Marcelo quer ver regionalização debatida depois das autárquicas

1

ruimoreira2013 / Facebook

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira

O Presidente da República insiste na importância de se discutir a regionalização na aplicação dos fundos europeus, mas considera que isso só deve acontecer depois das eleições autárquicas.

“Tenho visto alguns autarcas dizerem que, por termos prazos muito curtos e em 2023 haver uma primeira avaliação do que foi gasto, não devemos estar a pensar na regionalização já porque perdemos tempo a discutir”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, esta segunda-feira, à margem de uma visita a uma rádio e jornal regionais, em Caminha.

O chefe de Estado considerou que “não faria sentido” debater a regionalização até às eleições autárquicas, marcadas para outubro deste ano, mas que depois disso “é um tema que deve ser debatido“, cita o semanário Expresso.

Em causa estão as declarações do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, precisamente ao mesmo jornal, este sábado, que disse ter deixado de acreditar que “este poder” queira avançar nesse caminho.

“Para fazer o que propomos não precisamos para nada da regionalização”, afirmou o autarca, acrescentando que “num mundo ideal, a maneira de um país se desenvolver seria ter legitimidade democrática nas várias regiões”, mas o que interessa mesmo é “ter meios para fazer coisas a sério” depois da pandemia.

Segundo o semanário, Marcelo até concorda com esta perspetiva, tendo afirmado em Caminha que “é muito importante que os fundos sejam geridos de forma descentralizada” porque “a maioria dos projetos implica proximidade”.

O Presidente sugeriu dar mais poder às CCDR (Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional), “até para garantir a execução dos fundos europeus”.

“Se se quer uma taxa de execução o mais próxima possível de 100%, é mais fácil com a participação e a intervenção dos que estão próximos do terreno”, defendeu o chefe de Estado.

Já há acordo para ligação férrea entre Norte e Galiza

O presidente da Câmara do Porto anunciou, esta segunda-feira, que o Governo já chegou a acordo para a construção da nova ligação ferroviária entre a região Norte e a Galiza.

“A indicação que tenho é que, de facto, haverá uma duplicação da linha do Norte, entre Lisboa e Porto, e que a partir do Porto–Campanhã irá pelo aeroporto até à fronteira, e depois ligando à rede espanhola”, disse Rui Moreira, citado pelo jornal online ECO.

Segundo o jornal digital, esta é a “concretização de um velho sonho”, mas o projeto ainda deve demorar dez anos até ficar concluído.

“A ligação de Madrid à Galiza potencia também a nossa região. A partir do momento em que esteja a funcionar, o que eu quero é que nós consigamos, com esta nova linha que faz a ligação entre Lisboa, Porto, Vigo e Corunha, pegar na malinha, sair na estação e entrar imediatamente no TGV”, disse ainda o autarca.

  ZAP //

1 Comment

  1. A regionalização faz tanta falta a Portugal como faz a água quente no gaspacho.
    Portugal é enoooooorme!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.