Mensagens falsas “mataram” o rei de Espanha. Foi há 450 anos

Museo del Prado / Wikimedia

Filipe II, Rei de Espanha (1527-1598), filho de Carlos I de Espanha e Isabel de Portugal

O fenómeno das notícias e mensagens falsas que se propagam de forma viral nas redes sociais preocupa cada vez mais governos, organizações internacionais e académicos, mas não é algo de novo.

Desde a campanha eleitoral de 2016 nos Estados Unidos, e principalmente nas últimas semanas, com as eleições no Brasil, os holofotes da imprensa voltaram-se para combater as chamadas “fake news”.

Este é um fenómeno viral que se propaga nas redes sociais e preocupa cada vez mais governos, organizações internacionais e académicos, e que pode influenciar o resultado das eleições. Esta sexta-feira, o Tribunal Eleitoral brasileiro abriu uma ação para investigar o envio de mensagens em massa por apoiantes de Jair Bolsonaro

O fenómeno não é novo. No domingo foi revelado que uma rede de sites de notícias falsas, alojados no Canadá, poderão ser da autoria de uma empresa de informática de Santo Tirso, em Portugal. Mas, na verdade, as mensagens falsas são documentadas há vários séculos.

“Antigamente, essas fake news eram citadas nos documentos como ‘notícias falsas’ ou ‘notícias mentirosas’, mas não deixam de ser mentiras propagadas com um propósito desestabilizador”, diz à BBC Almudena Serrano Mota, diretora do Arquivo Histórico de Cuenca, em Espanha.

A principal diferença é que, há séculos atrás, as mensagens falsas não eram disseminadas pelas redes sociais, mas transmitidas diretamente boca a boca. Mas isso não diminuía a sua capacidade destrutiva.

Um exemplo da propagação de notícias falsas ocorreu em 1564 e a vítima foi o homem mais poderoso do mundo na época: o rei espanhol Filipe II.

Um boato no Império

Durante o reinado de Filipe II, o império espanhol atingiu o seu esplendor máximo: expandia-se das Filipinas até à América do Sul – por isso, diziam que o sol nunca se punha nos seus domínios – ou seja, quando desaparecia no Ocidente, surgia no Oriente.

Com um vasto território, imagine o que aconteceria se alguém fizesse correr um boato sobre a vida do monarca… Foi exatamente o que aconteceu em 1564, quando “uma notícia falsa foi usada para tentar sabotar seriamente o reinado de Filipe II“, conta Almudena Serrano.

O monarca soube que um boato da sua própria morte “a tiros” se tinha espalhado. A notícia foi divulgada “em Madrid e outras partes dos reinos de Castela”, segundo documentos históricos.

Por essa razão, era necessário evitar, o mais rápido possível, que se propagasse para outras partes da Europa, “diante do risco que implicaria à monarquia“, ressalta o especialista.

“Imediatamente, o rei teve que acionar toda a máquina burocrática dos correios e da transmissão de mensagens, a fim de chegar o mais rápido possível às áreas que considerava convenientes que aquela notícia falsa era um boato sem fundamento”, diz Serrano.

Assim, o rei enviou cartas aos seus diplomatas pedindo-lhes que neutralizassem os rumores e que fizessem vir à tona “a verdade em todos os lugares”. Além disso, ordenou “uma grande diligência para descobrir de onde surgira o boato e com que propósito”, segundo consta na documentação do Arquivo Geral de Simancas, em Castela e Leão.

Ainda que, para o monarca, “o objetivo fosse claro”: “Está subentendido que foi propagado com má intenção”, diz a documentação.

Segundo Serrano, nunca se soube a origem do boato. “Mas quase tão importante do que descobrir a autoria era conseguir que o falso assassinato do rei não se espalhasse. Significaria uma perda de prestígio para a monarquia (o suposto facto de) terem conseguido assassinar o rei de Espanha”, diz o especialista.

Nem a primeira, nem a última

Essa não foi a única mensagem falsa que afetou a monarquia espanhola na época. Antes, o pai de Filipe II, o imperador Carlos V, também havia sido vítima de uma notícia falsa sobre a sua alegada morte.

O caso foi relatado pelo embaixador espanhol em Génova, que informou o rei que os seus inimigos na Alemanha tinham espalhado o rumor entre os soldados espanhóis:

“As notícias vêm do acampamento dos inimigos. Muitos declararam publicamente que, se soubessem que o imperador estava vivo, que não serviriam outro homem, é um sinal de que os franceses espalharam que a sua majestade está morta” , diz outro documento preservado no Arquivo Geral de Simancas.

“Circularam boatos sobre outras mortes, navios holandeses que disseminaram notícias falsas sobre rebeliões contra o rei da Espanha, por exemplo, nas ilhas do Pacífico, durante o reinado de Filipe IV, ou rumores de falsos tratados de paz que eram notoriamente prejudiciais à monarquia espanhola”, acrescenta Serrano.

ZAP // BBC

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

    • Ah?!
      Se não sabes, devias consultar a Internet antes de escrever… o pior é que esse rei (Filipe II) até foi rei de Portugal a partir de 1580!
      O Reino de Espanha teve o seu inicio na unificação de Castela e Aragão em 1469, portanto foi há 549 anos!.

      • Eu pus apenas a minha dúvida e penso não ter ofendido ninguém e por essa razão aceitaria um esclarecimento com todo o respeito, não aceito é autoritarismos teus um pouco habituais nos teus comentários. Cumprimentos.

      • Mesmo podendo estar duvidoso no caso das datas compreendo que alguns Miguéis de Vasconcelos se sintam por vezes incomodados quando toca à soberania espanhola e tenham que escrever qualquer coisa.

  1. Só um esclarecimento: na notícia relatam que o pai de Filipe II foi Carlos I de Espanha e a mãe Isabel de Portugal… Adiante está escrito: «Antes, o pai de Filipe II, o imperador Carlos V,…» …
    Antes que “alguém” ponha em dúvida a autenticidade da notícia, tomo a liberdade de ESCLARECER que se trata da MESMA PESSOA: Carlos I de Espanha E Carlos V do Sacro Império Romano Germânico, que deteve os 2 títulos em «união pessoal», por ter herdado o reino de Espanha da mãe (Joana a Louca) e o Império pelo pai (Filipe de Habsburgo).

RESPONDER

Ministério dispensa quase todos os alunos da renovação de matrículas (após ataques informáticos e o desespero dos pais)

As matrículas online são agora obrigatórias apenas para os alunos que no próximo ano lectivo vão iniciar os 5.º, 7.º e 10.º anos de escolaridade. O anúncio é feito pelo Ministério da Educação depois das …

"Estavam prontos para bater". Atleta Ricardo dos Santos vai processar polícia londrina

O atleta português Ricardo dos Santos disse na segunda-feira que não demorou mais de 20 segundos a parar o carro, quando lhe foi pedido pelas autoridades em Londres, e garantiu que vai processar a polícia …

Motorista de autocarro em morte cerebral depois de agressões de passageiros em França

Um motorista de autocarro foi declarado em morte cerebral esta segunda-feira, em França, depois de ter sido agredido no domingo por passageiros a quem recusou a entrada no transporte público. No domingo à noite, um motorista …

Erro de laboratório origina 20 casos em dois clubes da Liga búlgara

Vinte pessoas estão infetadas com o novo coronavírus, após um futebolista com covid-19 ter participado no duelo entre o Cherno More e o Tsarko Selo, da Liga búlgara, devido ao erro de um laboratório, foi …

Soleimani foi assassinado de forma "ilegal e arbitrária", considera perita da ONU

A relatora especial da ONU, Agnes Callamard, considera que os Estados Unidos não apresentaram provas suficientes para justificar o ataque. Uma especialista da ONU concluiu que o general iraniano Qasem Soleimani, morto num raide norte-americano …

Bolsonaro infetado com covid-19

A imprensa brasileira confirmou, esta terça-feira, que o Presidente Jair Bolsonaro está infetado com covid-19. O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, testou positivo à covid-19. De acordo com a Globo, a informação foi avançada pelo próprio, …

Costa avisa que vem aí a "fase mais crítica" dos incêndios e pede prevenção

O primeiro-ministro participou numa reunião de acompanhamento e monitorização sobre prevenção e combate a fogos florestais e advertiu, esta terça-feira, que Portugal entra agora na fase mais crítica. Esta terça-feira, o primeiro-ministro advertiu que Portugal entra …

"Fracasso" no combate à covid-19. Diretora de Saúde de Israel demite-se

Siegal Sadetzki, diretora dos serviços públicos do Ministério da Saúde de Israel, denunciou o "fracasso" das autoridades em retardar a propagação da covid-19 no país, apresentando a sua demissão. Uma responsável do Ministério da Saúde de …

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação

Quase 900 professores vão entrar nos quadros do Ministério da Educação, no âmbito do concurso externo imposto ao Estado pela União Europeia. Mais de 800 professores passaram a integrar os quadros do Ministério da Educação através …

Após saída do primeiro-ministro, Macron faz remodelação governamental e muda ministros-chave

O Presidente francês Emmanuel Macron aproveitou a mudança de primeiro-ministro para levar a cabo uma profunda remodelação do seu Governo. Anunciada na segunda-feira, a grande mudança é o novo ministro do Interior, Gérald Darmanin, até …