Kremlin espera que Putin deixe o cargo em breve. Presidente russo terá sobrevivido a atentado

10

Alexei Nikolsky / EPA / RIA NOVOSTI / KREM

Vladimir Putin, presidente da Rússia

Decisão de avançar para a Ucrânia tem causado divisões dentro do Governo russo. Kiev revela atentado falhado contra Putin.

A invasão à Ucrânia originou muitos protestos contra Vladimir Putin. Não só fora da Rússia, como dentro da Rússia – entre a população e entre o próprio Kremlin de Moscovo, sede do governo russo.

Muitos responsáveis (sobretudo os mais velhos) tendem a concordar com o que está a ser feito a nível militar.

O maior problema são as centenas de sanções, que estão a afectar a economia nacional.

“Não será possível viver como antes, nem se pode falar em desenvolvimento. Mas de alguma forma conseguiremos viver, com as importações e o comércio com a China e a Índia”, comentou fonte próxima do Kremlin ao portal Meduza.

“Os problemas na Rússia por causa da guerra já são visíveis e, a meio do Verão, vão surgir de diferentes direcções: transportes, medicina e até agricultura. Ninguém pensou numa escala destas”, acrescenta.

Além das sanções, há outro problema à vista: mesmo que a guerra terminasse já hoje, por iniciativa russa, a população local não voltará a olhar para o Governo do seu país da mesma forma.

Assim, quase ninguém dentro do Kremlin está satisfeito com Vladimir Putin, lê-se no portal. Nem membros do Governo, nem empresas.

Consideram que o presidente da Rússia não mediu bem as consequências (sanções) da guerra, quando ordenou o início da invasão há três meses.

Os especialistas no campo militar também protestam por outro motivo: o ritmo da “operação militar especializada” – muitos terão pensado que, a esta altura, a guerra já estaria ganha; e consideram que poderiam coordenar as forças de uma forma mais eficaz, se estivessem a liderar as operações.

Do outro lado, os empresários e funcionários que defendem o fim da guerra também não estão satisfeitos com a ausência de “passos reais” de Putin na direcção de um acordo de paz.

Putin continua a insistir na guerra, relativiza as dificuldades económicas – e não relaciona essas dificuldades com a guerra na Ucrânia, indicam outras fontes próximas do Governo.

Saída e sucessores…mas silêncio

Assim, a prioridade é: Putin deve deixar de ser presidente da Rússia.

Há cada vez mais membros do Governo, e outras autoridades, a querer que Vladimir Putin deixe o seu cargo. Não estão a preparar uma conspiração, não querem derrubar o seu presidente, mas esperam que Putin abandone o cargo em breve.

“O presidente errou. Mas depois tudo poderá ser consertado, de alguma forma, chegando a um acordo com o Ocidente e com a Ucrânia”, explica uma fonte.

Já há lista de possíveis sucessores, nos bastidores do Kremlin: Sergei Sobyanin (presidente da Câmara Municipal de Moscovo), Dmitry Medvedev (que já foi primeiro-ministro) e Sergei Kiriyenko (vice-presidente do Governo).

No entanto, apesar de toda esta contestação, reina o silêncio. Nenhum responsável com alto cargo demonstra que quer que Putin saia da presidência. Os governantes e empresários não gostam do cenário mas continuam a contribuir para a guerra.

E acreditam que essa substituição só vai acontecer se o estado de saúde do presidente da Rússia a justificar.

Alvo de atentado

Por coincidência, nesta terça-feira, dia da divulgação destas informações, o chefe da direcção-geral de Informações do Ministério da Defesa de Kiev indicou que Vladimir Putin foi alvo de um atentado.

De acordo com Kyrylo Budanov, a tentativa de assassinato decorreu pouco depois do início da guerra, que começou no dia 24 de Fevereiro.

“Houve um atentado para assassinar Putin. Inclusivamente diz-se que foi atacado, não há muito tempo, por representantes do Cáucaso“, afirmou Budanov, em entrevista ao jornal Ukrainska Pravda.

A tentativa foi “absolutamente falhada” e decorreu há cerca de dois meses, acrescentou o responsável.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

10 Comments

  1. Espero que Putin não seja vítima dum atentado. Que não haja qualquer desculpa para recordar este ser como uma vítima.

  2. Segundo alguns comentadores políticos estará na forja algum sucessor ainda mais fanático que o próprio Putin! Dali nada de bom há a esperar, se o ocidente for na conversa, mais tarde pagará a fatura!

  3. Aqui não se sabe de nada. devem estar a inventar. O tipo deve estar com uma segurança apertada, Nada deve chegar perto dele.
    dúvido muito que ele saia do governo, ele é um totalitário, ele é que manda naquela porra toda e nas vontades da duma. Se ele estivesse com ideias de sair não teria começado uma guerra da qual ele quer sair vitorioso. O tipo é totalitário demais para alguém o conseguir tirar de lá.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.