Apesar de estar a ser monitorizado, Carlos Ghosn terá conseguido fugir dentro de caixa de instrumentos musicais

WEF / Flickr

Carlos Ghosn, Chairman e CEO da Renault-Nissan Alliance

Carlos Ghosn, ex-CEO da Renault-Nissan, conseguiu fugir do Japão, onde aguardava julgamento por alegadamente ter desviado milhões de euros da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, sem que as autoridades nipónicas se tivessem apercebido.

De acordo com o canal noticioso libanês MTV, Carlos Ghosn fugiu escondido dentro de uma caixa de instrumentos de uma banda convidada para dar um concerto privado num jantar em casa do ex-presidente da Renault-Nissan.

Apesar da apertada vigilância policial, a banda teve autorização para entrar e para sair com o gestor escondido numa das maiores caixas dos instrumentos musicais. Ghosn terá seguido para um aeroporto secundário, onde o esperava um avião particular com destino a Istambul, na Turquia.

A partir daí, explica o jornal britânico The Guardian, terá apanhado outro avião privado para o Líbano, onde chegou antes do amanhecer de segunda-feira. De acordo com o site Flight Scanner, o sinal do voo privado onde seguia perdeu-se antes de aterrar.

Segundo a agência Reuters, Ghosn encontrou-se com o chefe de Estado libanês, Michel Aoun, depois de fugir do Japão. O fugitivo terá agradecido a Aoun o apoio que lhe foi prestado e à sua mulher enquanto esteve detido. No entanto, o encontro, que ainda não tinha sido tornado público, foi desmentido por um assessor da presidência libanesa.

A mesma agência avança que o embaixador do Líbano no Japão visitou o antigo empresário todos os dias durante a sua detenção.

Neste momento, Carlos Ghosn está em Beirute, numa casa de família, na companhia da sua mulher, Carole, de origem libanesa. O plano terá sido orquestrado pela mulher e levado a cabo apesar da proibição de ver ou contactar o marido sem autorização do Tribunal, com a ajuda de uma equipa de ex-militares das forças especiais. Segundo a Reuters, o plano foi delineado durante três meses e executado por uma empresa de segurança privada. O casal terá cortado o contacto durante pelo menos sete meses.

A notícia da fuga de Carlos Ghosn apanhou de surpresa as autoridades nipónicas. Os serviços de estrangeiros e fronteiras não tinham qualquer informação sobre a saída de Ghosn e não estava afastada a hipótese de o gestor se ter evadido usado uma identidade falsa, uma vez que os três passaportes do gestor — que tem nacionalidade francesa e libanesa e nasceu no Brasil — estão apreendidos

A apreensão dos passaportes e a impossibilidade de sair do Japão eram apenas duas das fortes medidas de coação a que Carlos Ghosn estava sujeito em Tóquio desde 2018​.

Ghosn, de 65 anos, esclareceu não ter fugido à Justiça, mas que se libertou “da injustiça e da perseguição política” no Japão. “Finalmente, posso comunicar livremente com a imprensa, o que farei a partir da próxima semana”, acrescentou.

Autoridades fazem rusga a casa de Goshn em Tóquio

Procuradores japoneses efetuaram esta quinta-feira uma rusga em casa de Carlos Goshn. De acordo com imagens divulgadas pela imprensa local, meia dúzia de procuradores, envergando fatos escuros e máscaras brancas, entraram esta manhã em casa do empresário, em Minato, na zona central da área metropolitana de Tóquio.

Segundo a televisão pública NHK, a investigação tem como pano de fundo a alegada violação das leis de migração pelo ex-presidente da Nissan, que conseguiu deixar o país ilegalmente sem passar por procedimentos habituais. As autoridades japonesas confirmaram não existirem registos de quando ou como Carlos Ghosn foi capaz de deixar o arquipélago nipónico.

Fontes ouvidas pela NHK afirmaram que o empresário tinha dois passaportes franceses, um dos quais terá usado para entrar legalmente no Líbano, a bordo de um avião privado e depois de uma escala na Turquia.

Carlos Ghosn, ex-presidente do conselho de administração e ex-presidente executivo do grupo Nissan e da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, foi detido em Tóquio em 19 de novembro de 2018 por suspeita de abuso de confiança e evasão fiscal.

Detido vários meses no Japão, o empresário foi libertado em março de 2019, após o pagamento de uma caução. No início de abril passado, foi novamente detido e outra vez libertado sob caução. O Ministério Público (MP) de Tóquio informou que a última detenção do ex-presidente da Nissan justifica-se pela suspeita de que Carlos Ghosn desviou cinco milhões de dólares, cerca de 4,4 milhões de euros.

No final desse mesmo mês, Ghosn ficou sob detenção domiciliária, a aguardar julgamento por evasão fiscal, entre outros crimes.

Os advogados e a família de Carlos Ghosn têm criticado fortemente as condições da detenção do empresário, bem como a forma como a justiça nipónica tem gerido os procedimentos deste caso.

Ghosn chegou à Nissan em 1999 como presidente executivo para liderar a recuperação do fabricante, com sede em Yokohama, nos arredores de Tóquio, depois de ter oficializado uma aliança com a francesa Renault.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Veneno de tarântula pode ser benéfico no tratamento de dores viscerais

Uma equipa de investigadores australianos identificou dois peptídeos do veneno da tarântula, que podem ajudar a aliviar dores em órgãos do sistema digestivo. Há algum tempo que os cientistas investigam a funcionalidade do veneno em doenças, …

Cientistas propõem reciclar beatas de cigarro para fazer tijolos

Os cientistas afirmam que se apenas 2,5% dos tijolos produzidos em todo o mundo, anualmente, incluíssem 1% de beatas, seria possível reciclar todas as pontas de cigarro a nível global. Um grupo de investigadores da Escola …

Taxa de natalidade desce quase um terço em cidade chinesa

As autoridades chinesas reconheceram oficialmente que a taxa de nascimentos em Xinjiang, cidade situada no noroeste da China, desceu quase um terço em 2018, comparada com o ano anterior. De acordo com a CNN, o governo …

Dynetics revela o módulo lunar do programa Artemis (incluindo o interior)

A empresa norte-americana Dynetics revelou, no dia 15 de setembro, um modelo em escala real do módulo lunar especialmente projetado para levar os astronautas da NASA à Lua já em 2024, como parte do programa …

Polícia de Nova Iorque de origem tibetana acusado de espiar ao serviço da China

Um polícia nova-iorquino originário do Tibete foi acusado de espionagem pelas autoridades norte-americanas por, supostamente, ter recolhido para o Governo chinês informações sobre a comunidade tibetana em Nova Iorque. De acordo com a acusação das autoridades …

Football Leaks. PJ desconhecia acesso das autoridades francesas às provas

O inspetor da PJ, José Amador, revelou, esta terça-feira, que esta polícia não teve conhecimento do acesso das autoridades francesas às provas apreendidas a Rui Pinto durante a sua detenção na Hungria. Na quinta sessão do …

Aldeões ajudam tropas indianas que enfrentam militares chineses nos Himalaias

Cerca de 100 residentes da vila de Chushul atravessam o território indiano de Ladakh para chegar a um pico dos Himalaias conhecido como Black Top, a uma altitude de mais de 4500 metros, levando suprimentos …

Detido na Rússia líder religioso que diz ser a reencarnação de Jesus

O líder religioso, que diz ser a reencarnação de Jesus, foi detido, na Rússia, esta terça-feira, durante uma operação especial. De acordo com as imagens divulgadas pelo jornal The Guardian, vários agentes da polícia, armados e …

Covid-19: Universidade de Coimbra tem novo programa de rastreio aleatório para alunos e docentes

A Universidade de Coimbra (UC) preparou um Plano de Prevenção e Protocolo de Atuação para garantir o regresso às aulas em segurança para alunos, professores, docentes e comunidade. "Tendo em conta a situação pandémica que estamos …

Jogador substituído aos 14 segundos

Substituição insólita foi realizada na primeira divisão da Estónia. Jovem nem tocou na bola. Jogo da 21.ª jornada do campeonato nacional da Estónia, primeira divisão. O FCI Levadia recebe o JK Nõmme Kalju e vence por …