“Condições penosas”. Mulher despedida de corticeira esteve dois dias em pé sem fazer nada

A trabalhadora despedida de uma empresa corticeira na Feira, após ter estado vários meses a carregar e descarregar os mesmos sacos de rolhas, disse esta quinta-feira que foi obrigada a estar de pé durante dois dias, sem fazer nada.

Cristina Tavares falava no Tribunal da Feira, na primeira sessão do julgamento da ação intentada pela empresa Fernando Couto Cortiças a contestar a multa de 31 mil euros que lhe foi aplicada pela Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), por prática de assédio moral sobre a funcionária.

“Nos primeiros dois dias [após ter sido reintegrada por ordem judicial] estive de pé, sem fazer nada, durante nove horas. Quando me encostei a um muro, disseram que nem encostada podia estar”, disse a funcionária.

A operária contou ainda que, depois, a mandaram para uma plataforma elevada, situada a cerca de cinco metros de altura, para “fazer paletes” de sacos, contendo cinco mil rolhas de cortiça, que pesavam “mais de 15 quilos cada um”.

“Tinha de empilhar os sacos manualmente e depois chegava ao fim e desfazia tudo. Não saía dali”, relatou, adiantando que chegou a fazer “26 paletes” num dia. A mulher, que disse sofrer de “hérnias, tendinites e síndrome vertiginoso”, referiu que este trabalho era “desgastante”, porque o calor “era imenso”, acrescentando que por vezes sentia-se mal, com “tonturas” e chegava a “deitar sangue do nariz”.

Além do trabalho com as paletes, Cristina Tavares contou que também fez limpezas na unidade fabril, chegando a limpar setores que estavam fechados e outros que tinha limpado no dia anterior. A operária, que está atualmente desempregada, afirmou ainda que se sentiu “um lixo e humilhada”, tendo emagrecido seis quilos naquela altura.

“Foi muito difícil. Ainda hoje estou a tomar medicamentos para dormir”, disse emocionada, sem conseguir conter as lágrimas.

“Condições penosas”

Na mesma sessão, foi ouvida a inspetora da ACT que visitou a empresa em 29 de maio de 2018 e 5 de julho do mesmo ano, que afirmou que a funcionária estava a trabalhar em “condições penosas” e “não estava a exercer as suas funções”, conforme tinha sido determinado pelo Tribunal. A inspetora referiu ter advertido a empresa que “tinham que alterar a sua postura”, pois esta situação era “lesadora” para a trabalhadora e “já estava a ter consequências na sua condição física e psicológica”.

“Falámos com o diretor financeiro e uma das representantes legais da empresa e advertimos que a empresa teria que dar cumprimento à sentença, mas eles alegaram que não tinham posto de trabalho para dar à trabalhadora”, explicou.

O advogado da empresa, Nuno Cáceres, acusou a inspetora de estar “com grande pica no sentido de incriminar a empresa” e advertiu o tribunal para a “pressão política e sindical” associada ao processo. O causídico pôs ainda em causa o auto de notícia e a forma como foi obtida a prova, porque “baseia-se unicamente no discurso da trabalhadora”.

“A inspetora do trabalho limitou-se a ouvir a trabalhadora nas duas visitas que fez à empresa”, disse o advogado, lembrando que nessa altura, “já tinha havido um processo judicial, a trabalhadora estava a ser reintegrada e estava a ser acompanhada e patrocinada pelo sindicato”. O julgamento foi interrompido por volta das 13:15 e vai continuar no dia 23 de abril, pelas 14:00.

Entretanto, para amanhã está marcada a primeira sessão do processo de impugnação ao despedimento de Cristina Tavares, instaurado pela própria e pelo seu sindicato.

Cristina Tavares foi despedida da Fernando Couto Cortiças em janeiro de 2017, alegadamente por ter exercido os seus direitos de maternidade e de assistência à família, mas o tribunal considerou o despedimento ilegal e determinou a sua reintegração na empresa. Em janeiro deste ano a empresa corticeira voltou a despedi-la acusando-a de difamação, depois de ter sido multada pela ACT, que verificou no local que tinham sido atribuídas à trabalhadora tarefas improdutivas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Será este o prototipo do empresário em portugal?
    Ainda não chegou a esta “empresa” o vinte e cinco de abril.
    Será que está à espera que se faça justiça!
    Ainda há muitos fascistas naquela zona do país!
    RESPONDA QUEM SOUBER.

  2. Há um grande Banco espanhol que pratica o método de pôr certos funcionários sem fazer nada durante largos períodos (+ de 1 ano) e baixo ameaça, os põe na rua a troco de meia dúzia de euros.

    • Não acredito que estejam sentados a olhar para um ecrã vazio durante tantos meses, se isso é verdade é uma humilhação do ser humano descarada.

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronaírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …

Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a "avanço" na decisão

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto …

Pandemia acelera nos Estados Unidos. Uso de máscara pode salvar 40 mil vidas

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 70 mil casos de covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para mais de 3,49 milhões o total de contágios no país, indicou a Universidade Johns …

Presidente polaco falou ao telefone com Guterres sobre a comunidade LGBT e a 2.ª Guerra (mas não era Guterres)

O recém-eleito Presidente da Polónia, Andrzej Duda, julgava que estava a conversar por telefone com António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Falou-se da pandemia, da comunidade LGBT e da II Guerra Mundial. Porém, do outro …

Itália pediu ajuda, Europa ficou em silêncio e o vírus cavalgou por todo o continente

A lenta resposta a um inimigo invisível, a falta de stock de equipamentos de proteção, um Ocidente a festejar o Ano Novo e uma Europa com as atenções centradas no Brexit. Um cocktail desastroso que …

Empresas vão poder pedir lay-off em meses interpolados. Trabalhadores recebem subsídio de Natal a 100%

O novo apoio de lay-off que vai substituir o atual regime de lay-off simplificado a partir de agosto vai poder ser pedido pelas empresas em "meses interpolados", podendo desistir do regime e retomá-lo mais tarde. De …

Rombo na economia deixa orçamento retificativo à vista

O ministro das Finanças, João Leão, admitiu alterar as projeções de crescimento económico para 2020 com um orçamento retificativo. Em causa está uma queda mais acentuada da economia. A pandemia obrigou a um orçamento suplementar, onde …

Ricardo Salgado suspeito de corromper altos quadros do BES em milhões de euros

O antigo banqueiro Ricardo Salgado é suspeito de ter usado duas empresas que funcionavam como um saco azul do Grupo Espírito Santo (GES) para corromper 12 pessoas, a maioria altos quadros do Banco Espírito Santo …

Costa navega à esquerda com PSD debaixo de olho. Arrancaram as negociações para o OE2021

António Costa afastou a ideia de bloco central e tem pela frente, esta semana, uma ronda de negociações sobre o próximo Orçamento do Estado com os partidos à esquerda. Esta quarta-feira, deu-se o pontapé de saída …