Sexta-feira, Novembro 22, 2019
NOS pagou viagens à China a 9 convidados (e quer saber porquê)

NOS pagou viagens à China a 9 convidados (e quer saber porquê)

José Sena Goulão / Lusa

O Presidente da Comissão Executiva da NOS, Miguel Almeida

A operadora de telecomunicações NOS confirmou o pagamento de viagens aéreas à China, em junho de 2015, a cinco colaboradores e mais nove convidados externos, adiantando estar a apurar “o enquadramento deste pagamento”.

Num comunicado enviado esta noite à Lusa, a NOS confirma que, em junho de 2015, “colaboradores da empresa participaram numa viagem de trabalho a Zhang Zhou e Shenzehen, que teve como único objetivo partilhar com os participantes conhecimento e melhores práticas na área da saúde”.

Na nota, a operadora de telecomunicações “confirma também a existência de um pagamento das viagens aéreas da referida visita a um total de 14 pessoas, sendo 5 dessas colaboradores da empresa”.

“O enquadramento deste pagamento encontra-se ainda a ser apurado, uma vez que as regras internas na operadora não prevêem a possibilidade de a empresa suportar custos de deslocações que não os dos seus próprios colaboradores – mesmo que  parcialmente”, explica a operadora.

“Perante isto e face às informações entretanto vindas a público, a Comissão Executiva das NOS prontamente decidiu apurar internamente o enquadramento e detalhe de um eventual envolvimento da empresa na referida viagem”, acrescenta-se no comunicado difundido esta segunda-feira.

A NOS argumenta que “a organização de visitas de trabalho com convidados, cujas funções estejam relacionadas com o objetivo de partilhar conhecimento, competências e planos de desenvolvimento tecnológico é uma prática empresarial comum e lícita“.

A viagem, sublinha, incluiu “uma visita ao hospital de Zhang Zhou, considerado uma referência internacional, e à sede da Huawei, em Shenzhen, onde foram organizados vários ‘workshops’ sobre as mais recentes inovações tecnológicas na área da saúde”.

As explicações da empresa surgem no mesmo dia em que a Huawei disse à Lusa que a empresa “não pagou viagem à China a nenhuma pessoa envolvida neste caso“.

Também o Ministério da Saúde difundiu um comunicado adiantando que dirigentes dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, “em particular” os presidente e vogal do Conselho de Administração, colocaram à disposição os respetivos lugares, mas o Ministério entendeu aguardar pelas conclusões da averiguação pedida à Inspeção-geral das Atividades de Saúde.

O Ministério adianta que regista “como positiva” a atitude tomada pelos dirigentes de colocarem à disposição os seus lugares, mas entende como adequado esperar pelas conclusões da IGAS, que “habilitarão a uma tomada de decisão definitiva, justa e fundamentada”.

Em causa estão “factos ocorridos em junho de 2015” e que, segundo o Ministério, “carecem de clarificação ao nível do seu contexto ético, jurídico e institucional”.

De acordo com o jornal Expresso, trata-se de uma viagem realizada entre 02 e 06 de junho de 2015, envolvendo cinco dirigentes do Ministério da Saúde. Em fevereiro do mesmo ano, outro destacado funcionário do Estado, Carlos Santos, da Autoridade Tributária, viajou para a China “com tudo pago”.

O jornal cita uma fonte ligada ao processo, segundo a qual a empresa pagou “tudo, mesmo tudo”, incluindo a alimentação.

A viagem incluiu uma visita ao Hospital de Zheng Zhou para observar como funciona o sistema de telemedicina da unidade e outra à sede da tecnológica em Shenzhen, perto de Hong Kong.

“Os altos quadros dos SPMS que viajaram a convite são Artur Trindade Mimoso, vogal executivo do Conselho de Administração, Nuno Lucas, diretor de sistemas de informação, Ana Maurício, diretora de comunicação, Rui Gomes, diretor de sistemas de informação, e Rute Belchior, diretora de compras”, lê-se na notícia do Expresso.

Os SPMS confirmaram ao jornal a deslocação “suportada pela entidade que organizou a visita”, justificando-a com “objetivos prioritários” de adquirir e partilhar conhecimentos sobre “os recursos, modelos e estratégias diferenciadoras utilizadas no âmbito da telemedicina”.

Oracle também está associada a viagens ao estrangeiro

De acordo com o Observador, agora é a vez da empresa de tecnologia e informática norte-americana Oracle protagonizar um novo episódio no caso das viagens ao estrangeiro.

Em causa estava o Oracle Open World 2014, evento mundial que levou cinco altos funcionários do Estado – de estruturas que dependiam dos Ministérios da Segurança Social, das Finanças, do Ministério da Administração Interna e do Ministério da Saúde – até aos EUA, mais concretamente São Francisco, onde tiveram estadia entre 28 de setembro e 2 de outubro desse ano.

Escreve o jornal online que as circunstâncias do pagamento não são claras e diferem de caso para caso mas uma coisa é certa: foi a Oracle Corporation quem pagou os passes para o evento, que incluía várias conferências e atividades como o concerto dos Aerosmith.

Aos EUA foram Carlos Santos, da Autoridade Tributária – que também tinha ido à China à sede da Huawei  – Diogo Reis, dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (da equipa da Plataforma de Dados da Saúde), Francisco Baptista, chefe de Equipa Multidisciplinar de Sistemas e Produção (EMSP) da Secretaria-Geral Ministério da Administração Interna.

Nestes três casos, o parceiro – que terá partilhado as despesas da deslocação com a Oracle – foi uma empresa de sistemas de informação com sede em Alvalade, Timestamp.

Há ainda mais dois diretores do Instituto de Informática da Segurança Social (IISS) que também foram ao evento: Carlos Oliveira e João Mota Lopes – que também já tinha ido à China pela Huawei. O parceiro que fez o convite, neste caso, foi uma empresa portuguesa também da área das Tecnologias de Informação, a Normática, apurou o Observador.

Destes cinco funcionários, três ainda estão em funções no Estado.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bebé encontrado no lixo já está com uma família de acolhimento

O bebé encontrado num ecoponto, no início do mês, e que esteve até quinta-feira hospitalizado, já está com uma família de acolhimento, informou a Santa da Misericórdia de Lisboa esta sexta-feira. A instituição refere numa nota …

Fisco vai controlar declarações de IRS de beneficiários do programa "Regressar"

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai desenvolver mecanismos para verificar se os contribuintes abrangidos pelo regime fiscal do programa "Regressar" reúnem as condições exigidas, prevendo-se que parte desse controlo ocorra com a entrega da declaração …

Greta Thunberg vai de Lisboa a Madrid num carro elétrico emprestado por Espanha

A Junta da Extremadura, região espanhola, disponibilizou um carro elétrico à jovem ativista sueca Greta Thunberg para que possa viajar de Lisboa para Madrid para assistir à Cimeira do Clima respeitando o meio ambiente, adiantou …

Enfermeiros garantem voltar à luta com os 200 mil que sobraram do crowdfunding

Os enfermeiros, que no ano passado iniciaram o "Movimento Greve Cirúrgica", pretendem voltar às ações de protestos com os cerca de 200 mil euros que restaram da campanha de crowdfunding. A intenção é revelada por …

OCDE: Nova crise pode tirar metade do rendimento às famílias portuguesas

Uma nova crise económica e financeira a nível global pode ter efeitos dramáticos para as famílias portuguesas, levando à perda de metade dos seus rendimentos. Esta é a previsão da Organização para a Cooperação e …

O cofre da rica mãe, heranças às dúzias e a vida "sem luxos". O que Sócrates disse a Ivo Rosa

Foram cerca de 20 horas de interrogatório no âmbito da Operação Marquês, em que José Sócrates manteve, perante o juiz Ivo Rosa, a versão de que as avultadas quantias de dinheiro que gastou nos últimos …

Associados podem ser chamados a resolver "buraco" do Montepio

Os cerca de 630 mil associados e pensionistas da Associação Mutualista Montepio Geral correm o risco de virem a ser chamados para resolver as perdas da instituição financeira, escreve o jornal Público. De acordo com o …

Bolívia divulga vídeo que sugere que Morales incitou bloqueios à entrada de alimentos

Arturo Murillo, ministro do Governo da Bolívia, divulgou na manhã de quarta-feira um vídeo que sugere que o antigo presidente do país, Evo Morales, incitou os bloqueios à entrada de alimentos que fragiliza o país. Os …

Christine Lagarde foi conselheira de duas empresas sediadas em paraísos fiscais

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE) desde outubro, foi conselheira de duas filiais da empresa de advocacia Baker & McKenzie (BM) entre 2003 e 2005, ambas sediadas em países considerados à data paraísos …

Provas contra Trump "são claras". "Ele usou o cargo para fins pessoais", diz Nancy Pelosi

A presidente da Câmara dos Representantes e líder da maioria democrata na câmara norte-americana, Nancy Pelosi, declarou na quinta-feira que considera já haver provas suficientes para afirmar que o Presidente deve ser destituído. Contudo, segundo avançou …