“Há exceções a mais”. Marques Mendes defende que Governo deve reavaliar medidas de confinamento

Carlos Barroso / Lusa

No seu habitual espaço de comentário na SIC, no domingo à noite, Luís Marques Mendes falou sobre as novas medidas de confinanento e das eleições presidenciais.

Depois de uma semana a bater recordes em números de casos diários e óbitos, e numa altura em que os hospitais estão prestes a atingir o limite de capacidade, Marques Mendes criticou o demora do Governo em aplicar medidas de restrição.

“Não havia razão nenhuma para que as medidas que o Governo anunciou esta semana não tivessem sido anunciadas na semana passada. Elas estavam prontas. Fica um bocadinho a sensação de que quando são medidas simpáticas o Governo decide sozinho, como no Natal, quando são medidas impopulares precisa do respaldo dos técnicos. Perdeu uma semana aqui. Pode parecer pouco tempo, nesta matéria de saúde é uma eternidade”, atirou.

O comentador culpou, em parte, o aumento do número de casos no “facilistismo que houve por parte do Governo”, referindo-se ao alívio das medidas de restrição na altura do Natal. “Esse facilitismo ajudou muito nesta situação. Essa falta de coragem deu também nisto”, concluiu.

Por outro lado, o ex-líder social-democrata elogiou o Governo pela decisão de avançar com um confinamento e concordou com a decisão de não encerrar as escolas. “Acho essa exceção positiva”, frisou. “Parar as escolas em dois anos consecutivos é fatal. E para muitas crianças e jovens estar na escola é a oportunidade de ter uma refeição digna.”

Em relação ao Conselho de Ministros extraordinário convocado para esta segunda-feira, Marques Mendes partilhou expectativas em como o Governo vai reavaliar as exceções ao recolhimento domiciliário.

Só por sorte é que estas medidas são suficientes para a situação dramática em que estamos. Há exceções a mais nestas medidas”, referiu. “Com este mini confinamento não resolvemos o problema dos hospitais. Se vai reunir amanhã para reavaliar a situação, devia também avaliar com muito mais rigor as exceções que criou na semana passada, diminui-las. As pessoas estão a ter uma interpretação muito criativa, muito alargada”.

Plano de vacinação deveria incluir governantes

Marques Mendes confirmou que a vacinação vai ficar concluída até ao final de fevereiro nos lares e unidades de cuidados continuados. “Até ao final deste mês chegam mais 128 mil doses da Pfizer, embora já com uma redução, e 11 mil da Moderna”, afirmou.

O comentador defendeu que o Presidente da República, o Presidente da Assembleia da República, o primeiro-ministro, a ministra da Saúde e outros ministros devem ser vacinados prioritariamente.

Não é uma questão de privilégio, é uma questão de normalidade. Deu-se prioridade aos profissionais de saúde porque estão na linha da frente”, explicou. “Faria um apelo à diretora-geral da Saúde para que tome essa decisão rapidamente no plano técnico de vacinação. Estará a prestar um serviço ao país.”

Adiar as eleições presidenciais?

Para Marques Mendes, “não há grandes condições para fazer campanha eleitoral” e “a abstenção pode ser invulgarmente elevada”. Porém, segundo o comentador, “adiar eleições pode ser ainda pior”.

O ex-líder do PSD explicou que ninguém garante que a situação melhora e o confinamento acaba daqui a umas semanas e que o adiamento “colide com a Constituição e uma revisão constitucional é um processo complicadíssimo”.

Para Marques Mendes, é importante que não haja confinamento no dia das eleições; que haja muito mais mesas de voto que nas demais eleições para evitar filas, aglomerações de pessoas e contágios; e que os idosos que estão confinados em lares não tenham de se deslocar para votar.

Sobre os debates televisivos, Marques Mendes considerou que Vitorino Silva foi “espontâneo e genuíno” e que João Ferreira “fez os possíveis e impossíveis para fidelizar o eleitorado do PCP”. Já Marisa Matias “foi a maior desilusão”.

Por outro lado, Tiago Mayan “foi uma boa surpresa” e “mostrou coragem, frontalidade e pensamento político”, Ana Gomes esteve “bom nível na generalidade dos debates” e André Ventura “perdeu face às expectativas mas ganhou nos seus nichos de mercado”.

Por fim, Marcelo Rebelo de Sousa “esteve bem nos vários debates”: com Marisa e João Ferreira usou a “arma da simpatia”, mas o debate com Ventura “foi o melhor debate de toda a vida política de Marcelo”.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Governo quer rever norma da dádiva de sangue que exclui homossexuais

O Governo determinou, esta segunda-feira, a constituição de um grupo de trabalho para rever a norma que exclui dadores "por comportamento sexual". De acordo com o SAPO24, o Ministério da Saúde determinou a constituição de um …

Governador de Nova Iorque volta a ser acusado de assédio sexual

O governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, foi acusado por outra ex-assessora de assédio sexual, que foi sua assistente executiva e conselheira de políticas de saúde até novembro do ano passado. Segundo noticiou no sábado o New …

Francisco Assis alerta Governo para riscos das raspadinhas

O presidente do Conselho Económico e Social (CES), Francisco Assis, vai promover um estudo sobre o impacto social do vício da raspadinha e informar o Governo, na esperança de que este repondere o lançamento da …

Mais de 75% dos refugiados sírios podem sofrer de stress pós-traumático

Mais de três quartos dos refugiados sírios podem estar a sofrer de distúrbios mentais, como transtorno de stress pós-traumático (TEPT), dez anos após o início da guerra civil no país. De acordo com um artigo do …

AVC foi a principal causa das 112.334 mortes em 2019

As doenças circulatórias foram as principais causas das 112.334 mortes verificadas em Portugal em 2019, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística, assinalando que a mais mortífera foi o acidente vascular cerebral (AVC). Em 2019, …

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …

"Um erro histórico". Tratado assinado em Portugal incentiva aquecimento global

Um tratado assinado em Lisboa concede um grande poder às empresas de energia para processar os Estados caso se sintam prejudicadas por políticas climáticas. O Tratado da Carta da Energia (TCE) é um acordo internacional assinado …

Jornalistas estrangeiros denunciam "declínio da liberdade" na China

A China utilizou as medidas para controlar o coronavírus, a intimidação e restrições de visto para limitar a cobertura jornalística estrangeira em 2020, dando início a um "rápido declínio da liberdade na media", denunciou o …

Sindicato dos chefes da PSP interpôs ação judicial por causa da pré-aposentação

O Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP indicou este domingo que interpôs uma ação judicial para impugnar um despacho da direção nacional da Polícia Segurança Pública sobre a lista de pedidos da passagem …

"A agricultura em Montalegre vai acabar". Praga de javalis destrói culturas

Os agricultores do concelho de Montalegre andam desesperados com o facto dos javalis andarem a destruir as culturas. A população destes animais tem aumentado muito nos últimos anos e as medidas de controlo têm sido …