Macron assumiu a Netanyahu a responsabilidade francesa na prisão de judeus

Stephane Mahe / EPA

O presidente francês, Emmanuel Macron

O presidente francês, Emmanuel Macron, ao lado do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, reafirmou toda a responsabilidade da França na rusga do Vel d’Hiv, que levou ao encarceramento de milhares de judeus em 1942.

Na cerimónia, realizada este domingo em Paris, que assinalou este ano os 75 anos sobre a rusga no Vélodrome d’Hiver, e que contou pela primeira vez com a presença de um primeiro-ministro israelita, Emmanuel Macron lembrou o papel francês num dos episódios mais negros da História do país.

Macron disse que a sua presença dava continuidade ao fio condutor de Jacques Chirac, o antigo presidente francês que em 1995, no exercício das suas funções, foi o primeiro chefe de Estado gaulês a reconhecer a responsabilidade da França na rusga, numa posição que foi replicada pelos seus sucessores.

Benjamin Netanyahu, em francês, agradeceu o convite de Macron, classificando-o como um gesto “muito, muito forte”, que “testemunha a amizade antiga e profunda entre França e Israel”.

Em 16 e 17 de julho de 1942, 13.152 judeus estrangeiros refugiados em França foram presos em Paris e nos subúrbios pela polícia francesa, antes de serem deportados para os campos de extermínio, principalmente Auschwitz.

Entre eles, 8.160, dos quais 4.115 crianças, foram encarcerados durante quatro dias no Vel d’Hiv, o velódromo de inverno no oeste de Paris. Os outros 4.992, casais sem filhos e celibatários, foram amontoados no campo de Drancy, zona de habitações transformada durante a guerra em campo de internamento e de trânsito para os campos de morte.

Das 13.152 vítimas dessa rusga, apenas uma centena sobreviveu, não havendo registo de qualquer criança. O episódio trágico gerou controvérsia durante a última campanha presidencial, com fortes críticas a Marine Le Pen por ter afirmado que a França não foi “responsável pelo Vel d’Hiv”.

Stephane Mahe / EPA

O presidente francês, Emmanuel Macron (dir) com o primeiro ministro israelita, Benjamin Netanyahu (esq)

A participação do chefe do Governo israelita foi criticada por algumas organizações, como a União Judaica Francesa para a Paz, que se disse “chocada” por um dirigente israelita ser convidado para a comemoração de um “crime contra a humanidade franco-francês”.

O partido comunista protestou contra a visita de Netanyahu, que diz não ser um homem com uma “forte mensagem de paz”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Estratégia prevê rede de bancos de leite materno e revisão das licenças para amamentar

A ENALCP apresentada esta quarta-feira prevê a criação de uma rede nacional de bancos de leite materno e a revisão dos diretos de parentalidade. Ambientes favoráveis deverão ser também revistos. A Estratégia Nacional para a Alimentação …

DGS aconselha grávidas e bebés vegetarianos a tomarem suplementos

A Direção-geral da Saúde recomenda suplementos de vitaminas e minerais para bebés e grávidas com alimentação vegetariana e lembra que a dieta não omnívora no primeiro ano de vida deve estar sempre sob supervisão médica. "A …

Entre os boletins de voto dos emigrantes, também há cheques e contas da luz

Para exercer o seu direito de voto, os eleitores portugueses residentes no estrangeiro deveriam enviar de volta para Portugal a documentação que receberam em casa – um envelope verde com o boletim de voto, dentro …

Ryanair despede 432 trabalhadores em Espanha

A companhia aérea irlandesa Ryanair confirmou esta quarta-feira a sua intenção de despedir em Espanha 432 trabalhadores das suas bases de Girona e Canárias, 327 tripulantes de cabine e 105 pilotos, informou o sindicato USO. Num …

Eleições em Moçambique. Dados preliminares dão vitória a Nyusi

Segundo as projeções de resultados da Sala da Paz, de acordo com valores “preliminares” baseados na leitura dos editais pelos seus observadores, o atual Presidente moçambicano e candidato da Frelimo, Filipe Nyusi, terá sido reeleito …

"Quem acusou Sócrates tem de provar. Se não provar tem de ser punido"

O ex-Presidente brasileiro, Lula da Silva, defende punição de procuradores da Operação Marquês, caso a acusação contra José Sócrates seja arquivada. Esta terça-feira, em entrevista à RTP, Lula da Silva defendeu a punição dos procuradores que …

Na Saúde, Warren torna-se alvo de ataques. Mas o foco é "derrotar Trump"

O maior debate televisivo para umas eleições primárias na história dos EUA juntou 12 candidatos num só palco. Foi o primeiro debate para o qual o ex-vice-Presidente Joe Biden não partiu com vantagem, tendo a …

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …

Grécia. Incêndio em campo de refugiados deixa 600 pessoas sem alojamento

Um incêndio no campo de identificação e registo de migrantes de Vathy, na ilha grega de Samos, deixou 600 refugiados sem alojamento, alertou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Em Vathy, seis …

Lista candidata à Ordem dos Enfermeiros excluída por ter poucos homens

Uma das listas candidatas às eleições para a Ordem dos Enfermeiros foi excluída por ter poucos homens. A comissão eleitoral nomeada explica que a lista não respeita a lei da paridade, aprovada pela Assembleia da …