Lenços Vermelhos levantam-se contra os Coletes Amarelos (e por Macron)

Há um novo movimento de cidadãos a marcar a sociedade francesa, com os “Lenços Vermelhos” a surgirem como uma resposta aos “Coletes Amarelos” e em “defesa da República e da ordem”, num apoio implícito a Emmanuel Macron com uma grande manifestação convocada para 27 de Janeiro.

Os “Lenços Vermelhos” surgiram a 26 de Novembro de 2018, tendo por missão a “defesa das liberdades de cidadania” e visando o “restabelecimento do Estado de direito e por uma França em paz”, como se destaca no site oficial do movimento.

Na página de Facebook dos “Lenços Vermelhos” releva-se ainda que o objectivo é lutar pelo “fim dos bloqueamentos e das violências” pelos quais culpam os “Coletes Amarelos”.

Os responsáveis do movimento dizem compreender “a expressão do mal-estar e do sofrimento exprimido” pelos “Coletes Amarelos” e também criticam a classe política, mas lamentam “a politização” do movimento que tem organizado diversos protestos em França, denunciando a perturbação da “ordem pública” que têm gerado.

“Os Lenços Vermelhos não são contra os Coletes Amarelos“, até porque as suas “causas” são “defensáveis”, justifica em declarações ao Le Figaro um dos lideres do movimento, Théo Poulard, um padeiro da Bretanha de 23 anos.

“Eu próprio poderia sair à rua para protestar contra o aumento dos combustíveis. Cada qual tem o direito de se exprimir e de se manifestar. Mas quando vemos como isso se transformou, torna-se perigoso”, nota Théo Poulard.

Os “Lenços Vermelhos” reflectem o facto de muitos franceses estarem fartos dos distúrbios provocados pelos protestos dos “Coletes Amarelos”, nomeadamente das alterações e complicações de trânsito que perturbam o dia-a-dia profissional e pessoal dos cidadãos.

Assim, convocam uma manifestação para Paris a 27 de Janeiro próximo no que definem como a “Marcha Republicana das Liberdades”.

Esta manifestação está a ser organizada em parceria entre elementos dos “Lenços Vermelhos” com o engenheiro Laurent, de Toulouse, que criou a página de Facebook “Stop, maintenant, ça suffit!” (“Parem, agora já chega” na tradução para Português) em Dezembro passado.

Este simpatizante assumido de Emmanuel Macron que recusa revelar a sua identidade porque diz que já recebeu ameaças de morte, refere ao jornal francês La Dépêche du Midi que o objectivo é “acima de tudo, defender a República”.

“Quando vi a estátua que representa a República destruída parcialmente em Paris, isso fez-me saltar”, salienta. Isso levou-o a criar no Facebook o evento “Marcha de apoio a Emmanuel Macron e à República” que foi depois transformado na “Marcha Republicana das Liberdades” porque “não é um apoio à pessoa, mas à sua função“, explica Laurent.

O protesto é para os que têm “orgulho de defender a República contra quem a quer destruir”, explica ainda o engenheiro, notando a certeza de que “antigos Coletes Amarelos, que deixaram o movimento quando viram que tinha sido recuperado por bandidos de extrema direita e de extrema esquerda“, vão estar presentes no protesto do dia 27.

Entretanto, temem-se os riscos de uma contra-manifestação dos Coletes Amarelos, depois de o Governo ter anunciado novas medidas para punir elementos mais violentos envolvidos nos protestos.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Elon Musk alerta: Civilização pode colapsar daqui a 30 anos

De acordo com Elon Musk, uma "bomba populacional" vai surgir nas próximas décadas, quando uma população mundial cada vez mais idosa chocar com a queda das taxas de natalidade em todo o mundo. Esta não é …

O mundo árabe está menos religioso. Mas continua homofóbico

Há cada vez mais árabes que dizem não ter religião. Esta é a principal conclusão de uma grande sondagem feita a mais de 25 mil cidadãos de países árabes pelo centro de pesquisa Arab Network …

Tina morreu durante 27 minutos e foi ressuscitada 8 vezes. Quando acordou, escreveu "é real"

Uma mulher norte-americana entrou em paragem cardíaca em fevereiro de 2018 quando se preparava para fazer uma caminhada com o seu marido Brian. Depois de desmaiar, Brian ressuscitando-a duas vezes antes de os paramédicos chegarem para …

"Homem-árvore" pede que as suas mãos sejam amputadas

Abul Bajandar, um homem de 28 anos do Bangladesh conhecido como "Homem-árvore" devido às incomuns verrugas que nascem nos seus membros, pediu que as suas mãos fossem amputadas para aliviar as dores insuportáveis.  Bajandar sofre de …

EUA. Senadores republicanos do Oregon fogem para não aprovar lei ambiental

Senadores estaduais do Oregon, nos Estados Unidos (EUA), encontram-se a monte desde quinta-feira para não votarem uma lei ambiental. Procurados pela polícia, voltaram este domingo a faltar a uma sessão legislativa, impedindo que haja quórum …

O planeta enfrenta um "apartheid climático"

O planeta está confrontado com um “'apartheid' climático”. De um lado, os ricos que se podem adaptar melhor às alterações climáticas, e do outro, os pobres que vão sofrer mais, disse esta segunda-feira um especialista …

Governo repõe 40 horas semanais para trabalhadores do CNB. Greve mantém-se

A partir de 1 de julho, os trabalhadores da Companhia Nacional de Bailado (CNB) voltarão às 40 horas semanais, numa uniformização laboral com os trabalhadores do Teatro Nacional de São Carlos. A decisão foi comunicada, esta …

Nova espécie de planta fóssil descoberta em Gondomar

Annularia noronhai foi encontrada no meio da cidade de Gondomar. Tem 300 milhões de anos, é um parente muito afastado da cavalinha e diz muito sobre o clima da época. Uma nova espécie de planta já …

Há um ano, 12 jovens ficaram presos numa caverna da Tailândia. Hoje, é um local turístico

Há um ano, 11 meninos foram explorar a província de Chiang Rai, na Tailândia, com o seu treinador de futebol, e acabaram presos no fundo de uma caverna sob uma montanha. Depois de terminar o …

Alemães compraram toda a cerveja de Ostritz para "secar" neonazis

Os habitantes de Ostritz, na Alemanha, impediram os participantes de um festival neonazi de beber álcool, esvaziando todas as prateleiras dos supermercados. Num protesto inédito contra a comemoração do aniversário de Hitler naquela localidade, os habitantes  …