Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus para dois por semestre

Mário Cruz / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República promulgou o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por semestre.

Antes desta alteração legislativa, Assembleia da República realizava debates sobre a UE com a participação do primeiro-ministro antes de cada reunião do Conselho Europeu.

De acordo com uma nota publicada no site da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa “congratula-se com a duplicação do número de debates anuais, em sessão plenária, no âmbito do acompanhamento e da apreciação da participação portuguesa no processo de construção da União Europeia, comparativamente com a anterior versão submetida e devolvida, sem promulgação, à Assembleia da República”.

“Nestes termos, o Presidente da República promulgou hoje o diploma da Assembleia da República que procede à terceira alteração à Lei n.º 43/2006, de 25 de agosto, relativa ao acompanhamento, apreciação e pronúncia pela Assembleia da República no âmbito do processo de construção da União Europeia”, lê-se na mesma nota.

Este diploma foi aprovado em votação final no dia 25 de setembro, com votos a favor de PS e PSD e votos contra dos restantes partidos, na sequência do veto do Presidente da República de 10 de agosto a uma primeira iniciativa dos sociais-democratas para alterar a lei em vigor, com o apoio dos socialistas, que reduzia estes debates para um por semestre.

Em causa está a lei sobre o acompanhamento pela Assembleia da República do processo de construção da União Europeia, que até agora previa um “debate em sessão plenária, com a participação do primeiro-ministro, iniciado pela sua intervenção, a realizar antes de cada Conselho Europeu”.

Segundo a nova versão deste diploma, que seguiu para o Palácio de Belém na terça-feira e foi hoje promulgada, este debate passará a realizar-se “duas vezes em cada semestre, sem prejuízo da realização de debate adicional, a pedido da Comissão de Assuntos Europeus, quando circunstâncias excecionais o justifiquem”.

A primeira versão, aprovada em 23 de julho por PS e PSD, também com votos contra dos restantes partidos, previa um só “debate semestral em sessão plenária, com a participação do primeiro-ministro, iniciado pela sua intervenção, para preparação e avaliação dos Conselhos Europeus a realizar em cada presidência”.

Quando a recebeu, em agosto, o chefe de Estado português devolveu o diploma ao parlamento manifestando-se contra “a visão simplificadora de que um debate semestral é suficiente para abarcar uma presidência” da União Europeia, em vez dos “seis ou mais debates anuais” que existiam.

Na carta que dirigiu à Assembleia da República, Marcelo Rebelo de Sousa solicitou-lhe que “no mínimo” ponderasse “prever mais um debate em plenário, a meio de cada semestre, ou seja, a meio de cada presidência do Conselho da União Europeia” – e PS e PSD responderam ao veto acrescentando precisamente mais um debate europeu por semestre.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Agências humanitárias falham na assistência a idosos, revela relatório

As agências humanitárias têm falhado na ajuda aos idosos, que estão a ser "sistematicamente reprovados", deixando-os incapazes de ter acesso a comida suficiente ou a medicamentos, revelou uma pesquisa divulgada na quinta-feira. Entrevistas realizadas a quase …

AdC acusa Modelo Continente, Pingo Doce e Auchan de concertação de preços

A Autoridade da Concorrência (AdC) acusou, esta sexta-feira, o Modelo Continente, o Pingo Doce, o Auchan e a Active Brands de concertarem preços entre 2008 e 2017. A nota de ilicitude (acusação), emitida na terça-feira e …

Após anos de brincadeiras e roubos de placas, a vila austríaca de Fucking vai mudar de nome

A vila austríaca de Fucking vai começar o ano de 2021 com um novo nome - Fugging - devido aos constantes roubos de placas e brincadeiras. De acordo com o jornal britânico The Guardian, a ata de …

Beneficiários do apoio à retoma podem subir de escalão em dezembro

As empresas que aderiram ao apoio à retoma progressiva vão poder, em dezembro, passar para o escalão de apoio imediatamente seguinte ao de limite de faturação pelo qual seriam abrangidos. "Foi aprovado o decreto-lei que altera o …

Comandos. Estado chega a acordo para pagar 410 mil euros às famílias

O Estado chegou a um acordo extrajudicial para pagar 410 mil euros aos pais dos dois instruendos que morreram durante o 127.º curso de Comandos. Segundo o documento, a que a agência Lusa teve acesso, os …

Professores marcam greve nacional para 11 de dezembro

A Fenprof anunciou, esta sexta-feira, a marcação de uma greve nacional para 11 de dezembro de educadores de infância e de professores do ensino básico e secundário, que engloba tanto o ensino presencial como à …

Cientista do programa nuclear iraniano assassinado. Governo acusa Israel

Importante cientista do setor nuclear no Irão morreu, esta sexta-feira, na sequência de ferimentos, depois de o veículo em que seguia ter sido atacado por "terroristas armados" perto de Teerão, anunciou o Ministério da Defesa. O …

Espanha vacina em três fases até ao verão (começando pelos lares de terceira idade)

O Governo espanhol dividiu a população em 15 grupos para ser vacinada contra a covid-19 em três fases até ao verão de 2021, começando em janeiro com residentes e o pessoal sanitário e auxiliar dos …

UMinho condenada a manter salário de 2 mil euros a bolseira que passou a efectiva

O Tribunal do Trabalho de Braga condenou a Universidade do Minho (UMinho) a manter o salário de uma trabalhadora que entrou para o quadro ao abrigo do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na …

Pais podem pôr férias nas pontes sem o consentimento da empresa

Os pais que nas vésperas dos feriados precisarem de ficar com os filhos têm a falta justificada, porém, se não quiserem perder um dia de salário, também podem pôr férias sem acordo do empregador. As faltas …