Maternidade só deixa mãe ver as filhas recém-nascidas depois de pagar a conta

Marcello Casal Jr. / ABr

Uma mãe esperou cinco dias para ver as suas filhas recém-nascidas porque não tinha dinheiro para pagar as despesas médicas.

Juliana Logbo esperou cinco dias depois do parto para ver as suas filhas gémeas e recém-nascidas por não ter dinheiro para pagar os 678 euros de despesas médicas que o hospital de Guangzhou, na China, lhe exigia. Para piorar a situação, só conseguiu sair da unidade de saúde oito dias depois do nascimento, quando a conta já ia em quase três mil euros.

Segundo o New York Times, a liberiana costumava acompanhar viagens turísticas de africanos à cidade de Guangzhou. Durante uma dessas visitas, Juliana Logbo entrou em trabalho de parto e teve de ir imediatamente para o hospital.

Após a cesariana de emergência, a equipa de enfermagem teve uma atitude que a jovem de 28 anos não esperava: para além de não a terem deixado pegar nas filhas, Juliana também não as pôde ver. As gémeas foram levadas para a unidade de recém-nascidos mesmo antes de conhecerem a mãe.

No dia seguinte, Juliana Logbo pediu para ver as crianças mas disseram-lhe que teria de pagar 535 euros em taxas de hospitalização se as quisesse ver.

Em que raio de país estou?” perguntou indignada, depois de ter dito que não tinha mais dinheiro. A mãe teve de pagar 110 euros pelo transporte de ambulância e mais 670 euros de depósito, segundo a Visão.

Quando finalmente conseguiu arranjar os 535 euros, graças a uma amiga que a ajudou, já era tarde demais. A conta tinha aumentado para os 678 euros.

Juliana argumentou que não tinha coo pagar a conta do hospital e a administração baixou para os 600euros. Mas, ainda assim, a mãe das meninas não tinha esse dinheiro.

A insistência e desespero da mãe não foi suficiente. O caso só avançou depois de algumas perguntas da correspondente do New York Times à gerência do hospital. Passados cinco dias, Juliana pôde, finalmente, ver as suas filhas.

No entanto, como uma má notícia nunca vem só, Juliana teve de permanecer no hospital. Só oito dias depois é que a mãe pôde sair do estabelecimento e levar as suas filhas consigo. Mas, nessa altura, a conta já estava perto dos três mil euros.

A história terminou com um final feliz, sendo a verba paga com os donativos feitos à família.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Melhor pensando naquele país só se poderá ser mãe se houver dinheiro para pagar a conta os laços maternais nada contam para o caso, pobre humanidade!.

Responder a paulo Cancelar resposta

De norte a sul do país, autarcas pressionam Governo para fechar escolas

Os diretores escolares esclarecem que não têm qualquer autonomia para encerrar escolas, dependendo essa decisão de um parecer da entidade de saúde pública local e da confirmação por parte dos serviços do Ministério da Educação. …

Muito mais do que tabaco. Cientistas identificam drogas tomadas pelos maias em recipientes antigos

Uma equipa de cientistas da Washington State University identificou a presença de planta que não é do tabaco em recipientes de drogas dos antigos maias. Os investigadores detetaram "marigold mexicana" (Tagetes lucida) em resíduos retirados de …

Pico na primeira semana de fevereiro. Mesmo confinando, modelo prevê 1154 doentes em UCI

Portugal deverá ter 1.154 doentes internados em cuidados intensivos num pico na primeira semana de fevereiro, mesmo com um confinamento igual ao de março, avança um modelo da NOVA Information Management School. Portugal deverá duplicar o …

Biden assume leme dos EUA. Trump concede 140 perdões (e pede que se "reze" pelo sucessor)

Joe Biden assume esta quarta-feira o leme dos Estados Unidos. Porém, antes de sair, o Presidente cessante, Donald Trump, perdoou e comutou penas a mais de 140 pessoas. Nas horas finais da sua presidência, Donald Trump …

Ouvir música clássica enquanto faz exercício? A Ciência sugere que sim

Estudos sugerem que, ao contrário daquilo que pensa, ouvir música clássica enquanto se pratica exercício físico pode ajudá-lo no seu treino. Para muitas pessoas, uma parte essencial de qualquer regime de exercício é a música que …

“Não queiram fazer mistérios onde não existem”. UE encerrou caso do procurador europeu

A União Europeia (UE) deu por "encerrado" o caso do procurador europeu José Guerra e dos lapsos no seu currículo enviado pelo Governo. “A reunião dos membros do Conselho da UE decorreu na segunda-feira e …

Jack Ma reaparece após estar "desaparecido" quase três meses

O bilionário fundador do gigante do comércio eletrónico chinês Alibaba reapareceu, esta quarta-feira, numa reunião virtual com professores rurais, após meses de incerteza sobre o seu paradeiro. No vídeo, publicado no site do jornal chinês Tianmu …

Jesus voltou a testar negativo. Benfica confirma presença na Taça da Liga

O treinador do Benfica voltou a testar negativo ao novo coronavírus, num segundo teste realizado esta terça-feira, dia em que o clube anunciou ter 17 casos de infeção na sua estrutura profissional de futebol. "O Benfica …

Novas regras do confinamento entram em vigor esta quarta-feira (mas há exceções nos horários)

As novas medidas de restrição para travar a pandemia de covid-19 em Portugal entraram em vigor às 0h desta quarta-feira no âmbito do estado de emergência em vigor no país.  O primeiro-ministro anunciou esta segunda-feira que …

Ratos paraplégicos voltam a caminhar graças a proteína inovadora

Cientistas criaram e injetaram uma proteína no cérebro de ratos paraplégicos. Após um par de semanas, os ratos recuperaram a capacidade de caminhar. Não, não é milagre. Uma equipa de investigadores alemães conseguiu restaurar a capacidade …