Medina adianta até três meses de renda a proprietários que adiram ao Renda Segura

Os proprietários já se podem candidatar ao Programa Renda Segura para arrendarem as suas casas à Câmara de Lisboa, que depois as vai subarrendar a preços acessíveis, com uma majoração para quem tenha imóveis de Alojamento Local (AL).

O anúncio foi feito esta segunda-feira pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), numa conferência de imprensa transmitida ‘online’.

O autarca destacou que o programa “é dirigido em primeiro lugar aos proprietários da cidade que procuram com o seu imóvel ter um rendimento”, com “condições especiais” para aqueles que tenham “imóveis atualmente no Alojamento Local”.

“Sabemos todos do esforço que muitos proprietários fizeram na reabilitação dos imóveis para o Alojamento Local. Sabemos também que, infelizmente, fruto da situação que vivemos, o turismo será das atividades que mais tarde irá recuperar”, notou o autarca.

A Câmara de Lisboa vai, por isso, pagar mais pela renda aos proprietários de AL – que se refletirá também na renda a pagar pelo inquilino – de modo a “ficar com o mobiliário que está dentro desses imóveis”, que “depois serão subarrendados nas mesmas condições aos jovens e às famílias das classes médias”, explicou Fernando Medina.

Estas casas, que serão arrendadas conforme preços estipulados no Programa de Renda Acessível do município, permitirão “aumentar a bolsa de imóveis a rendas acessíveis” na capital e têm também como objetivo que mais pessoas possam viver no centro de Lisboa, realçou o presidente da câmara.

“Esta pandemia que vivemos veio tornar ainda mais evidente a urgência de acelerarmos a transição para uma cidade mais verde, mais sustentável, com menos poluição. Sabemos que a melhor forma de fazer isto é fazer com que as pessoas vivam mais perto dos seus empregos, mais perto do sítio onde têm os seus filhos a estudar. Mais perto do sítio onde podem ter acesso à cultura, ao comércio, ao lazer”, argumentou.

Três anos pagos à cabeça

Fernando Medina sublinhou também que o município vai pagar “rendas atrativas” aos proprietários, que ficarão isentos de riscos, uma vez que é a Câmara de Lisboa que lhes pagará o montante do arrendamento “a tempo e horas” e que ficará “com o risco da gestão do inquilino ao qual venha a subarrendar” uma casa.

“É uma renda fixa, constante, paga a tempo e horas, sem riscos, sem complicações sem maçadas”, defendeu, acrescentando que estes imóveis ficam isentos de IRS, IRC e IMI.

Além disso, continuou Medina, a autarquia poderá “pagar à cabeça até três anos de renda”, para quem opte por um pagamento anual, “um importantíssimo apoio que se dirige àqueles que tenham custos no imediato”, como realização de pequenas obras, ou “que precisem de uma receita adicional”.

Segundo os “valores de referência de renda”, os limites máximos a pagar pelo município serão de 450 euros para um T0, 600 euros para um T1, 800 euros para um T2, 900 euros para um T3 e 1.000 euros para casas de tipologia T4 ou superior.

Estes valores variam, porém, consoante as freguesias onde se situam os imóveis e a câmara optará pelas propostas economicamente mais vantajosas, disse à agêbcu Lusa fonte oficial da autarquia.

Já a majoração de rendas para os proprietários de AL será de 10%, incluindo nos casos em que a câmara já paga um valor máximo de renda, adiantou a mesma fonte.

As candidaturas aos primeiros 300 imóveis podem ser submetidas pelos proprietários através do ‘site’ www.rendasegura.lisboa.pt, entre esta segunda-feira e o dia 30 de junho.

Em 15 de setembro, a Câmara de Lisboa vai abrir uma segunda fase de candidaturas, até 30 de outubro, disse Medina, escusando-se a adiantar números. O autarca apelou também para que os candidatos sejam céleres na apresentação de propostas.

“Quanto mais cedo concorrerem, mais cedo nós podemos fazer os contratos, mais cedo os proprietários recebem as rendas, mais cedo nós disponibilizaremos as casas para os jovens e para as famílias das classes medias”, salientou o presidente da câmara na conferência de imprensa.

O Programa Renda Segura, aprovado pela câmara em março, com o voto a favor do PS e a abstenção de todos os restantes partidos, terá um custo anual de cerca de quatro milhões para o município e os contratos têm um prazo de, pelo menos, cinco anos.

De acordo com um comunicado divulgado no domingo, a autarquia pretende ter “mais de 1.000 casas, até final do ano, para disponibilizar como Renda Acessível”.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Adeptos portugueses proibidos de entrar na "fan zone" de Budapeste

Momento confuso numa zona da capital da Hungria, na véspera do jogo com Portugal, na estreia no Europeu 2020. A Hungria não escapou ao coronavírus mas, entre os países que recebem jogos do Europeu 2020, é …

Mulher recebe quatro certificados de imunidade - e nenhum é válido

O governo da Hungria está a emitir cartões que garantem que determinada pessoa, na teoria, é imune ao coronavírus. Mas nem tudo corre bem. A vida nas ruas da Hungria é diferente do que se vive …

Novo vídeo mostra morcegos vivos em laboratório de Wuhan (e adensa o mistério sobre a origem da pandemia)

Para já, é possível afirmar que o consenso científico aponta para a origem zoonótica do novo coronavírus, que confirma a versão chinesa de que o patógeno passou de morcegos para um animal e desse para …

Canal 11 anuncia jogos que não transmite (e avisou 5 minutos antes)

Sucedem-se os casos de jogos de futebol que, apesar de estarem inseridos na programação oficial do canal, não são transmitidos, ou são transmitidos noutro dia. Último caso aconteceu em Varzim. O Canal 11 revolucionou a transmissão …

Quadro clínico do candidato do PS à Câmara de Viseu “agrava-se substancialmente”

No domingo, João Azevedo foi internado na unidade de cuidados intensivos coronários do Centro Hospitalar Tondela-Viseu devido a um problema cardiovascular e o estado de saúde agravou-se nas últimas horas. A situação clínica do candidato do …

Turquia 0-2 País de Gales | Rumo aos “oitavos” à boleia de Bale

O País de Gales venceu hoje a Turquia por 2-0, em encontro da segunda jornada do Grupo A do Euro2020 de futebol, disputado em Baku, no Azerbaijão, ficando mais perto dos oitavos de final. Num jogo …

É impossível fiscalizar novas regras da DGS para eventos familiares. "Tem de ser na base da denúncia"

A Direcção-Geral de Saúde (DGS) passou a recomendar a realização de testes à covid-19 em eventos familiares com mais de dez pessoas, como casamentos e baptizados. Mas para fiscalizar esse tipo de situações, só "na …

Aprovado prolongamento de apoios às rendas até ao final do ano

Os apoios às rendas foram concedidos no ano passado, para fazer face às dificuldades criadas pela pandemia de covid-19. A comissão parlamentar de Economia aprovou, esta quarta-feira, o prolongamento dos apoios às rendas habitacionais e comerciais …

PSD volta a apresentar queixa à CNE contra Rui Moreira

Esta quarta-feira, o PSD/Porto acusou o movimento independente liderado por Rui Moreira de enviar informação da apresentação da sua recandidatura à Câmara Municipal "para emails institucionais" do município, acrescentando que vai apresentar queixa à Comissão …

Para Rio, as críticas de Ana Catarina Mendes são de "quem não tem nada para dizer"

As águas entre o PS e o PSD estão agitadas, depois da troca de galhardetes entre o presidente social-democrata, Rui Rio, e a líder parlamentar do PS, Ana Catarina Mendes. Depois de ter sido acusado por …