Marcelo considera manifestações legítimas, mas pede que não haja violência

Mário Cruz / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República considerou, este sábado, em Fátima, as manifestações “legítimas”, mas apelou às pessoas que protestem sem violência, para não agravar a situação existente provocada pela pandemia da covid-19.

A manifestação é legítima e é uma expressão em democracia do estado de espírito dos portugueses. É uma chamada de atenção de quem tem de decidir e a necessidade de ir olhando para situações que em muitos casos se agravam com o correr do tempo. Aquilo que podemos pedir é que essas manifestações sejam feitas sem haver violência, que é indesejável para o todo social”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, à saída da missa no Santuário de Fátima em homenagem às vítimas da covid-19.

O chefe de Estado sublinhou que a pandemia “é em si mesmo uma violência”, a crise económica e social também “é em si mesmo uma violência”.

“Não podemos ter nem crises políticas nem situações de tensão levadas à violência, porque dissolvem o tecido económico e social, o relacionamento entre as pessoas e precisamos dessa solidariedade”, acrescentou.

Marcelo Rebelo Sousa lembrou que, quando decretou o estado de emergência, avisou que ia haver “cansaço e fadiga”. “Na altura não parecia evidente, mas passados oito meses, qualquer dia nove meses, essa fadiga existe”, tal como “cansaço e frustração”.

“Muitos estão desempregados, outros em situação de lay-off e estão nessa situação há oito meses. Era o caso de alguns manifestantes de ontem. Outros que estão a braços com desgostos familiares, a perda de entes queridos, o não poderem acompanhar nessa perda e terem doentes nas famílias. Hoje praticamente não há nenhuma família que não tenha direta ou indiretamente, de forma próxima, alguém que convive com a covid-19 ou que sofre de outras patologias, cujo tratamento é sacrificado por causa da pandemia”, afirmou ainda Marcelo Rebelo de Sousa.

Por isso, o Presidente da República entende que “ninguém está feliz nem satisfeito”. “Está sofredor e a mostrar-se indignado, em muitos casos, não resignado”, acrescentou.

Confrontado com a possibilidade de as manifestações se generalizarem, tendo em conta o estado de saturação das pessoas, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que “o mais importante é a reação das pessoas”.

A pior coisa que poderíamos ter na sociedade portuguesa era [confronto] entre os que querem a abertura rápida da economia e da sociedade e os que têm medo que essa abertura sacrifique a vida e a saúde”, constatou.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “se começamos a ter uma divisão entre esses grupos, e porventura mostram os inquéritos de opinião, o grupo que defende a vida e a saúde, sobretudo nos grupos de risco, é muito elevado, encontramos uma clivagem que pode ser por idades e por situação social”.

“Temos de evitar isto. Manifestação sim, que haja a preocupação de encontrar soluções para os problemas sim, que entremos numa espiral de violência só agrava o confronto entre portugueses e só agrava aquilo que [já] é uma violência, que é a pandemia e a crise económica e social, isso devemos evitar”, insistiu.

Um grupo de empresários do setor da restauração, bares e comércio arremessaram, na sexta-feira, garrafas contra agentes da PSP e queimaram caixões durante uma manifestação na Avenida dos Aliados, no Porto. Este protesto reuniu mais de mil empresários que contestam as medidas restritivas impostas pelo Governo.

Centenas pedem no Rossio ajuda para sobreviver

Este sábado, centenas de empresários e trabalhadores da restauração, eventos culturais e animação noturna estão reunidos no Rossio, em Lisboa, exigindo apoios do Governo para lutarem contra o desemprego e continuarem “a pôr pão na mesa”.

Apesar do recolher obrigatório, a partir das 13h00, o decreto presidencial não impede o direito à manifestação, por isso é que centenas de pessoas continuam a manifestar-se na capital, segundo o jornal online Observador.

Em frente ao Teatro Nacional Dona Maria II, e rodeados por um visível aparato policial, os organizadores do protesto fazem-se ouvir em cima de uma carrinha de caixa aberta, a partir da qual desfiam um rol de queixas que concluem sempre o mesmo: “a restauração e a cultura estão a morrer!”.

Os presentes, munidos de máscara e com algum distanciamento social, estão a empunhar cartazes onde se leem as principais reivindicações destes setores.

Queixam-se de ser o bode expiatório desta pandemia e assumem-se como os maiores cumpridores da segurança, ma dizem que, apesar disso, têm sido os mais prejudicados.

“Estão a matar 100% dos restaurantes por 3% do contágio”, “Queremos trabalhar, deixem-nos viver” ou “Não há saúde sem economia” são algumas das frases que se podem ler nos cartazes de alguns dos manifestantes.

Os vários intervenientes queixam-se de terem sido obrigados a despedir trabalhadores, nomeadamente no setor da animação cultural, mas também na restauração, na hotelaria, nas discotecas e bares noturnos e nos transportes de turistas.

Em cima do improvisado palanque, os discursos têm sido inflamados, muitas vezes com recurso ao uso de palavrões, e há muita indignação.

O comércio e a restauração iniciaram, este sábado, o primeiro de dois fins-de-semana em que apenas podem abrir entre as 08h00 e as 13h00, no âmbito do estado de emergência.

Em conferência de imprensa, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, anunciou que os apoios já disponibilizados ou anunciados para o setor da restauração na sequência da crise causada pela pandemia totalizam 1.103 milhões de euros, correspondendo a cerca de 60% do da quebra de faturação registada pelo setor.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. O desespero dos profissionais, o aproveitamento de certos provocadores arruaceiros, tornarão inevitáveis confrontos deste tipo. En relação a certas outras “larguezas concedidas”, é normal que estes profissionais se sintam descriminados. Como diz o nosso 1º Ministro (vai ser duro para todos)!….vai ser duro sim!…, mas com muitas desigualdades !.. Temos em grande parte, as consequências, da desvalorização dada por certos indivíduos ao alto risco de transmissibilidade desta estirpe viral, a nível Nacional. A este ritmo a história vai acabar muito mal, ao ponto que nem vacina nem o menino Jesus nos vai valer. Quando se sabe que a clássica vacina Anual contra o virus influenza está a escassear fico com duvidas quanto ao futuro !….gostava de ser “optimista”, mas é difícil !

    • É notável o Nível de Personalidade entre o PCL e o PCP, Aqui está a Nu a Qualidade dos nossos Empresários da Restauração e da Cultura, em quem nós Confiamos a qualidade da nossa Alimentação.
      Em Portugal Há muitos Chegas, muitos Trumps, muitos Bolsonaros, muitos Oportunistas, muitos Populistas, Veja-se o Presidente da Câmara Municipal do Porto, co-responsável da situação a que chegou o seu Distrito, na Manifestação dos Restaurantes, dizia apoiá-los, já baixou o IMI? às taxas Saneamento, lixo,água, etc? Nada, não fêz não fará nada, mas esteve no meio, dizia apoiar a Restauração, mas apenas chutando para o Governo,, devia era Pedir Muitas Desculpas por nada ter Feito para que o distrito do Porto não estivesse na Lista Negra de Portugal.

  2. É notável o Nível de Personalidade entre o PCL e o PCP, Aqui está a Nu a Qualidade dos nossos Empresários da Restauração e da Cultura, em quem nós Confiamos a qualidade da nossa Alimentação.
    Em Portugal Há muitos Chegas, muitos Trumps, muitos Bolsonaros, muitos Oportunistas, muitos Populistas, Veja-se o Presidente da Câmara Municipal do Porto, co-responsável da situação a que chegou o seu Distrito, na Manifestação dos Restaurantes, dizia apoiá-los, já baixou o IMI? às taxas Saneamento, lixo,água, etc? Nada, não fêz não fará nada, mas esteve no meio, dizia apoiar a Restauração, mas apenas chutando para o Governo,, devia era Pedir Muitas Desculpas por nada ter Feito para que o distrito do Porto não estivesse na Lista Negra de Portugal.

    • Não discuto as razões do que afirma mas gostaria de lembrar que o presidente da Câmara Municipal do Porto não tem poder sobre o distrito mas apenas sobre o seu município.

  3. A quantidade de manifestantes sem máscara e sem distanciamento disse muito acerca do interesse que os empresários da restauração têm pela saúde pública. Querem é salas cheias e IVA mais baixo do que qualquer outra atividade económica como se a deles fosse um imprescindível interesse público. Se não houvesse ASAE ainda serviam carne de matadouros clandestinos, usariam cozinhas cheias de baratas, casas de banho sujas e malcheirosas e mais uma data de aldrabices como pôr na mesa entradas que ninguém pediu e que custam quase tanto como a refeição.

    • Infelizmente……. “talvez não na generalidade” , mas em inúmeros comércios de restauração é fácil de verificar esse tipo de “abusos” e falta total de higiene. Nesta manifestação, ver profissionais de restauração aos molhos e sem cumprirem as básicas regras de proteção, não me incentivam a ir comer ao restaurante . O triste exemplo do mediático Chef Ljubomir Stanisic, descartando qualquer proteção e que se fez porta voz da Profissão, é simplesmente condenável, mesmo se a mensagem que quis passar, era sensata e legitima !

      • Sim, é verdade que facilmente caímos (caio, neste caso) em generalizações que acabam por falsear a verdade e por se tornarem injustas. Aquelas dezenas de pessoas não são “os empresários da restauração”. Aliás, frequento restaurantes e vejo sempre o pessoal com máscara e observo a limpeza do mobiliário. Assim me retrato não justificando, no entanto, aqueles manifestantes que, ainda por cima, agrediram jornalistas.

  4. Quanto mais forem as necessidades sentidas e a apatia do estado para com as dificuldades dos empresários mais manifestações duras serão realizadas.

RESPONDER

Nova Iorque quer oferecer vacina aos turistas. Miami vai começar a vacinar no aeroporto

Em Nova Iorque os turistas irão receber a vacina da Johnson & Johnson e em Miami a vacina da Pfizer. Com o objetivo de reativar o turismo na cidade, as autoridades de Nova Iorque querem oferecer …

Carta misteriosa escrita por passageira do Titanic está a intrigar os peritos

Uma equipa de investigadores está a tentar desvendar um mistério que envolve uma carta que terá sido escrita por uma jovem a bordo do Titanic na véspera do naufrágio. Uma família encontrou a carta numa garrafa …

Violência na Colômbia preocupa comunidade internacional

Várias cidades colombianas continuam a ser palco de violentas manifestações contra o Governo do país, mas são reprimidas com força pela polícia e por militares. As manifestações começaram em forma de protesto contra uma reforma tributária …

Veterana de Bletchley Park tem um novo código da 2.ª Guerra para decifrar (mas precisa de ajuda)

Um casal que encontrou mensagens codificadas da II Guerra Mundial sob o assoalho está tentar decifrá-las com a ajuda do seu vizinho, um decifrador de códigos de Bletchley Park. John e Val Campbell encontraram um esconderijo …

"Caixas mistério" com animais de estimação geram indignação na China

Uma nova moda conhecida como "caixa mistério" ganhou popularidade na China. O método consiste em fazer uma encomenda através da internet e é enviada, pelo correio, uma caixa com um animal de estimação. Estas encomendas estão …

Arquivos da polícia do Estado Islâmico revelam como era a vida sob o califado

Arquivos da polícia do Estado Islâmico, conhecida como shurta, revelam como era a vida sob o califado. Os polícias eram tão bem pagos que não podiam ser subornados. Não é sempre que os regimes mirram …

Barco português detido por ancorar ilegalmente em águas da Malásia

Um navio mercante registado em Portugal está retido na Malásia por ter alegadamente ancorado em águas territoriais do país sem autorização, avançou esta sexta-feira a Guarda Costeira malaia. Num comunicado, Nurul Hizam Zakaria, diretor da agência …

”Eficácia e qualidade”. OMS aprova vacina chinesa da Sinopharm

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou, esta sexta-feira, o uso de emergência da vacina chinesa contra a covid-19 da Sinopharm. Trata-se da primeira vacina desenvolvida pela China a ser aprovada pela organização, lembra a agência …

Sem estado de emergência não pode haver confinamento de pessoas saudáveis

O constitucionalista Jorge Reis Novais defendeu hoje que sem estado de emergência que suspenda a garantia do artigo 27.º da Constituição não pode haver confinamento de pessoas saudáveis, até uma eventual revisão constitucional. Por outro lado, …

"Neuro-direitos". O Chile quer proteger os seus cidadãos do controlo da mente

O Chile quer tornar-se o primeiro país a proteger as pessoas do controlo da mente, à medida que a capacidade de mexer com cérebros se aproxima cada vez mais da realidade. O senador Guido Girardi está …