Benjamin Netanyahu deverá ser acusado de crimes de fraude e suborno

Abir Sultan / EPA

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

O procurador-geral de Israel indicou que tem planos para acusar o primeiro-ministro israelita de corrupção, a meros 40 dias das eleições.

Num comunicado do Ministério da Justiça, Mandelblit indica ter aceitado as recomendações da polícia para acusar Netanyahu em três diferentes casos, que aguardam uma audiência final.

O procurador refere ter a intenção de acusar Netanyahu por ter recebido subornos para promover alterações ao nível da regulação que valiam centenas de milhões de dólares para a empresa de telecomunicações Bezeq, em troca de uma cobertura favorável no portal de informação Walla, propriedade daquela empresa.

Mandelblit também acusará o chefe do governo israelita de fraude e abuso de confiança em dois outros casos.

Num deles, Netanyahu, assim como a sua mulher Sara e o filho Yaur são suspeitos de terem recebido benefícios e presentes avaliados em centenas de milhares de euros de vários milionários, como o produtor de Hollywood israelita Arnon Milchan, em troca de ajuda em várias questões.

O outro é sobre um alegado acordo secreto entre Netanyahu e Arnon Mozes, editor do jornal diário Yedioth Ahronoth. O primeiro-ministro criaria dificuldades ao jornal Israel Hayom, rival do Yedioth Ahronoth, em troca de uma cobertura mais favorável.

Embora esperada há semanas, a decisão de Mandelblit, 40 dias antes das legislativas antecipadas de 9 de abril, pode alterar a situação eleitoral e ameaça o longo “reino” de Netanyahu, 69 anos, que disputa um quinto mandato após perto de 13 anos no poder.

Netanyahu nega qualquer irregularidade e o seu partido, o Likud, já denunciou uma “perseguição política”. De acordo com a lei israelita, mesmo acusado, o primeiro-ministro não é obrigado a demitir-se.

Benjamin Netanyahu, ou “Bibi” como é também conhecido, é, de acordo com as sondagens, o mais bem colocado para formar uma coligação governamental após as legislativas antecipadas, mas analistas consideram que a pressão política devido aos processos judiciais poderá ser muito forte e obrigar qualquer nova coligação a refletir sobre se o mantém ou não como líder.

As suspeitas foram conhecidas em 2017, quando um documento policial foi divulgado pela imprensa. Netanyahu tem negado as acusações, que classificou no passado como uma “caça às bruxas” contra si e a sua família.

Netanyahu classificou o momento escolhido pelo procurador-geral para anunciar tal decisão como “ultrajante”, acusando os opositores de esquerda de estarem a conduzir uma “caça às bruxas sem precedentes”. Disse ainda que as acusações são mentiras e um “libelo (ou calúnia) de sangue”, assegurando que tenciona desmascarar todas as denúncias.

O primeiro-ministro terá oportunidade de se defender, numa audição, antes que seja emitida a acusação. Se os ser argumentos não convencerem o tribunal, esta será a primeira vez que um primeiro-ministro de Israel terá de enfrentar um julgamento por este tipo de crimes, refere a BBC.

A recomendação feita pelo procurador-geral indica que as autoridades acreditam existirem elementos suficientes para levar o caso a tribunal.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. “De acordo com a lei israelita, mesmo acusado, o primeiro-ministro não é obrigado a demitir-se.”

    Isto significa que a lei Israelita deixa à descrição da honradez e da decência do Primeiro-Ministro, a opção de escolher entre comportar-se com dignidade, ou sem ela. E Nethanyahu prepara-se para se comportar sem ela, obviamente.

    “O primeiro-ministro terá oportunidade de se defender, numa audição, antes que seja emitida a acusação.”

    A “acusação” ou a condenação? É que eu não sei de que é que uma pessoa se vai defender se ainda não foi acusada de nada.

Ex-embaixadora dos EUA na Ucrânia acusa Trump de intimidação

Marie Yovanovitch, antiga embaixadora dos Estados Unidos na Ucrânia, denunciou esta sexta-feira a existência de uma campanha para a descredibilizar levada a cabo por Donald Trump com ajuda de ucranianos, no inquérito para a destituição …

Subida do Salário Mínimo Nacional vai aumentar as propinas

A subida do Salário Mínimo Nacional para os 635 euros em 2020, vai ter influência em valores a pagar ou a receber, nomeadamente nas propinas mínimas do Ensino Superior público e nos tectos do Fundo …

É essencial um acordo internacional para taxar “gigantes” tecnológicos, defende Costa

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou esta sexta-feira insustentável do ponto de vista social a situação em que classes médias e pequenas empresas suportam a maior parte do esforço fiscal e defendeu um acordo …

Lisboa entre as cidades com trânsito mais caótico do mundo

Um estudo da Mister Auto - marca líder de mercado na venda de peças para automóveis - agora divulgado revelou que Lisboa está na 74.ª posição no 'ranking' das cidades mais circuláveis. Ou seja, muito …

Parlamento rejeita reforçar subsídio de doença para doentes crónicos e oncológicos

A Assembleia da República rejeitou esta sexta-feira, na generalidade, reforçar o subsídio de doença para doentes crónicos, oncológicos ou graves. Em causa estavam dois projetos de lei de Bloco de Esquerda e PCP e um projeto …

Vacas levadas pelo furacão Dorian aparecem dois meses depois

Três vacas desapareceram de uma ilha na Carolina do Norte, em setembro, na sequência do furacão Dorian. Nas últimas semanas, foram encontradas a oito quilómetros de distância. As três vacas desaparecidas de uma ilha na Carolina …

Criptomoedas são "péssima ideia" e interferem com a política monetária

O Nobel da Economia de 2007, Eric Maskin, afirmou, em entrevista à Lusa, que as criptomoedas são uma "péssima ideia", alertou que interferem com as medidas de política monetária e partilhou que tem esperança que …

PSD aponta Rio e Pinto Balsemão para Conselho de Estado. PS indica Louçã e Carlos César

PS e PS revelaram esta sexta-feira quais os nomes que vão indicar para o Conselho de Estado. O antigo governante Francisco Pinto Balsemão, o líder do PSD, Rui Rio, e o bloquista Francisco Louçã são …

Empresário de Schumacher diz que foi proibido de visitar o antigo piloto

O antigo empresário de Michael Schumacher, Willi Weber, disse não saber qual é o estado de saúde do antigo piloto, revelando ainda que a sua mulher, Corinna Schumacher, o proibiu de o visitar por temer …

Nevões em França causam um morto e deixam 300 mil famílias sem energia

Os fortes nevões que afetam França desde quinta-feira causaram a morte a uma pessoa e cortes de energia que estão a privar de eletricidade 300 mil famílias, sobretudo no sudeste do país. Um motorista de 63 …