Maternidade só deixa mãe ver as filhas recém-nascidas depois de pagar a conta

Marcello Casal Jr. / ABr

Uma mãe esperou cinco dias para ver as suas filhas recém-nascidas porque não tinha dinheiro para pagar as despesas médicas.

Juliana Logbo esperou cinco dias depois do parto para ver as suas filhas gémeas e recém-nascidas por não ter dinheiro para pagar os 678 euros de despesas médicas que o hospital de Guangzhou, na China, lhe exigia. Para piorar a situação, só conseguiu sair da unidade de saúde oito dias depois do nascimento, quando a conta já ia em quase três mil euros.

Segundo o New York Times, a liberiana costumava acompanhar viagens turísticas de africanos à cidade de Guangzhou. Durante uma dessas visitas, Juliana Logbo entrou em trabalho de parto e teve de ir imediatamente para o hospital.

Após a cesariana de emergência, a equipa de enfermagem teve uma atitude que a jovem de 28 anos não esperava: para além de não a terem deixado pegar nas filhas, Juliana também não as pôde ver. As gémeas foram levadas para a unidade de recém-nascidos mesmo antes de conhecerem a mãe.

No dia seguinte, Juliana Logbo pediu para ver as crianças mas disseram-lhe que teria de pagar 535 euros em taxas de hospitalização se as quisesse ver.

Em que raio de país estou?” perguntou indignada, depois de ter dito que não tinha mais dinheiro. A mãe teve de pagar 110 euros pelo transporte de ambulância e mais 670 euros de depósito, segundo a Visão.

Quando finalmente conseguiu arranjar os 535 euros, graças a uma amiga que a ajudou, já era tarde demais. A conta tinha aumentado para os 678 euros.

Juliana argumentou que não tinha coo pagar a conta do hospital e a administração baixou para os 600euros. Mas, ainda assim, a mãe das meninas não tinha esse dinheiro.

A insistência e desespero da mãe não foi suficiente. O caso só avançou depois de algumas perguntas da correspondente do New York Times à gerência do hospital. Passados cinco dias, Juliana pôde, finalmente, ver as suas filhas.

No entanto, como uma má notícia nunca vem só, Juliana teve de permanecer no hospital. Só oito dias depois é que a mãe pôde sair do estabelecimento e levar as suas filhas consigo. Mas, nessa altura, a conta já estava perto dos três mil euros.

A história terminou com um final feliz, sendo a verba paga com os donativos feitos à família.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Melhor pensando naquele país só se poderá ser mãe se houver dinheiro para pagar a conta os laços maternais nada contam para o caso, pobre humanidade!.

RESPONDER

George Floyd. Minneapolis ia contratar influencers para combater desinformação durante julgamento de Derek Chauvin

A cidade de Minneapolis, nos Estados Unidos, planeava contratar seis influencers para ajudar a partilhar informações durante o julgamento de Derek Chauvin, o ex-polícia acusado de assassinar George Floyd. De acordo com a CNN, o plano …

Imagens revelam que a Coreia do Norte oculta local onde armazena armas nucleares. EUA planeiam agir

As imagens de satélite mostram que a Coreia do Norte tomou medidas para ocultar uma instalação, que as agências de inteligência dos EUA acreditam estar a ser usada para armazenar armas nucleares. A situação fez …

Antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi recebeu envelope com duas balas

O antigo chefe do governo italiano Matteo Renzi recebeu, esta quarta-feira, um envelope com duas balas no interior, uma ameaça imediatamente denunciada por toda a classe política. O envelope foi entregue diretamente na sede do Senado, …

Polícia do Capitólio alerta para ameaça de nova invasão já esta quinta-feira

A polícia do Capitólio, responsável pela segurança do Congresso dos Estados Unidos, alertou para a ameaça de uma milícia invadir a sede do Congresso na quinta-feira, com ligações a uma teoria de conspiração. A agência …

Oito feridos em esfaqueamento na Suécia. Polícia fala em terrorismo

Um homem esfaqueou, esta quarta-feira, um grupo de pessoas na vila de Vetlanda, na Suécia. Há pelo menos oito feridos, que foram transportados para o hospital, e as autoridades policiais suspeitam de um “ataque terrorista”. O …

China testa moeda digital nacional nas principais cidades

A mudança para a moeda digital dá aos governos mais controle sobre o seu dinheiro. É o que procura a China, onde o Executivo está a testar a eCNY, lançada em 2020, em cidades como …

TdC dá luz verde a Linha Rosa e prolongamento da Amarela do Metro do Porto

O Tribunal de Contas (TdC) deu luz verde às empreitadas de construção da Linha Rosa do Metro do Porto e de prolongamento da linha Amarela até Vila d’ Este, em Gaia, disse esta quarta-feira à …

Presidência Trump deixou democracia dos EUA ao nível do Panamá e da Roménia

Um novo recuo de direitos políticos e liberdades no final da presidência de Donald Trump deixou os Estados Unidos ao nível da Roménia e do Panamá, segundo a organização não-governamental Freedom House. No último ano da …

Na visita histórica ao Iraque, Papa vai encontrar cidades devastadas pelo Daesh

O Papa Francisco chega ao Iraque, esta sexta-feira, onde vai visitar várias cidades que foram destruídas pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI). A maioria da população cristã concentra-se no norte do país. "Estamos a correr contra o …

"Esquemas ou pseudo-negócios" de youtubers. Windoh nega "burla" em cursos online

Mais de nove mil pessoas assinaram uma petição que pede à Polícia Judiciária (PJ) e à Procuradoria Geral da República (PGR) que investigue youtubers e influenciadores digitais, que define como "modernos burlões", por alegados "esquemas …