Grupo Lusíadas junta-se à CUF e Luz Saúde e rompe acordo com ADSE

O Conselho de Administração do Grupo Lusíadas Saúde disse esta quarta-feira em comunicado que “está a analisar opções para a cessação das atuais convenções existentes com a ADSE”.

O Conselho de Administração do Grupo Lusíadas Saúde disse esta quarta-feira em comunicado que “está a analisar opções para a cessação das atuais convenções existentes com a ADSE“, juntando-se, assim, ao grupo José de Mello Saúde, responsável pelos hospitais CUF, e ao grupo Luz Saúde, que esta semana também anunciaram que iriam deixar de prestar serviços ao abrigo das convenções celebradas com a ADSE.

“Neste contexto de cessação das atuais convenções, e depois de diversas reuniões internas com as suas Unidades operacionais e respetivas Direções Clínicas, o Grupo Lusíadas Saúde assegurará, contudo, o adequado acompanhamento e tratamento aos Clientes da ADSE que se encontrem a ser assistidos nas Unidades do Grupo, assim como criará uma tabela própria para que os mesmos beneficiários possam aceder às nossas Unidades, podendo posteriormente pedir o reembolso à ADSE em regime livre”, diz ainda o comunicado.

À semelhança dos dois grupos que também suspenderam este acordo, recorda o Observador, a administração do Grupo Lusíadas invoca dois motivos para a suspensão: as “regularizações a posteriori” e a “definição da tabela de preços”.

A decisão é justificada “por considerar que o imperativo de garantia de qualidade e segurança clínica dos seus clientes (beneficiários desse subsistema público) poderá vir a ser sistemicamente afetado com as regras e procedimentos atualmente vigentes”.

O Lusíadas Saúde contesta a redução, por parte da ADSE, dos preços dos atos médicos a posteriori, “mais de dois anos depois nos casos atuais em discussão”, sem ter “em linha de conta o tratamento e atos prestados a cada cliente, de acordo com as suas necessidades específicas”.

Em causa está também a existência de uma tabela de preços que o grupo privado considera “desajustada da realidade atual”.

“Tratam-se de valores incompatíveis com os padrões de segurança e qualidade com que alinhamos a nossa prestação de serviços e com o nível de experiência que fazemos questão de garantir a todos os Clientes que nos procuram, incluindo os beneficiários da ADSE”, sublinha o comunicado.

O Grupo Lusíadas Saúde sublinha que “continua a manter-se, no entanto, totalmente disponível para a construção de soluções de parceria que garantam um compromisso justo, equilibrado, seguro, previsível e sustentável para todos os intervenientes, passível de garantir, acima de tudo, a qualidade dos atos e a segurança clínica para os Clientes das suas unidades de saúde”.

“Oportunamente, e após a necessária análise do conteúdo contratual das convenções em vigor, comunicaremos às partes os procedimentos operacionais relevantes, em especial quanto aos prazos da cessação das convenções e consequente cessação da marcação de atos em regime convencionado”, conclui o comunicado.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Exposição de Joana Vasconcelos em Bilbau foi a 13.ª mais vista no mundo em 2018

A mostra de Joana Vasconcelos, atualmente patente no Museu de Serralves, foi vista em Bilbao por cerca de 649 mil pessoas - uma média de 5.600 por dia. A exposição I'm Your Mirror, de Joana Vasconcelos, …

O melhor professor do mundo é queniano e doa 80% do seu salário

Peter Tabichi é queniano, tem 36 anos e doa 80% do salário para desenvolver a sua comunidade local, numa remota vila no Quénia. Este domingo foi eleito, no Dubai, o melhor professor do mundo. Em Pwani, …

Pentágono autoriza mil milhões de dólares para construção de muro de Trump

O secretário da Defesa interino norte-americano, Patrick Shanahan, anunciou na segunda-feira o desbloqueio de mil milhões de dólares para a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Shanahan “autorizou o …

Advogados de Rui Pinto recorrem da prisão preventiva

Os advogados de Rui Pinto, colaborador do "Football Leaks", confirmaram esta segunda-feira que vão recorrer da medida de prisão preventiva aplicada sexta-feira ao seu cliente pelo Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa. A decisão de recorrer …

Se a corrida continuar a três, McLaren ameaça deixar a Fórmula 1

A McLaren, a segunda equipa mais antiga da Fórmula 1, ameaça desistir da modalidade caso os regulamentos elaborados para 2021 não a tornem numa competição justa. A visão da Fórmula 1, a modalidade de automobilismo mais …

México quer que rei da Espanha peça perdão pela conquista colonial

Obrador diz que esta é a única forma possível de obter a reconciliação plena entre os países. O pedido foi feito por carta. O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, anunciou ter enviado uma carta ao …

"O Vieira pediu-me para dar uma coça a Francisco J. Marques"

Vítor Catão, diretor desportivo do S. Pedro da Cova, afirmou que o Benfica, através do seu presidente Luís Filipe Vieira, lhe deu 200 mil euros para colocar uma "lapa" no carro de Pinto da Costa, …

"Governo saudita deu a ordem" para matar Khashoggi

Em entrevista ao El Mundo, a namorada do jornalista saudita Jamal Khashoggi afirma que a ordem que determinou a sua morte foi dada pelo Governo da Arábia Saudita. Em entrevista ao diário espanhol El Mundo, a …

Já há água, eletricidade e estradas abertas na cidade da Beira

Começam a ver-se pequenos avanços na Beira, em Moçambique, que inicia o lento caminho da reconstrução, após a passagem do ciclone Idai, que matou pelo menos 446 pessoas e destruiu cerca de 90% dos edifícios …

"Um erro desculpável". Governante sem castigo após violar a Lei no caso dos mirtilos

O Tribunal Constitucional decidiu arquivar o caso das incompatibilidades envolvendo o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, que, durante dois anos, acumulou o cargo com a função de gerente numa empresa …