Mercado de compras online pode não ser tão lucrativo quanto se pensa (e pode estar perto do fim)

Muitas pessoas provavelmente presumem que as lojas online estão a fazer uma fortuna, mas a realidade é bem diferente. Muitas atividades de comércio eletrónico são, na verdade, não lucrativas.

Se as pessoas tivessem que pagar o custo real do que compravam online, provavelmente comprariam menos. Na verdade, investigadores acham que há um ponto de inflexão a aproximar-se, quando os consumidores terão que pagar mais por compras online ou ter menos produtos e serviços para escolher.

Comecemos pelo sucesso da Amazon, que registou lucros e receitas recordes em 2018. Esta é uma ótima notícia para os acionistas da Amazon, mas uma observação mais profundo revela um panorama diferente. Para começar, a maior parte do lucro não veio das atividades de retalho.

A Amazon Web Services, um serviço de hospedagem na cloud, gerou mais receitas operacionais do que toda a operação de vendas online da empresa norte-americana — e com margens cinco vezes mais altas.

Mesmo assim, este foi um desempenho muito melhor da divisão de vendas online em comparação com 2017, quando a receita operacional da empresa foi completamente contrabalançada pelas perdas nas vendas online. Nesse ano, a receita operacional positiva da Amazon foi inteiramente graças ao negócio da cloud.

Impulso no lucro

A melhoria das vendas online da Amazon em 2018 surgiu graças ao aumento do custo do comércio eletrónico para o consumidor. Por exemplo, a Amazon aumentou o custo anual de membro do serviço de atendimento ao cliente prioritário Prime em 20%, fixando-se atualmente nos 119 dólares.

De acordo com uma estimativa, este aumento nos EUA representou quase um terço da margem operacional da Amazon North America em 2018. No entanto, nem toda esta lucratividade extra parece sustentável: a Amazon está a registar um crescimento menor na América do Norte e um declínio em alguns países.

A Amazon também tem visado os produtos CRaP (Cannot Return a Profit), que são aqueles que o lucro não é suficiente para cobrir os custos, como água engarrafada, refrigerantes e snacks.

A Amazon tem pressionado os fabricantes destes produtos a reduzir os custos de vendas. É improvável que isso aconteça, visto que em muitos casos há pouco espaço para melhorias. Isto forçará a Amazon a escolher entre cobrar mais por esses produtos ou simplesmente deixar de os vender, o que se traduzirá em preços mais altos para os consumidores ou numa seleção mais restrita no site.

O principal rival, o Walmart, tem as suas próprias técnicas para tentar tornar as vendas online mais lucrativas. A nova abordagem aos produtos CRaP é escondê-los dos resultados de pesquisa do consumidor, mostrando-os como estando fora de stock.

Visto como um todo, o ponto de inflexão nas compras online mencionado anteriormente pode estar a aproximar-se. Podemos ter atingido o pico de conveniência e preços baixos, e agora estaremos a entrar num mundo de ofertas mais direcionadas, com menos cobertura geográfica e talvez preços ainda mais altos — tudo isto vai desacelerar a curva de crescimento deste negócio.

PARTILHAR

RESPONDER

Netflix retira imagens de suicídio de "13 Reasons Why"

A Netflix modificou o episódio da série "13 Reasons Why" onde apareciam imagens do suicídio da protagonista Hannah Baker (Katherine Langford), passando agora essa parte da ação a ocorrer de forma totalmente oculta para os …

Belinda Sharpe é a primeira árbitra do râguebi australiano em 111 anos

Belinda Sharpe vai tornar-se na primeira árbitra de campo na história de 111 anos da liga profissional de râguebi na Austrália, quando dirigir um jogo do campeonato agendado para quinta-feira. A Liga Nacional de Râguebi (NRL) …

Os chimpanzés não têm noção de justiça e aceitam desigualdades

Os chimpanzés carecem da noção de justiça e aceitam a desigualdade na repartição de comida ou materiais, segundo a investigadora Nereida Bueno. A cientista, da Universidade Pontificia de Camillas, que participou num estudo publicado esta semana …

Descartar drogas pelo esgoto pode criar "meta-caimões" nos Estados Unidos

O Departamento da Polícia de Loretto, no estado norte-americano do Tennessee, alertou este sábado para os perigos associados à eliminação de narcóticos através das canalizações das casas de banho. Numa publicação na página oficial de Facebook, …

Descoberta nova via terapêutica para tratar o Alzheimer

Um grupo de cientistas descobriu uma nova via terapêutica para tratamento do Alzheimer, que segundo os investigadores cria “alguma esperança” para travar o desenvolvimento da doença em estágios mais iniciais. O projeto, cujas conclusões foram publicadas …

Exército de carraças está a dizimar vacas (e pode chegar aos humanos)

Uma espécie invasiva de carraças já dizimou um quinto da população de vacas na Carolina do Norte. Os cientistas temem que o próximo alvo podem ser os humanos. A espécie de carraça Haemaphysalis longicornis tem feito …

Ucrânia aprova castração química para pedófilos

Na Ucrânia, será administrada uma injeção que reduz o libido aos pedófilos. A legislação vai aplicar-se a homens com idades entre os 18 e os 65 anos que forem considerados culpados de violação ou abuso …

Em vez de desaparecer, ilhas do Pacífico poderão mudar de forma

Países insulares como Tuvalu, Toquelau e Kiribati passam o nível do mar em poucos metros. Estes são Estados considerados vulneráveis ao aquecimento climático do planeta e as populações acreditam que podem desaparecer com a subida …

Morreu o pugilista Pernell Whitaker. O campeão olímpico foi vítima de atropelamento

O pugilista norte-americano Pernell Whitaker morreu atropelado este domingo em Virginia Beach, aos 55 anos. O atleta foi atingido mortalmente quando atravessava a estrada num cruzamento, durante a noite. Num comunicado enviado ao Guardian, o Departamento …

Eis a primeira aterragem autónoma de um avião tripulado

Uma equipa de cientistas alemã criou um sistema que permite à aeronave aterrar autonomamente em qualquer pista, sem nenhum tipo de apoio humano. Enquanto a indústria automóvel tem andado léguas no que toca a inovação em …