News.

Richard Burnett, chefe-executivo da Road Haulage Association, disse: “Esta tragédia destaca o perigo de gangues de migrantes contrabandearem camiões”.

Por sua vez, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, chamou o incidente de uma “tragédia inimaginável” e disse que os envolvidos no tráfico de pessoas devem ser “apanhados e levados à justiça”.

No primeiro camião encontrado esta quarta-feira, foram encontrados 39 cadáveres, em Essex, no Reino Unido. O condutor, de 25 anos, da Irlanda do Norte, já foi detido por suspeita de homicídio.

De acordo com as informações avançadas pela polícia de Essex, que foi chamada ao local esta madrugada, por volta da 01h40, entre as vítimas mortais, encontradas no Waterglade Industrial Park, em Grays, encontra-se um adolescente.

“Acreditamos que o camião seja da Bulgária e tenha entrado no país por Holyhead”, no País de Gales, acrescenta o responsável, confirmando que o condutor se encontra detido. Entretanto, o primeiro-ministro búlgaro já veio desmentir, dizendo que não há qualquer ligação com a Bulgária para além do facto de ter sido registado lá.

Uma nova hipótese, mencionada pela Reuters, dá conta que o primeiro camisão talvez possa ter vindo da Bélgica. Em resposta, as autoridades belgas já abriram uma investigação para apurar a veracidade dos factos.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.