11 anos e 11 milhões depois, polícia recebe mais dinheiro para procurar Maddie

Mario Cruz / Lusa

Kate e Gerry McCann, os pais de Maddie

Os detetives que investigam o desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann em Portugal em 2007 vão receber mais fundos para prosseguir a busca da menor, confirmou hoje em Londres o Ministério do Interior.

A pequena desapareceu do quarto no qual dormia com os seus dois irmãos num complexo turístico do Algarve, sul de Portugal, em maio de 2007, quando tinha três anos de idade.

O ministério indicou que a Polícia Metropolitana de Londres (Met) solicitou mais dinheiro para financiar a busca de Madeleine, catalogada como “Operação Grange”, e que o pedido foi concedido.

“O Governo está comprometido com a investigação sobre o desaparecimento de Madeleine McCann”, apontou um porta-voz do Interior. Segundo a imprensa local, as forças da ordem irão receber cerca de 170.000 euros para prosseguir com as investigações.

Os detetives britânicos tinham revelado no ano passado que se encontravam a seguir uma linha de investigação muito importante, que era vista como a “última tentativa” para tentar desvendar o mistério do desaparecimento de Maddie, como ficou conhecida a criança que desapareceu do seu quarto, num resort turístico na Praia da Luz, no Algarve.

Em outubro, a polícia britânica anunciou estar à procura de uma “pessoa de interesse”, no âmbito do caso de desaparecimento de Maddie. Chegar até essa pessoa era então tido como “uma das linhas críticas do inquérito” da polícia britânica, que tinha financiamento para continuar a investigar o caso até março deste ano.

O financiamento agora aprovado pelo governo britânico irá permitir à Scotland Yard manter a equipa de quatro agentes dedicados ao caso. Um porta-voz da família McCann adiantou hoje que os pais de Maddie, Kate e Gerry, estão “incrivelmente agradecidos” pela atribuição de dinheiro para continuar à procura da sua filha.

Os pais, acrescentou o porta-voz, “estão animados porque a Met ainda acredita que há trabalho por fazer e estão incrivelmente agradecidos ao ministério do Interior por facilitar um orçamento adicional”.

Estima-se que a investigação tenha custado até agora 11 milhões de libras – cerca de 12,5 milhões de euros. Maddie desapareceu há 11 anos.

// EFE

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Tanta tolice até ao dia em que se perceba que o crime está “escarrapachado” nos olhos de duas pessoas que tanto fazem e recebem para procurar “Maddie”. É preciso não ter coração, como escrevia Émile Zola em «La bête Humaine».

  2. Quanto mais tempo passa, mais esquisito se torna tanto apoio do governo para encontrar a menina, que segundo consta pela investigação de Gonçalo Amaral, está mais que morta. Todas as evidências apontam para isso…

    • Concordo consigo, mas… Escreve-se “Todas as” PROVAS “apontam para isso…” e não “evidências”. Estamos em Portugal e não na América ou Brasil, ok?

  3. Caramba, Zap! O que é que eu escrevi para não merecer a sua publcação? às vezes parece que vocês não publicam de uma forma aleatória! E até vai ao encontro ao que “diz” nos comentários anteriores…

    • E depois ainda têm a lata de publicar o protesto da não publicação. E sem a publicação do comentário que lhe diz respeito! Assim, “este” comentário, faz todo o sentido, não?
      Ainda percebo menos… Se calhar não é para perceber. Especialmente se este comentário também fôr publicado.

Porsche e Boeing unem-se em projeto de táxi aéreo premium

A Porsche e a Boeing estão a unir esforços para explorar o mercado de mobilidade área urbana. Aproveitando os seus pontos fortes, as duas empresas prometem desenvolver um táxi aéreo para o futuro. Numa verdadeira fusão …

Fotografia com pombos? Na Tailândia, há "profissionais" contratados para assustá-los

A área de uma das portas da cidade, Tha Pae, parte do que resta da muralha vermelha que protegia a cidade antiga em Chiang Mai, na Tailândia, é uma das maiores atrações turísticas locais. Os turistas …

Sky News lança canal sem qualquer notícia sobre o Brexit

O canal Sky News Brexit-Free foi esta quarta-feira para o ar às 17h horas, sendo que os seus programas serão transmitidos até às 22h, de segunda a sexta-feira. O grupo de televisão britânico Sky vai lançou …

Vacina contra o cancro da mama pode estar disponível dentro de 8 anos

Investigadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o cancro ovário e da mama que poderá estar disponível comercialmente dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes …

Busca pelo avião de Amelia Earhart só encontrou chapéus, detritos de um naufrágio e uma lata de refrigerante

A mais recente busca pelos restos do avião de Amelia Earhart, a famosa aviadora americana que desapareceu sobre o Pacífico em 1937, terminou sem resultados. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a investigação …

Protestos em Hong Kong. LeBron acusado de apoiar regime chinês

A super estrela do basquetebol LeBron James juntou-se à polémica entre a NBA e a China, após apelidar de “mal-informado” o treinador dos Houston Rockets, Daryl Morey, que expressou apoio aos manifestantes em Hong Kong …

Acordo para o Brexit está "prestes a ficar fechado"

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, disseram esta quarta-feira que um acordo para o Brexit está em finalização e poderá ser apresentado quinta-feira para aprovação no Conselho Europeu. "Quero acreditar que …

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …