Manifestantes em Hong Kong tentam invadir sede do governo. Carrinho de compras atirado contra a porta

Ritchie B. Tongo / EPA

Os protestos voltaram a Hong Kong. Vários manifestantes estão reunidos, esta segunda-feira, à porta da Assembleia Legislativa da região para assinalar o 22º aniversário da transferência da soberania do Reino Unido para a China.

Nesta data, costumam organizar-se manifestações pró e anti China. Mas os protestos do último mês, que levaram centenas de milhares de pessoas às ruas para pedir que a lei de extradição não avançasse, aqueceram os ânimos e transformaram a data numa espécie de sequela dos protestos de junho.

Vários manifestantes tentaram até invadir o edifício da Assembleia Legislativa. Recorrendo a um carrinho de supermercado metálico, os manifestantes tentaram forçar a entrada no edifício da Assembleia, até agora sem sucesso.

Muitos dos vidros que compõem a fachada principal do edifício estão partidos mas apenas do lado de fora. Da parte de dentro, a polícia de choque, que começou por utilizar gás lacrimogéneo, vai avisando que se os ânimos não esfriarem terá de recorrer à violência para reprimir o protesto. Pelo menos uma pessoa apresentava ferimentos na cabeça.

De acordo com a AFP, pelo menos três avenidas da cidade foram invadidas por jovens manifestantes que começaram a montar barricadas, numa altura em que é esperada uma nova manifestação esta tarde.

A 1 de julho de 1997, Hong Kong, que esteve 156 anos sob domínio britânico, regressava à soberania chinesa. Tal como eu Macau, dois anos depois, a transferência de soberania decorreu sob o princípio “um país, dois sistemas”, precisamente o que os opositores às alterações da lei garantem estar agora em causa.

Para as duas regiões administrativas especiais da China foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, a nível executivo, legislativo e judiciário, sendo o Governo central chinês responsável pelas relações externas e defesa.

Nas últimas semanas, centenas de milhares de pessoas saíram às ruas de Hong Kong para protestar contra uma lei que permitiria a Carrie Lam e aos tribunais de Hong Kong processar pedidos de extradição de suspeitos de crimes para jurisdições sem acordos prévios. Os suspeitos de crimes podiam ser extraditados do território de Hong Kong para países como a China.

Carrie Lam é conhecida por liderar o território de Hong Kong de forma fria e dura, sem demonstrar emoções. No entanto, os protestos surtiram efeito porque a líder da região recuou e cancelou a lei de extradição.

Além disso, admitiu que as “deficiências” no trabalho do governo levaram a “substanciais controvérsias”, que desapontaram o povo. Nesse dia, muitos manifestantes disseram que a posição de Lam não foi sincera e continuaram os protestos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Faca feita de fezes entre os vencedores deste ano dos prémios Ig Nobel

Uma faca feita com fezes congeladas e um jacaré a arrotar são alguns dos vencedores dos prémis Ig Nobel, que distinguem as invenções mais incomuns. Os prémios Ig Nobel – uma paródia dos prémios atribuídos pelas …

O hemisfério norte teve o verão mais quente de que há registo (e isso é um sinal de alerta para a Terra)

O hemisfério teve em 2020 o verão mais quente de que há registo. No geral, o Planeta Terra teve três dos meses mais quentes, e o mês de agosto foi o segundo mais quente que …

Há uma nova explicação para o naufrágio do Titanic: Uma fantástica Aurora Boreal

Todos conhecemos a história do Titanic. Também todos sabemos que o seu naufrágio aconteceu após o grande navio ter embatido num iceberg. Contudo, um investigador americano põe novas hipóteses em cima da mesa. E se …

Famalicão 1-5 Benfica | "Águia" faminta com nota artística

Após a desilusão de Salónica, que ditou um adeus precoce dos milhões da fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica goleou na noite desta sexta-feira o Famalicão por 5-1, numa espécie de redenção. Neste …

O anonimato de Banksy teve um custo. Perdeu os direitos sobre uma das suas obras mais icónicas

O famoso artista de rua britânico Banksy perdeu uma longa batalha judicial pelos direitos autorais da obra "The Flower Thrower", contra a Full Colour Black, empresa que produz postais de felicitações. Banksy, o misterioso artista que, …

Reino Unido e Espanha aumentam restrições. Itália e Alemanha com quase dois mil casos

Madrid restringe movimentos de 850 mil pessoas, Itália regista um aumento dos casos de infeção nas últimas 24 horas, britânicos enfrentam novas restrições no país e Alemanha com dois mil novos casos de covid-19. A região …

Trump novamente acusado de assédio sexual. "Enfiou a língua na minha garganta", disse Amy Doris

O Presidente dos EUA, Donald Trump, foi acusado esta quinta-feira de agressão sexual por uma ex-modelo, num episódio que alegadamente terá ocorrido num torneio de ténis, em 1997. A ex-modelo Amy Dorris relatou ao jornal britânico …

Ventura pondera suspender mandato para se dedicar à campanha presidencial

O presidente do Chega afirmou hoje que o seu partido "está a analisar" no plano jurídico a questão da suspensão temporária do seu mandato de deputado para se dedicar às campanhas dos Açores e presidenciais. Em …

Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recupera, avisa neurologista

Um neurologista ouvido num documentário da RMC Sport diz que o ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recuperará. Já passaram quase sete anos desde que Michael Schumacher sofreu um acidente …

Processos com acórdãos a meias entre Rangel e Galante estão em risco

Durante dez anos, centenas de acórdãos do Tribunal da Relação de Lisboa foram feitos a meias entre Rui Rangel e Fátima Galante. Agora, esses processos estão em risco. A Procuradoria-Geral da República anunciou esta sexta-feira a …