Maternidade só deixa mãe ver as filhas recém-nascidas depois de pagar a conta

Marcello Casal Jr. / ABr

Uma mãe esperou cinco dias para ver as suas filhas recém-nascidas porque não tinha dinheiro para pagar as despesas médicas.

Juliana Logbo esperou cinco dias depois do parto para ver as suas filhas gémeas e recém-nascidas por não ter dinheiro para pagar os 678 euros de despesas médicas que o hospital de Guangzhou, na China, lhe exigia. Para piorar a situação, só conseguiu sair da unidade de saúde oito dias depois do nascimento, quando a conta já ia em quase três mil euros.

Segundo o New York Times, a liberiana costumava acompanhar viagens turísticas de africanos à cidade de Guangzhou. Durante uma dessas visitas, Juliana Logbo entrou em trabalho de parto e teve de ir imediatamente para o hospital.

Após a cesariana de emergência, a equipa de enfermagem teve uma atitude que a jovem de 28 anos não esperava: para além de não a terem deixado pegar nas filhas, Juliana também não as pôde ver. As gémeas foram levadas para a unidade de recém-nascidos mesmo antes de conhecerem a mãe.

No dia seguinte, Juliana Logbo pediu para ver as crianças mas disseram-lhe que teria de pagar 535 euros em taxas de hospitalização se as quisesse ver.

Em que raio de país estou?” perguntou indignada, depois de ter dito que não tinha mais dinheiro. A mãe teve de pagar 110 euros pelo transporte de ambulância e mais 670 euros de depósito, segundo a Visão.

Quando finalmente conseguiu arranjar os 535 euros, graças a uma amiga que a ajudou, já era tarde demais. A conta tinha aumentado para os 678 euros.

Juliana argumentou que não tinha coo pagar a conta do hospital e a administração baixou para os 600euros. Mas, ainda assim, a mãe das meninas não tinha esse dinheiro.

A insistência e desespero da mãe não foi suficiente. O caso só avançou depois de algumas perguntas da correspondente do New York Times à gerência do hospital. Passados cinco dias, Juliana pôde, finalmente, ver as suas filhas.

No entanto, como uma má notícia nunca vem só, Juliana teve de permanecer no hospital. Só oito dias depois é que a mãe pôde sair do estabelecimento e levar as suas filhas consigo. Mas, nessa altura, a conta já estava perto dos três mil euros.

A história terminou com um final feliz, sendo a verba paga com os donativos feitos à família.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Melhor pensando naquele país só se poderá ser mãe se houver dinheiro para pagar a conta os laços maternais nada contam para o caso, pobre humanidade!.

RESPONDER

Misteriosa cruz de mármore com 1.200 anos encontrada no Paquistão

Uma cruz de mármore foi recentemente descoberta no cimo das montanhas do Baltistão, no Paquistão. Os investigadores acreditam que tem cerca de 1.200 anos e que pode ser um sinal da presença de uma antiga …

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …