Katmandu poderá ter-se deslocado alguns metros devido ao sismo

Narendra Shrestha / EPA

Um monge inspeciona os estragos no Syambhunaath Stupa, o "templo do macaca", em Katmandu

Um monge inspeciona os estragos no Syambhunaath Stupa, o “templo do macaca”, em Katmandu

Especialistas em tectónica defendem que a placa tectónica indiana, que se desloca continuamente para norte, deslizou mais um pouco sob a placa eurasiática, provocando o violento sismo no Nepal, que fez milhares de mortos e poderá ter deslocado Katmandu alguns metros.

“Este tremor de terra não foi uma surpresa, porque estamos numa zona de colisão” entre a placa tectónica indiana e a placa eurasiática”, explicou Yann Klinger, diretor de investigação do Centro Nacional de Investigação Científica francês (CNRS), especialista na tectónica das placas, citado pela agência de notícias francesa, AFP.

Segundo Klinger, “a placa indiana desloca-se para norte à razão de quatro centímetros por ano” e desses quatro, dois centímetros situam-se precisamente ao nível da cadeia montanhosa dos Himalaias.

Juntamente com colegas de outros países, Klinger estuda há vários anos os sismos antigos ocorridos numa parte dos Himalaias, com o objetivo de construir “um ciclo sísmico” e prever com que periodicidade poderá registar-se um novo sismo. O seu estudo revisto será ser em breve publicado.

“Nós calculámos que isso poderá ocorrer de cerca de 700 em 700 anos” e que a zona afetada este fim de semana “se partiu provavelmente pela última vez em 1344 – portanto, estava na altura“, acrescentou o especialista.

“Tínhamos visto que a secção que acaba de se quebrar atingira um nível de carga provavelmente próximo da rutura”, precisou.

O sismo de magnitude 7,8 na escala de Richter foi provocado pela abertura de uma grande falha, que gerou ondas ainda mais fortes por se ter dado muito rapidamente. O epicentro do sismo situou-se a cerca de 80 quilómetros de Katmandu.

James Jackson, especialista em tectónica da Universidade de Cambridge, concluiu, com base na análise das ondas sísmicas registadas após o tremor de terra, que “a zona em torno de Katmandu, a capital do Nepal, deslizou provavelmente cerca de três metros para sul“.

A região de Katmandu também se elevou cerca de 50 centímetros, enquanto no norte, houve uma área que baixou 50 centímetros, assegurou.

United States Geological Survey / Wikimedia

As placas tectónicas da Terra. A placa da Índia (a vermelho) desliza lentamente para debaixo da placa da Eurásia (verde). Entre a Índia e a China, o Nepal (assinalado) está na linha que separa as placas

As placas tectónicas da Terra. A placa da Índia (a vermelho) desliza lentamente para debaixo da placa da Eurásia (verde). Entre a Índia e a China, o Nepal (assinalado) está na linha que separa as placas

Em contrapartida, apesar de o Evereste (8.848 metros) ter sentido a atividade sísmica, o que desencadeou avalanches, isso não deverá ter alterado a sua altura, considera James Jackson.

O Evereste está demasiado longe” do epicentro do sismo, “não foi verdadeiramente afetado”, acrescentou.

A medição das ondas mas também os sensores instalados no Nepal permitirão ter uma ideia mais precisa da nova cartografia do país. E os satélites permitirão também ver a deformação da crosta terrestre.

De acordo com diversos especialistas cujas reações foram divulgadas pelo Science Media Centre, as réplicas do sismo ocorrido no passado sábado, 25 de abril, vão continuar.

“As réplicas deverão diminuir de intensidade com o tempo, mas poderão ainda ser sentidas durante várias semanas“, sustentou Ian Main, professor de sismologia na Universidade de Edimburgo.

Sandy Steacy, responsável da Escola de Ciências Físicas da Universidade de Adelaide, considera “provável” que haja “várias réplicas de magnitude 5 e talvez algumas de magnitude 6 ou mais”.

“O sismo aumentou a pressão sobre os segmentos vizinhos da falha ou das falhas adjacentes e elas são mais propensas a quebrar”, apontou Marc Allen, do departamento de Ciências da Terra da Universidade de Durham.

Segundo Allen, poderá haver outros tremores de terra na região nos próximos meses.

Yann Klinger concorda, afirmando: “A placa indiana nunca para. Esta região continuará a ter fortes sismos”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Índia regista mais de oito mil novos casos. Tem "uma longa batalha" pela frente

A Índia registou mais de oito mil novos casos de covid-19 num único dia, um novo recorde desde o início da pandemia no país, foi este domingo anunciado. O número de casos confirmados de covid-19 na …

Jovens bolivianos forçaram picada de viúva-negra. Queriam ser como o Homem-Aranha

Três irmãos bolivianos de 8, 10 e 12 anos acabaram hospitalizados depois de fazerem com que uma viúva negra os picasse para que ficassem com super-poderes como o Homem Aranha. "Pensando que a [picada] lhes …

Bloco exige retirada de norma "insultuosa" no apoio a recibos verdes

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu este domingo ao Governo que retire do formulário de apoio para os trabalhadores independentes uma norma "insultuosa" que lhes exige o compromisso de retomarem a atividade no prazo de …

Espetada de porco 2.0. Novameat propõe carne impressa em 3D para o jantar

A Novameat, uma empresa espanhola de tecnologia alimentar, apresentou um novo produto: carne de porco à base de plantas impressa em 3D, a que batizaram de espetada de porco 2.0. A Novameat quer apoiar um sistema …

Uber acusada de exploração de trabalhadores em Itália

Um tribunal de Milão ordenou a nomeação de um administrador judicial para a Uber Itália durante um ano, após ter determinado que o serviço de entrega de refeições da empresa explorava os trabalhadores. De acordo com …

Pinto de Costa: "Se Rui Moreira tivesse avançado, não me candidatava"

Pinto da Costa revelou que não teria avançado para a recandidatura à presidência do FC Porto se o presidente da Câmara do Porto tivesse entrado na corrida. "Se o Rui Moreira se tivesse candidatado, embora …

"Ficamos chocados." Cientistas redescobrem abelha azul que pensavam estar extinta

Um tipo de abelha azul reapareceu recentemente na Florida, nos Estados Unidos, depois de ter sido vista pela última vez em 2016. Além de azul, a espécie é nova e extremamente rara. Os cientistas estavam convencidos …

Missão da Space X acoplou com sucesso. Astronautas da NASA já chegaram à EEI

A cápsula Dragon que transporta os astronautas da agência espacial norte-americana (NASA) já acoplou à Estação Espacial Internacional, após terem partido no primeiro voo privado rumo ao espaço, neste sábado. Foi às 15:17 (hora de Lisboa) …

Venezuela vai aliviar quarentena com método próprio

Nicolás Maduro anunciou que, a partir de segunda-feira, a Venezuela vai aplicar um modelo próprio de quarentena preventiva da covid-19, que combina cinco dias de flexibilização disciplinada com dez de confinamento obrigatório. “É o modelo cinco …

Uma escultura gigante de uma ave está a espalhar gargalhadas numa cidade da Austrália

Um escultor australiano aproveitou o tempo de quarentena devido à pandemia de covid-19 para construir uma kookaburra eletrónica com quase quatro metros de altura, que até faz os mesmos movimentos e barulhos que o famoso …