MB Way. Bancos “fecham” aplicação para cobrar comissões diferenciadas nas transferências

Em pleno arranque do ‘open banking’, os bancos estão a substituir a aplicação MB Way por soluções próprias que “amarram” os clientes, com o propósito de cobrar comissões diferenciadas nas transferências através do telemóvel.

Segundo noticiou o Público no domingo, os cinco maiores bancos a operar no mercado nacional estão a apostar nas aplicações tecnológicas para dar resposta às novas necessidades, cada vez mais digitais, dos consumidores.

Mas a estratégia que está na base dessas soluções (a NB smart app, a App Millennium, a App Caixa Easy, a App Santander e a BPI App) mantém princípios do “velho” modelo de negócio bancário, nomeadamente o de querer que os clientes tenham relações comerciais de exclusividade, penalizando, através da cobrança de comissões, quem quer trabalhar com várias instituições, nacionais ou estrangeiras.

A estratégia de “fechar” o negócio, num momento em que está em curso o ‘open banking’, forçado pela inovação das empresas tecnológicas na área financeira e imposto por legislação comunitária, explica a “concorrência” que os maiores bancos estão a fazer em relação à app MB Way.

A aplicação criada pela SIBS (empresa que gere a rede Multibanco e que é detida pelos maiores bancos) permite o pagamento de compras, realizar transferências imediatas e fazer levantamentos de dinheiro através de um telemóvel de nova geração (‘smartphone’) ou de um tablet.

Mas ao contrário do MB Way, onde todas as operações são gratuitas, e em que é possível associar até oito cartões bancários, de várias instituições financeiras – desde que pertençam ao grupo dos bancos aderentes -, as soluções internas de banco são fechadas, aceitando apenas os cartões bancários de cada instituição e cobrando pelas transferências. As comissões são aplicadas independentemente do valor, que em muitos casos é de poucos euros (o limite máximo é de 2.500 euros recebidos e enviados por mês).

Esta situação, que já esteve subjacente à criação das chamadas contas-pacote, trava a liberdade de muitos clientes que, no limite, têm de instalar várias aplicações para “fintar” as comissões, mas que, em alguns casos, não o conseguirão (caso do BCP, que, embora menos, cobrará nas duas app), avançou o Público.

Isto é contrário à Diretiva dos Serviços de Pagamento, cuja adoção está em curso, e tem como principais objetivos a inovação financeira, a eficiência, a redução de custos e a segurança nos serviços de pagamento.

Os bancos mais avançados na criação de soluções internas, o BPI e o Millennium BCP, foram os primeiros a criar comissões elevadas pelas transferências feitas com os seus cartões (a partir das suas contas) na MB Way, ou seja, fora das app próprias.

O BPI cobra (desde 01 de maio) uma comissão elevada (1,248 euros com imposto de selo) por cada transferência feita através da app MB Way. As transferências realizadas através da BPI app estão, atualmente, isentas.

A partir do próximo dia 17 de junho, o Millennium BCP vai passar a cobrar 52 cêntimos (incluindo imposto do selo) nas transferências realizadas na app Millennium e 1,248 euros aos que utilizarem a aplicação criada pela SIBS.

Isentos de pagamento na app interna ficam os clientes mais jovens (até 23 anos), e os que têm contas Programa Prestige, Programa Prestige Directo, Portugal Prestige, Cliente Frequente ou Millennium Go! (mais de 50% dos clientes, segundo o banco).

A NB smart, do Novo Banco, já garante todas as funcionalidades de MB Way, segundo adiantou ao Público fonte oficial, mas ainda não começou a cobrar, nem revela a partir de quando o poderá fazer. No seu preçário está inscrito a cobrança de 15 cêntimos apenas nas transferências MB Way.

O Santander e a Caixa Geral de Depósitos ainda estão a ultimar algumas funcionalidades, mas será uma questão de semanas ou de poucos meses para estarem disponíveis. O Santander já assumiu que também vai cobrar pelas transferências realizadas por MB Way, possivelmente a partir de julho, mas não revelou os valores nem os critérios de pagamento, e no preçário do banco ainda não consta qualquer valor.

O presidente do banco, Pedro Castro e Almeida, apenas adiantou (na apresentação de contas trimestrais) que a estratégia de comissionamento passará por incentivar o uso aplicação interna, e, tal como no BCP, ficarão isentos os jovens e os clientes com maior envolvimento com o banco.

O banco público tem previsto no preçário o custo de 15 cêntimos para as transferências através da Caixa Easy para MB Way (entre clientes Easy estão isentas) e 0,20 cêntimos para ordens a partir da MB Way.

À solução lançada pela SIBS (criada a 12 de outubro de 2015, entretanto melhorada) já aderiram 22 bancos: ActivoBank, Banco Atlantico Europa, Banco CTT, Bankinter, BBVA, Best Bank, BIG, BPI, Caixa Crédito de Leiria, Caixa Agrícola de Mafra, Caixa Económica da Misericórdia de Angra do Heroísmo, Caixa de Crédito Agrícola, Caixa Geral de Depósitos, Deutsche Bank, EuroBic, Millennium BCP, Montepio, Novo Banco, Novo Banco dos Açores, Popular, Santander Totta e Unicre).

Segundo informação da SIBS, “cerca de 90% dos cartões bancários em circulação em Portugal estão habilitados à adesão ao serviço MB Way”.

TP, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. É nesta, e noutras coisas, que o Banco de Portugal falha redondamente! O BP deveria regular a utilização do MBWAY, e nomeadamente a existência e o valor de comissões!
    Uma app, bem construída e bem pensada, e com fortes probabilidades de falhar, porque… os bancos têm vistas curtas, falta de visão, excesso de ganância e uma grande dose de incompetência!!!
    Se os bancos no passado tivessem tido em relação ao Multibanco, a mesma postura que estão a ter em relação ao MBWay, e cada um tivesse a sua rede de caixas privativa, tinha sido “castrado” à nascença um sistema que se tornou uma história mundial de sucesso!!!
    E o mesmo se pode aplicar às “transferências imediatas”!!! São imediatas, mas… pagando claro!!! E o BP fica calado!!!!! E pagar porquê??? Porque sim!!!! Dá mais trabalho aos bancos? Não!!! Custa horas de trabalho a alguns funcionários? Não!!! Custa energia? Não!!! Facilita a vida a toda a gente? SIM!!! Portanto paga!!!

  2. Tudo só malta porreira…
    Claro que têm de ganhar o deles. Sem discussão, mas já chega de irem ao bolso ao pessoal…
    Quando não é em juros, é em comissões, quando não é nem de uma maneira nem da outra, …é nos impostos…

RESPONDER

Costa já recebeu parecer da PGR sobre negócios de familiares do Executivo

O Governo já recebeu o parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre incompatibilidades familiares. António Costa diz que está "a ler e a apreciar" o parecer. Esta quinta-feira, o Governo recebeu o parecer da Procuradoria-Geral da …

Eduardo Cabrita mantém confiança no presidente da Proteção Civil

O ministro da Administração Interna diz que mantém "plena confiança" no presidente da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que foi constituído arguido no âmbito da investigação ao negócio das golas antifumo. "O Ministro …

Zidane tem lugar em risco em Madrid (e Mourinho pode ser o seu sucessor)

A imprensa espanhola adianta que Zinedine Zidane pode estar de saída do Real Madrid. José Mourinho, Massimiliano Allegri e Xabi Alonso são alguns dos nomes na lista. Segundo O Jogo, que cita o jornal espanhol Marca, …

Gantz recusa proposta de Netanyahu para formar Governo de unidade nacional

Benjamin Netanyahu propôs formar um governo conjunto, mas Benny Gantz respondeu que só aceitará se for ele a liderar. Os resultados finais das eleições desta terça-feira ainda não são conhecidos. O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, apelou …

Barcelona será o primeiro clube a superar receitas de mil milhões de euros

O FC Barcelona anunciou hoje que vai ultrapassar os mil milhões de euros em receitas na presente época, tornando-se o primeiro clube de futebol da história a ultrapassar essa marca. De acordo com as informações prestadas …

"Esta solução de Governo foi construída apesar do Bloco de Esquerda"

A apenas duas semanas das eleições legislativas, António Costa voltou a atacar o Bloco de Esquerda. Em relação ao PCP, o primeiro-ministro manteve o tom ameno. No podcast de Daniel Oliveira, Perguntar Não Ofende, António Costa …

Entre elogios aos debates, Marcelo diz que tenciona continuar a comer carne

O Presidente da República elogiou o nível e o civismo dos debates políticos na pré-campanha eleitoral e considerou que, com "tantas possibilidades de escolha" e empenhamento dos partidos, só se pode esperar uma menor abstenção. "Tenho …

Avião militar russo sobrevoou Portugal para tirar fotografias a áreas estratégicas

Um avião militar da Rússia sobrevoou o espaço aéreo de Portugal continental e do arquipélago dos Açores para fotografar áreas estratégicas. Descolando de Lisboa em direção ao arquipélago dos Açores, a aeronave militar russa, Tupolev 154, …

Políticas de natalidade: "é preciso insistir e persistir"

Para Assunção Cristas, a natalidade continua a ser um problema, num país com cada vez menos nascimentos comparativamente com 1976. Esta quinta-feira à noite, a presidente do CDS-PP defendeu, num debate organizado pelo partido, "políticas concertadas" …

Cientistas reconstruiram pela primeira vez o rosto de uma Denisovana

Feito o mapa metílico do genoma dos Denisovanos, os cientistas tentaram reconstruir pela primeira vez o rosto de uma mulher deste grupo de hominídeos. Mas nem todos os cientistas concordam com o resultado final. Há 15 …