Medina impede intervenção de munícipe em reunião da Câmara e expulsa-o da sala

Esta quinta-feira, Fernando Medina impediu um munícipe de falar numa reunião pública da Câmara Municipal de Lisboa. O indivíduo acabou por ser expulso pelo autarca.

Esta quinta-feira, numa reunião pública da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina impediu um munícipe de falar. A pedido do autarca, o indivíduo acabou por ser expulso da sala pela Polícia Municipal, saindo a gritar que iria pôr termo à vida.

Segundo o Observador, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa tinha acabado de anunciar o ponto 3 da ordem de trabalhos quando um cidadão se levantou e pediu a palavra. Medina recusou, por estar a interromper a sessão.

“O senhor não tem direito à palavra neste momento. Está a interromper uma reunião de câmara”, disse, pedindo para o munícipe abandonar a sala de reuniões.

O autarca tentou prosseguir a reunião, mas o munícipe não desistiu e continuou a interromper, insistindo que tinha o direito de falar. A Polícia Municipal tentava convencer o indivíduo a sair, mas este ia ficando cada vez mais exaltado com a situação. Acabou por ser retirado da sala.

Todos os munícipes inscritos no período do público tinham sido chamados e Medina frisou que o cidadão em questão não se tinha manifestado nesse momento. Além disso, o munícipe tinha uma reunião marcada com a Unidade de Coordenação Territorial (UCT) e uma inscrição para a Assembleia Municipal, pelo que o motivo que o levava a pedir a palavra já estaria a ser resolvido.

João Gonçalves Pereira, vereador do CDS-PP, e João Ferreira, vereador do PCP, defenderam o munícipe, afirmando que este tem o direito de intervir tantas vezes quantas desejo no espaço público e no tempo que é reservado para o efeito.

Por sua vez, Fernando Medina defendeu que não se pode ouvir sempre as mesmas pessoas quando não há qualquer desenvolvimento sobre o caso, especialmente quando há agendamentos com os serviços municipais.

Além disso, segundo as explicações do autarca, o indivíduo não estava inscrito para falar, não pediu a palavra no tempo que era destinado ao público e interrompeu uma reunião de Câmara. E reforça: a interrupção “de forma intempestiva não é aceitável”.

ZAP //

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Pois, dei-me ao trabalho de ver o vídeo (para quem não se quiser dar ao trabalho de procurar, ver no ponto 2:20:32).
    O senhor quis intervir anteriormente, numa outra reunião aberta ao público. Apesar de estar inscrito, foi-lhe dito para voltar na seguinte reunião. Assim fez e compareceu à reunião onde acabaria por se verificar este triste episódio. Tentou inscrever-se para falar (apesar de já ter indicações para falar, prestadas na última reunião). Nem ele, nem uma senhora, foram aceites para falar, embora depois a senhora tenha constado da lista de pessoas que foram chamadas para intervir. Isto aconteceu mesmo havendo disponibilidade temporal de ouvir mais pessoas.
    Quando o senhor interviu, foi mandado calar e foi chamada a polícia para colocar o senhor na rua, o que aconteceu recorrendo à força.
    O protagonista do episódio (aquele a quem chamam presidente) é um rapaz que chegou à presidência sem voto dos cidadãos, mais ou menos como acontecia na monarquia, que iniciou a sua vida ativa nas associações e federações de estudantes (quem conhece a realidade sabe do que estou a falar), que teceu duríssimas críticas a um presidente de junta por estar ao lado do povo e não querer parquímetros que iriam atrapalhar muito as pessoas dessa junta de freguesia. É também um rapaz com jeito para o negócio, principalmente no imobiliário e a gastar o que é nosso, em negócios de milhões, com proveito para…

  2. Este Presidente era um autêntico lambe-botas de Costa. Já aparenta similitude com tiques de ditadura ! Para onde caminhamos?

  3. Isso não se passa só em Lisboa, isso é o pão nosso de cada dia em todos e repito em todos os municípios deste Portugal e ainda querem dar mais poder a esses senhores. viva a democracia!

    • Verdade….. Ainda não chegaram ao cumulo de me expulsarem mas não respondem às perguntas, provávelmente incómodas…. Mas também é verdade que somos muitos poucos os que se preocupam com a fiscalização pública dos autarquas e que utilizam os periodos de intervenção pública para esse efeito…. Ainda são heranças do fascismo, talvez impregnadas nos genes… Somos um povo de bananas que pagam sempre sempre e não bufam nada…… Já desisti porque ELES levam sempre a melhor e não quero ver os meus filhos perseguidos pelo meu discurso NÃO politicamente correcto.

  4. Já e mesmo já…Fora esse medina,pois o feito é repugnavel….
    Qual o mal de ouvir o municipe???
    Se não gostasse é problema do medina…
    Mas o municipe representa os liboetas…Todos.
    Já fora com esse medina.
    Deve ter o rabo preso….

  5. querem conhecer uma pessoa deem-lhe poder!
    é caricato um trabalhador (presidente da camara) agir desta forma perante o seu patrão (municipe)

  6. Este artista democrata à xuxalista vai-nos habituando ao que há-de estar para vir… sobe ao poder sem ser eleito (tal como aquele a quem lembeu e lambe as botas), sobe ao Pico sem ignorando as regras instituidas (terá pago a tal multa ou foi/sera condecorado?)… Enfim um esbirro que os conterraneos Portuenses devem desejar por muito tempo lá para os lados da Mouraria!

RESPONDER

Descoberto o segredo da sobrevivência dos antigos povos dos Andes

Uma nova investigação, baseada nos antigos assentamentos das populações que viveram na Cordilheira dos Andes, revelou que estes povos sofreram mutações genéticas que lhes permitiram sobreviver em condições tão adversas. De acordo com o novo …

Os bebés riem-se como os chimpanzés

Um estudo recente concluiu que as gargalhadas dos bebés não são semelhantes às dos humanos adultos, mas sim às dos chimpanzés. Há poucas coisas no mundo capazes de fascinar um adulto como o riso de um …

"Furacão" de matéria escura vai colidir com a Terra

Se os cálculos de uma equipa de astrónomos estiverem corretos, o Sistema Solar estará, em breve, no meio de um evento turbulento: um "furacão" de matéria escura, a soprar a uma velocidade de 500 quilómetros …

Irlanda investiga avistamento de OVNIs ao largo da costa

Após relatos de luzes e avistamento de OVNIs na costa sudoeste do país, a Autoridade da Aviação da Irlanda (IAA) deu início a uma investigação oficial. Eram quase 7 horas da manhã da passada sexta-feira quando …

Os "drones tubarão" que comem lixo das águas estão a chegar ao Dubai

Os WasteSharks, produzidos pela empresa tecnológica holandesa RanMarine, chegam este mês ao Dubai. Operam já em 2 países e estão aptos a recolher lixo, testar a qualidade da água e filtrá-la. Concebidos em 2016 e inspirados …

Açores desliga as luzes à noite para salvar espécie ameaçada

O arquipélago dos Açores tem uma medida em vigor para preservar uma espécie de aves ameaçada. Esta medida reflete-se também na redução da conta da eletricidade. As cagarras são uma uma espécie ameaçada, que vivem no …

Templo Satânico exige 133 milhões à Netflix por plágio de estátua

O Templo Satânico, localizado em Massachusetts, nos EUA, abriu um processo contra a Netflix por plagiar uma estátua na série "O Mundo Sombrio de Sabrina". A indemnização ultrapassa os 133 milhões de euros. O grupo denunciou …

Telemóveis ao volante dão 115 multas por dia

O número de multas nas estradas por usar o telemóvel durante a condução disparou este ano, quando comparado com o ano passado. Só até setembro, foram passadas 115 multas por dia, em média, pela PSP …

Bolsonaro pagou à Google (236 euros) para divulgar conteúdos

A Google informou esta segunda-feira o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o Partido Social Liberal, do recém-eleito presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, pagou cerca de 236 euros pela disseminação de conteúdos na Internet. A Google foi …

Empresas portuguesas não estão preocupadas com possibilidade de corrupção

Mais de metade das empresas que participaram no primeiro inquérito nacional sobre a responsabilidade social empresarial não divulga nem adota planos de prevenção da corrupção. Segundo as conclusões do Inquérito Nacional sobre Conduta Empresarial Responsável e …