“Está próximo, próximo.” Marcelo já escreveu discurso de recandidatura

Estela Silva / Lusa

Esta terça-feira, após as comemorações do 1.º de dezembro, o Presidente da República sinalizou que não faltará muito para anunciar a sua recandidatura. “Está próximo, está próximo”, disse.

De acordo com o semanário Expresso, Marcelo Rebelo de Sousa já escreveu o discurso de recandidatura que, dentro de dias, lerá ao país. Há cinco anos, o atual Presidente decidiu “não faltar à chamada”. Agora, explicará aos portugueses o que o leva a lançar-se novamente a Belém, num contexto político, social e económico ainda mais difícil do que o de 2015.

São necessárias 7.500 assinaturas para formalizar a candidatura até 24 de dezembro e o PSD é um dos terrenos férteis. O Expresso realça que, informalmente, já há sociais-democratas a atuar, entre eles o ex-secretário-geral do PSD Matos Rosa e o militante Rodrigo Moita de Deus, que já colaborou com Marcelo na candidatura de há cinco anos.

Esta terça-feira, no final das comemorações do 1.º de dezembro, Marcelo assumiu que “está próximo, está próximo“, depois de ter confessado que recebeu “várias pressões de diversa natureza”.

“A decisão obedece a um objetivo que é esperar pelo momento em que ainda devo intervir como Presidente da República no quadro do estado de emergência. Só depois disso é que sinto que devo tomar a decisão e comunicá-la aos portugueses”, afirmou.

Na próxima sexta-feira, quando renovar o atual estado de emergência que vigorará de 9 a 24 de dezembro, o Presidente fará um preâmbulo ao respetivo decreto por forma a antecipar que o estado de exceção irá para lá das festas, Natal e Ano Novo. A partir de dia 9, Marcelo estará mais liberto, embora o estatuto de Presidente vá sempre prevalecer sobre o de candidato.

A data e o local ainda não estão decididos, ainda que o Expresso avance que a data não escapará ao intervalo entre 9 e 18 de dezembro. Já o local não deverá deslocar-se do eixo Lisboa-Cascais, “a menos que (o PR) ainda decida dar um salto a Celorico de Basto”, a terra da sua avó Joaquina onde, no distrito de Braga, lançou a candidatura há cinco anos, disse uma fonte próxima ao semanário.

Depois do anúncio, um colaborador do Presidente referiu que Marcelo Rebelo de Sousa terá pela frente pouco mais de um mês de campanha – que será, sobretudo, “de debates”. Apesar de se perderem os contactos de rua, Marcelo deverá apostar em alguns eventos simbólicos.

“Na segunda ou terceira semana, em Cascais”

No Facebook, Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, anunciou que Marcelo Rebelo de Sousa vai anunciar a recandidatura à Presidência da República “na segunda ou terceira semana de dezembro, em Cascais“.

“Terá o meu apoio”, escreveu.

“O anúncio formal deve acontecer na segunda ou terceira semana de dezembro, em Cascais “ e terá o meu apoio.

Publicado por Carlos Carreiras em Terça-feira, 1 de dezembro de 2020

Marcelo Rebelo de Sousa admitiu, na prática, que o processo de recandidatura está em marcha, mas será apenas oficializado depois de se pronunciar sobre a eventual renovação do estado de emergência. Desta vez, tendo em conta o que escreveu o autarca, vai escolher o município onde reside para fazer o anúncio.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …