MP “não nos ligava patavina. Zero”, disse major Vasco Brazão

António Cotrim / Lusa

O major Vasco Brazão da Polícia Judiciária (PJ) durante a sua audição na Comissão Parlamentar de Inquérito

O major Vasco Brazão, ex-porta-voz da Polícia Judiciária Militar (PJM), disse esta terça-feira ao coletivo de juízes do Tribunal de Santarém que o Ministério Público (MP) não “ligava patavina” à investigação e às diligências sobre o caso de Tancos estabelecidas por aquela força policial.

“A PJM não existia, era um verbo de encher”, indicou em tribunal, onde agora se apuram responsabilidades criminais, e não políticas. O MP “não nos ligava patavina. Zero”, frisou Vasco Brazão, que há dois anos prestou esclarecimentos sobre Tancos no Parlamento.

Segundo avançou esta terça-feira o Observador, o major disse ao juiz Nelson Barra que, na altura em que o então diretor-geral da PJM o integrou na equipa que investigava o assalto, não o informou sobre o despacho da Procuradora-Geral da República, que passava a investigação para a Polícia Judiciária (PJ) civil.

O assalto a Tancos, continuou, coincidiu com o início das suas férias em Espanha, passando o seu colega de trabalho, o capitão Bengalinha, a ficar com a investigação. O MP acusa o major e o diretor Luís Vieira de terem combinado para afastar Bengalinha, de modo a fazerem uma investigação paralela à da PJ civil.

Vasco Brazão afirmou que nunca afastaria Bengalinha, admitindo, contudo, que Vieira o preferia na investigação devido à sua experiência. O major indicou que Bengalinha lhe pediu ajuda e que só nessas conversas soube da reunião entre o MP, elementos da PJ e da PJM, na qual ficou definido que as informações seriam reunidas num único processo.

“Não soube da reunião de 03 de julho. Nos telefonemas que tive com ele [Bengalinha] estava muito preocupado com o processo (…). Recordo-me que na reunião de 03 de julho disseram: vocês investigam o vosso processo, nós o nosso e vamos trocando informação. Nós tínhamos o processo militar e eles o civil”, contou Vasco Brazão.

A certa altura, Bengalinha abandonou a investigação por considerar a PJ civil e o MP não davam atenção à sua investigação e às diligências que fazia, onde chegou a fazer propostas de constituição de arguidos.

Vasco Brazão é acusado de associação criminosa, tráfico e mediação de armas, falsificação ou contrafação de documentos, denegação de justiça e prevaricação e de favorecimento pessoal praticado por funcionário.

Taísa Pagno //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Costa diz que Portugal vai ter "o dobro" de fundos comunitários para investir

O primeiro-ministro afirmou, este sábado, que Portugal vai contar, nos próximos sete anos, com "o dobro" de fundos comunitários para investimento, considerando que esta "é uma oportunidade única" que não pode ser desperdiçada. "Vamos ter a …

Chinesa morre após salvar a filha de deslizamento de terra. Bebé esteve 24 horas nos escombros

Uma mulher morreu após salvar o seu bebé quando um deslizamento de terra e uma forte inundação atingiram a sua casa na China, revelam as equipas de resgate. Como noticia a BBC, a bebé foi resgatada …

Caso Ihor. IGAI pede expulsão do ex-diretor de fronteiras do SEF

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou ao ministro Eduardo Cabrita o relatório final do processo disciplinar contra o inspetor coordenador do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) António Sérgio Henriques, que propõe a …

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …

China inaugurou o comboio mais rápido do mundo

O comboio-bala maglev, que pode atingir uma velocidade de 600 quilómetros por hora, fez a sua estreia em Qingdao, na China, esta semana. Tal como conta a cadeia televisiva CNN, este comboio-bala maglev foi desenvolvido pela …

Quatro portugueses detidos em Espanha por alegada violação de duas mulheres

A polícia espanhola anunciou, este sábado, ter detido quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país. Segundo a …

Stonehenge pode perder estatuto de património mundial da UNESCO

Depois de Liverpool, também Stonehenge pode perder o estatuto de património mundial da UNESCO. O aviso surge após o secretário dos transportes, Grant Shapps, ter dado luz verde aos planos de construção de um túnel …

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …

Há dezenas de autarcas envolvidos em processos sem fim à vista

Dezenas de autarcas foram neste mandato acusados por corrupção, negócios imobiliários duvidosos e abuso de poder, entre outros, em processos judiciais que se arrastam, na maioria, sem desfecho à vista a dois meses de novas …