/

Coreia do Norte confirma disparo de míssil a partir de um submarino

KCNA / EPA

A Coreia do Norte confirmou esta quinta-feira que lançou um novo míssil a partir de um submarino e considerou este teste “uma conquista importante” face às ameaças de “forças externas”.

A agência oficial do regime de Pyongyang, a KCNA, citada pela agência Lusa, confirmou as informações que foram divulgadas esta quinta-feira pela Coreia do Sul sobre o lançamento de um míssil balístico a partir de um submarino (SLBM), embora não tenha revelado detalhes sobre a sua trajetória.

A KCNA também explicou que se trata da terceira versão do seu míssil Pukguksong 3 (Estrela Polar) e disse que o lançamento foi feito a partir de baía de Wonsan, na costa oriental da Coreia do Norte.

Segundo anunciaram na quarta-feira fontes militares sul-coreanas, a Coreia do Norte disparou pelo menos um projétil na sua costa oriental, no que parece ser uma demonstração da crescente capacidade militar antes das negociações nucleares com os Estados Unidos (EUA).

O comando conjunto dos chefes de Estado-Maior da Coreia do Sul não confirmou imediatamente o tipo de armas disparado nem a distância percorrida.

O lançamento ocorreu depois de um diplomata norte-coreano sénior ter afirmado na terça-feira que a Coreia do Norte e os EUA tinham concordado em regressar às negociações do dossiê nuclear.

As negociações têm estado num impasse desde há meses, depois do colapso de uma cimeira entre os líderes norte-coreano, Kim Jong Un, e norte-americano, Donald Trump, devido a desacordos sobre a troca de levantamento de sanções pelo desarmamento.

Kim felicitou cientistas que realizaram teste

De acordo com o Expresso, a Coreia do Norte anunciou igualmente esta quinta-feira que testou com sucesso um novo míssil balístico lançado por submarino para conter ameaças externas e reforçar a sua defesa.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, “enviou calorosas felicitações” aos cientistas que conduziram o teste, avançou a agência estatal de notícias KCNA, o que indica que Kim não esteve presente no lançamento, ao contrário do que aconteceu com testes anteriores de novos sistemas de armas.

Kevin Lim / The Straits Times / EPA

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o Presidente do EUA, Donald Trump, dão um aperto de mão na “cimeira histórica” em Singapura

O novo tipo de míssil foi “disparado no modo vertical# nas águas ao largo da cidade de Wonsan, o que confirma a avaliação feita pela Coreia do Sul de que o míssil tinha sido lançado numa trajetória elevada.

“O sucesso do teste é de grande importância, pois inaugura uma nova fase na contenção da ameaça de forças externas à Coreia do Norte e reforça ainda mais o seu músculo militar para a autodefesa”, acrescentou a KCNA, precisando que o teste “não teve impacto adverso na segurança dos países vizinhos”.

Uma porta-voz do Departamento de Estado norte-americano pediu a Pyongyang que se “abstenha de provocações” e continue comprometida com as negociações nucleares. Já o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que o lançamento constituiu uma violação das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

A Coreia do Norte rejeita as resoluções que proíbem Pyongyang de usar tecnologia de mísseis balísticos, alegando serem uma violação do seu direito de legítima defesa.

Coreia do Norte e EUA retomam diálogo no sábado

O regime norte-coreano estava a desenvolver a tecnologia de mísseis balísticos lançados a partir de submarinos antes de iniciar negociações com os EUA e suspender os testes nucleares e com mísseis de longo alcance. Essas negociações conduziram à primeira cimeira entre Kim Jong Un e Donald Trump, em Singapura, em junho do ano passado.

As conversações destinam-se a desmantelar os programas nucleares e de mísseis da Coreia do Norte. No entanto, têm estado paralisadas desde o colapso da segunda cimeira entre os líderes, sem acordo, em fevereiro, no Vietname.

O lançamento de quarta-feira, o nono desde que ambos se encontraram na zona desmilitarizada entre as duas Coreias em junho, aconteceu um dia após Pyongyang ter anunciado o regresso das conversações com Washington no próximo sábado.

A reabertura do diálogo, que os EUA já confirmaram, deverá pôr fim a um impasse de meses. O principal negociador da Coreia do Norte para o nuclear, Kim Myong-Gil, aterrou esta quinta-feira no aeroporto de Pequim e reservou voos para Estocolmo, esclarecendo estar a caminho das negociações com os EUA.

  ZAP // //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.