Medina impede intervenção de munícipe em reunião da Câmara e expulsa-o da sala

Esta quinta-feira, Fernando Medina impediu um munícipe de falar numa reunião pública da Câmara Municipal de Lisboa. O indivíduo acabou por ser expulso pelo autarca.

Esta quinta-feira, numa reunião pública da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina impediu um munícipe de falar. A pedido do autarca, o indivíduo acabou por ser expulso da sala pela Polícia Municipal, saindo a gritar que iria pôr termo à vida.

Segundo o Observador, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa tinha acabado de anunciar o ponto 3 da ordem de trabalhos quando um cidadão se levantou e pediu a palavra. Medina recusou, por estar a interromper a sessão.

“O senhor não tem direito à palavra neste momento. Está a interromper uma reunião de câmara”, disse, pedindo para o munícipe abandonar a sala de reuniões.

O autarca tentou prosseguir a reunião, mas o munícipe não desistiu e continuou a interromper, insistindo que tinha o direito de falar. A Polícia Municipal tentava convencer o indivíduo a sair, mas este ia ficando cada vez mais exaltado com a situação. Acabou por ser retirado da sala.

Todos os munícipes inscritos no período do público tinham sido chamados e Medina frisou que o cidadão em questão não se tinha manifestado nesse momento. Além disso, o munícipe tinha uma reunião marcada com a Unidade de Coordenação Territorial (UCT) e uma inscrição para a Assembleia Municipal, pelo que o motivo que o levava a pedir a palavra já estaria a ser resolvido.

João Gonçalves Pereira, vereador do CDS-PP, e João Ferreira, vereador do PCP, defenderam o munícipe, afirmando que este tem o direito de intervir tantas vezes quantas desejo no espaço público e no tempo que é reservado para o efeito.

Por sua vez, Fernando Medina defendeu que não se pode ouvir sempre as mesmas pessoas quando não há qualquer desenvolvimento sobre o caso, especialmente quando há agendamentos com os serviços municipais.

Além disso, segundo as explicações do autarca, o indivíduo não estava inscrito para falar, não pediu a palavra no tempo que era destinado ao público e interrompeu uma reunião de Câmara. E reforça: a interrupção “de forma intempestiva não é aceitável”.

ZAP //

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Pois, dei-me ao trabalho de ver o vídeo (para quem não se quiser dar ao trabalho de procurar, ver no ponto 2:20:32).
    O senhor quis intervir anteriormente, numa outra reunião aberta ao público. Apesar de estar inscrito, foi-lhe dito para voltar na seguinte reunião. Assim fez e compareceu à reunião onde acabaria por se verificar este triste episódio. Tentou inscrever-se para falar (apesar de já ter indicações para falar, prestadas na última reunião). Nem ele, nem uma senhora, foram aceites para falar, embora depois a senhora tenha constado da lista de pessoas que foram chamadas para intervir. Isto aconteceu mesmo havendo disponibilidade temporal de ouvir mais pessoas.
    Quando o senhor interviu, foi mandado calar e foi chamada a polícia para colocar o senhor na rua, o que aconteceu recorrendo à força.
    O protagonista do episódio (aquele a quem chamam presidente) é um rapaz que chegou à presidência sem voto dos cidadãos, mais ou menos como acontecia na monarquia, que iniciou a sua vida ativa nas associações e federações de estudantes (quem conhece a realidade sabe do que estou a falar), que teceu duríssimas críticas a um presidente de junta por estar ao lado do povo e não querer parquímetros que iriam atrapalhar muito as pessoas dessa junta de freguesia. É também um rapaz com jeito para o negócio, principalmente no imobiliário e a gastar o que é nosso, em negócios de milhões, com proveito para…

  2. Este Presidente era um autêntico lambe-botas de Costa. Já aparenta similitude com tiques de ditadura ! Para onde caminhamos?

  3. Isso não se passa só em Lisboa, isso é o pão nosso de cada dia em todos e repito em todos os municípios deste Portugal e ainda querem dar mais poder a esses senhores. viva a democracia!

    • Verdade….. Ainda não chegaram ao cumulo de me expulsarem mas não respondem às perguntas, provávelmente incómodas…. Mas também é verdade que somos muitos poucos os que se preocupam com a fiscalização pública dos autarquas e que utilizam os periodos de intervenção pública para esse efeito…. Ainda são heranças do fascismo, talvez impregnadas nos genes… Somos um povo de bananas que pagam sempre sempre e não bufam nada…… Já desisti porque ELES levam sempre a melhor e não quero ver os meus filhos perseguidos pelo meu discurso NÃO politicamente correcto.

  4. Já e mesmo já…Fora esse medina,pois o feito é repugnavel….
    Qual o mal de ouvir o municipe???
    Se não gostasse é problema do medina…
    Mas o municipe representa os liboetas…Todos.
    Já fora com esse medina.
    Deve ter o rabo preso….

  5. querem conhecer uma pessoa deem-lhe poder!
    é caricato um trabalhador (presidente da camara) agir desta forma perante o seu patrão (municipe)

  6. Este artista democrata à xuxalista vai-nos habituando ao que há-de estar para vir… sobe ao poder sem ser eleito (tal como aquele a quem lembeu e lambe as botas), sobe ao Pico sem ignorando as regras instituidas (terá pago a tal multa ou foi/sera condecorado?)… Enfim um esbirro que os conterraneos Portuenses devem desejar por muito tempo lá para os lados da Mouraria!

Responder a bruno Cancelar resposta

Cientistas criaram o som mais alto de sempre

O som foi produzido debaixo de água ao fazer colidir minúsculos jatos de água com pulsos de raio-X. O barulho gerado é superior ao do lançamento de um foguete. A experiência foi realizada como parte de …

Plutão pode esconder um oceano líquido debaixo de uma camada de gás

Uma das características mais marcantes de Plutão é o seu coração, também conhecido como Tombaugh Regio, uma grande região de cor clara de aproximadamente 1.590 quilómetros de diâmetro. O seu lobo esquerdo, o Sputnik Planitia, é …

Selfies estão a destruir muralha romana considerada Património Mundial da UNESCO

Uma parte da antiga Muralha de Adriano, no Reino Unido, está a colapsar por causa dos turistas que procuram o local para tirar selfies. O monumento, que em 1987 foi considerado Património Mundial da UNESCO, inspirou …

Carros vão mudar mais numa década do que aquilo que mudaram num século

Embora a aparência dos carros tenha mudado nos últimos cem anos, a maneira como os conduzimos pouco ou nada mudou. Contudo, acredita-se que na próxima década, além da forma como se movimentam ser diferente, também …

São Francisco lidera ranking das cidades onde se recebe melhor

O American Dream está claramente destacado no ranking das cidades onde se recebe melhor, mas há alguns "intrusos" no meio desta lista. Das dez cidades eleitas, há apenas quatro europeias. Apenas três continentes estão representados no …

Em 30 anos, Amazónia perdeu 953 mil hectares de áreas protegidas

Nos últimos 30 anos, a Amazónia perdeu 953 mil hectares em áreas pertencentes a unidades de conservação e terras indígenas que deveriam estar preservadas. A Amazónia brasileira perdeu 953 mil quilómetros em áreas que foram desflorestadas …

Mulheres e meninas norte-coreanas forçadas a prostituir-se e a casar-se na China

Mulheres e meninas norte-coreanas são coagidas, vendidas ou raptadas na China ou traficadas diretamente da Coreia do Norte, denuncia a Korea Future Initiative. As mulheres são forçadas a casar-se, violadas e sujeitas a outros tipos …

Trump corta financiamento para centros de investigação de saúde infantil

A administração de Trump está a terminar o financiamento para uma rede de centro de investigação focados em ameaças ambientais para crianças, colocando em risco vários estudos de longa data sobre os efeitos dos poluentes …

PJ detém ex-diretor da Santa Casa de Ponte de Sor

Um antigo diretor e contabilista de uma Santa Casa da Misericórdia do distrito de Portalegre foi esta quarta-feira detido pela Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas dos crimes de peculato e participação económica em negócio, foi …

Costa diz que só soube do memorando de Tancos no dia da demissão de Azeredo

O primeiro-ministro, António Costa, diz que só soube do memorando da Polícia Judiciária Militar (PJM) sobre o assalto a Tancos no dia em que o então ministro da Defesa, Azeredo Lopes, apresentou a sua demissão. A …