Livro de John Bolton revela como Trump fez depender ajuda à Ucrânia de investigação a Biden

Gage Skidmore / Flickr

Gage Skidmore

John Bolton, ex-conselheiro nacional de segurança de Donald Trump

O rascunho de um livro do antigo conselheiro de segurança nacional John Bolton revela como o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lhe falou da sua determinação em reter a ajuda militar à Ucrânia até que Kiev concordasse em investigar o rival democrata Joe Biden.

O relato desfaz as alegações de Trump de que o atraso no envio da ajuda e os esforços para convencer o seu homólogo ucraniano a anunciar uma investigação não estão relacionados, de acordo com o jornal norte-americano The New York Times, que revela excertos do livro de John Bolton.

As passagens transcritas contêm detalhes sobre a atuação de altos funcionários da Casa Branca, incluindo o Secretário de Estado, Mike Pompeo, o procurador-geral, William Barr, e o chefe de gabinete interino, Mick Mulvaney.

John Bolton tem posto a circular passagens de “The Room Where It Happened” (“A Sala Onde Aconteceu”), com edição marcada para 17 de março, tendo enviado o rascunho do livro para a Casa Branca.

John Bolton despedido em setembro por Trump, quando Donald Trump procura aberturas diplomáticas com dois dos inimigos mais intratáveis ​​dos Estados Unidos, esforços que são divergentes das ideias de pessoas como Bolton, que vê a Coreia do Norte e o Irão como não confiáveis. No final do ano passado, Bolton mostrou-se disponível para testemunhar, dando a entender que pode revelar informação sobre Donald Trump, com um misterioso “estejam atentos”.

A defesa de Trump prepara-se para fazer as suas alegações esta segunda e terça-feira no Senado, na segunda semana do julgamento político de impeachment. As passagens citadas do livro de Bolton reforçam a intenção dos democratas de chamar novas testemunhas a depor, com o ex-conselheiro de segurança nacional à cabeça.

John Bolton tem as provas. Cabe a quatro senadores republicanos garantir que John Bolton, Mick Mulvaney e os outros com conhecimento direto das ações do Presidente Trump testemunhem no julgamento do Senado”, escreveu o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

O Senado tem maioria republicana: 53 contra 47. Assim, os democratas só precisam do apoio de quatro republicanos para terem a maioria necessária para convocar as testemunhas. Já o impeachment em si necessita de uma maioria de dois terços para que Trump seja efetivamente destituído.

O Presidente norte-americano foi acusado de pressionar o homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, a investigar o seu rival político e ex-vice-Presidente Joe Biden.

Esta chamada, cuja transcrição foi revelada na última semana após a queixa de um denunciante, levou os democratas a darem início a um processo de impeachment presidencial. Na segunda-feira, o advogado pessoal de Trump, Rudy Giuliani, recebeu uma intimação relacionada com os seus contactos com as autoridades ucranianas.

Mais tarde, o Governo australiano confirmou que houve uma segunda chamada, em que Donald Trump pressionou o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, para que este o ajudasse a descredibilizar a investigação do procurador especial Robert Mueller. O governo australiano confirmou que a chamada aconteceu e que o primeiro-ministro concordou em ajudar.

A Casa Branca restringiu o acesso à transcrição da conversa telefónica entre o Presidente dos EUA e o primeiro-ministro da Austrália a um pequeno grupo de assessores. A decisão é invulgar mas semelhante à que foi tomada no caso da chamada com o Presidente da Ucrânia.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ventura concorre pelo Chega à Assembleia Municipal de Moura

André Ventura é o candidato do partido à Assembleia Municipal de Moura nas próximas eleições autárquicas, anunciou o próprio esta quinta-feira. O presidente do Chega, André Ventura, disse esta quinta-feira que vai ser o cabeça-de-lista do …

Texas vai permitir porte de armas em público sem ser necessária qualquer licença

O governador republicano do Texas assinou uma lei que permite o porte de armas em público, sem respetiva licença, a última de uma série de medidas que expandem este tipo de direitos nos estados conservadores …

Para já, Ivo Rosa escapa de um inquérito disciplinar do Conselho Superior da Magistratura

O Conselho Superior da Magistratura não vai abrir inquérito disciplinar a Ivo Rosa, pelo menos, para já. O órgão de gestão dos juízes concluiu que não há suspeitas de violação de caso julgado na decisão …

Mario Gómez: "O futebol é como a roupa, é de modas"

Comentário do antigo internacional alemão sobre as funções do ponta-de-lança atual. Mario não tem saudades dos relvados. Mario Gómez García, o homem que veio de Riedlingen, na República Federal da Alemanha, para marcar muitos golos. Figura …

A um mês dos Jogos Olímpicos, Tóquio pondera levantar estado de emergência

Os Jogos Olímpicos, que foram adiados no ano passado devido à pandemia, vão começar no dia 23 de julho. O Governo japonês está a ponderar levantar o estado de emergência em Tóquio. Tóquio está em estado …

Militares birmaneses acusados de incendiar uma aldeia

Uma aldeia foi destruída pelo Exército birmanês depois de confrontos entre militares e opositores da junta ditatorial. Dois idosos, que não conseguiram fugir, acabaram por morrer queimados. A aldeia de Kin Ma, na região de Magway, …

Ucrânia 2-1 Macedónia N. | “Synio-zhovti” relançam aspirações

A Ucrânia conquistou esta quinta-feira a sua segunda vitória em Europeus, depois de seis derrotas consecutivas, ao bater a estreante Macedónia do Norte por 2-1, em encontro disputado em Bucareste, com arbitragem pelo argentino Fernando …

Mais 1.233 casos de covid-19 em Portugal. Morreram duas pessoas

Esta quinta-feira, Portugal registou 1.233 novos casos e duas mortes na sequência da infeção por covid-19. Segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram registados, nas últimas 24 horas, mais 1.233 casos e …

Proibida circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa ao fim de semana

A situação epidemiológica em Portugal é agora "mais preocupante", pelo que "dificilmente" o país deverá desconfinar na próxima semana como estava previsto, anunciou esta quinta-feira a ministra Mariana Vieira da Silva. A ministra da Presidência, Mariana …

Lisboa alarga horários de vacinação para atingir as 65 mil pessoas por semana

Já a partir da próxima segunda-feira, os centros de vacinação em Lisboa vão ter horário acrescido. O objetivo é aumentar o número de doses de vacinas administradas por semana para cerca de 65 mil. A partir …