/

Kim Jong-un subiu montanha sagrada a cavalo (e deixou a Coreia à espera de um grande anúncio)

3

KCNA / EPA

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, foi ao monte Paektu, a montanha considerada sagrada pelos norte-coreanos, dar um passeio a cavalo. As imagens foram divulgadas pela agência estatal KCNA, tendo surgido especulações de que virá aí um anúncio importante.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Reza a lenda que foi na montanha com 2750 metros que terá nascido Dangun, o fundador do primeiro império coreano, há quatro mil anos – e também Kim Jong-il, o pai e antecessor de Kim Jong-un.

Terá ainda sido nesta montanha que Kim Il-sung, o avô do atual líder, organizou a resistência contra os japoneses, que governaram a Coreia entre 1910 e o fim da II Guerra Mundial, em 1945. É o que garante, de acordo com o Diário de Notícias, a propaganda do regime de Pyongyang que usa a montanha como símbolo.

“Ao testemunhar os grandes momentos dos seus pensamentos no topo do Monte Peaktu, todos os oficiais que acompanhavam [Kim Jong-un] estavam convencidos com emoção e alegria que será uma grande operação para surpreender o mundo com admiração e dar um passo em frente na revolução norte-coreana”, afirma a notícia da KCNA.

O tipo de imagens divulgadas e a linguagem usada no comunicado que descreve a subida de Kim ao topo do Monte Baektu contribuem para a construção da ideia de “mito” e têm um efeito de propaganda, que poderá ser intensificado nos próximos dias, considera Rachel Minyoung Lee, uma analista dos assuntos norte-coreanos, citada pela agência Reuters.

“Esta é uma forma de afirmação, um símbolo de desafio”, considera Joshua Pollack, do Instituto de Estudos Internacionais Middlebury, especialista nos assuntos da Coreia do Norte.

O passeio de Kim surge depois de, no início deste mês, responsáveis norte-americanos e norte-coreanos se terem reunido na Suécia, no primeiro encontro bilateral desde a segunda cimeira entre Kim e Trump, em junho, na zona desmilitarizada que divide as duas Coreias desde o fim da guerra (1950-53).

Mas as discussões acabaram por terminar sem nenhum desenvolvimento positivo. Pouco antes deste encontro, a Coreia do Norte lançou um novo tipo de míssil balístico, naquele que foi o 11.º teste deste género desde o início do ano.

Não é a primeira vez que Kim Jong-un sobre a montanha sagrada, vista pelos norte-coreanos como o caminho mais próximo para o céu. Em 2017 visitou o monte Paektu semanas antes do discurso de Ano Novo que marcou o ponto de viragem depois de meses de tensão com os EUA e com a Coreia do Sul, determinando a aproximação a ambos, que permitiu a realização de duas cimeiras com o presidente Donald Trump.

Em 2018, Kim esteve mesmo na montanha com o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in. Moon tornou-se assim o primeiro chefe de Estado sul-coreano a visitar o cume.

PUBLICIDADE

  ZAP //

3 Comments

  1. Mete dó como todo um país é instrumentalizado para obedecer e adorar um fanático político, louco e imperialista desta forma, é verdade que o medo e a colaboração de alguns a troco de benesses faz a submissão e o resultado está à vista.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.