“Não há planeta B”. Jovens de todo o mundo fazem greve pelo clima

José Coelho / Lusa

Manifestantes protestam durante a Greve Climática Global

Centenas de estudantes participaram, esta sexta-feira, na Greve Climática Global, alertando os líderes mundiais de que “não há planeta B”.

Porto, Coimbra, Guarda, Lisboa. Estas foram algumas das cidades em Portugal onde estudantes, de escolas básicas e secundárias, bem como professores, ambientalistas e políticos saíram às ruas para participar, esta sexta-feira, na Greve Climática Global.

Durante a iniciativa ouviram-se várias palavras de ordem e recados dirigidos ao Governo. Os manifestantes levantaram cartazes e entoaram cânticos para apelar à defesa do clima.  “Justiça climática”, “Não há Planeta B” e “Estamos a ficar sem tempo” são alguns dos exemplos.

Em Lisboa, vários partidos optaram mesmo por marcar presença na manifestação, como é o caso do PAN, do Bloco de Esquerda, do PS e do PSD., que se encontram em plena campanha eleitoral para as Legislativas de 6 de outubro.

Portugal aderiu à iniciativa com várias ações pelo clima durante a semana, que começou a 20 de setembro e terminou esta sexta-feira com manifestações em várias cidades, um pouco por todo o mundo.

Ambientalistas cortam Avenida Almirante Reis em Lisboa

Várias centenas de jovens cortaram esta tarde a Avenida Almirante Reis, em Lisboa, junto ao Banco de Portugal, bloqueando a circulação do trânsito, numa manifestação pacífica para exigir políticas consistentes para combater as alterações climáticas.

Tendas de campismo montadas no meio da estrada e cartazes com dizeres contra o “colapso climático” são algumas das formas de protesto, numa ação convocada pelo movimento Extinction Rebellion Portugal.

O comissário Serra, do Comando Metropolitano da PSP de Lisboa, disse à Lusa que “a situação está calma” e que a PSP está em negociações com os manifestantes para desimpedir a rua e permitir a circulação rodoviária, tendo para isso feito retirar algumas das tendas.

O comissário Serra adiantou que o direito à manifestação “não pode colidir” com o direito à circulação e que, como tal, estão a negociar com os manifestantes para irem para os passeios e desimpedirem a via.

No local, a garantir a segurança, estão agentes locais da PSP, do serviço da Intervenção Rápida, da Divisão de Trânsito e do Corpo de Intervenção, que estão já a retirar os manifestantes da estrada.

Alguns dos manifestantes, na sua maioria jovens, entre os quais muitos estrangeiros, disseram à agência Lusa que pretendem passar ali a noite.

Greta Thunberg faz-se ouvir no Canadá

A jovem ativista sueca Greta Thunberg, a grande impulsionadora deste movimento, exortou hoje o primeiro-ministro canadiano e outros líderes mundiais a fazerem mais pelo meio ambiente, antes de iniciar, no Québec, uma jornada da greve climática em que Justin Trudeau também participou.

Questionada durante uma breve entrevista antes da manifestação, a jovem afirmou que, como a maioria dos líderes, o primeiro-ministro canadiano “não fez o suficiente” para combater as alterações climáticas.

Greta, que conheceu hoje pessoalmente Justin Trudeau ao início da manhã, enfatizou que não queria “atingir indivíduos”, mas sim “concentrar-se numa visão geral, porque é mais fácil criticar uma única pessoa”.

“A minha mensagem para políticos de todo o mundo é a mesma: escute e aja de acordo com o que a ciência diz“, pediu.

Poucos dias depois do seu retumbante “how dare you?” (“como ousam” em português) durante a reunião dos líderes mundiais nas Nações Unidas, Greta encabeçou hoje uma marcha contra as alterações climáticas considerada uma das mais importantes da história do Canadá.

O primeiro-ministro canadiano, que está em campanha eleitoral para uma reeleição, em que promete nova legislação para proteção do meio ambiente, anunciou que se juntaria ao protesto.

O Comité das Nações Unidas para os Direitos das Crianças saudou a participação de crianças de todo o mundo nas manifestações de luta contra as alterações climáticas, apoiando que “as suas vozes sejam ouvidas e levadas em conta”.

Aquele organismo da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou-se “inspirado pelos milhões de crianças e adolescentes que se manifestaram pela mudança climática”, reconhecendo que os mais novos “já estão a ser afetados pela contaminação, as secas, os desastres naturais e a degradação do ecossistema”.

O presidente do comité, Luis Pedernera, considerou bem-vinda “a ativa e significativa participação das crianças, como defensores dos direitos humanos, em assuntos que os preocupem, como qualquer outra pessoa”.

Em comunicado, o comité recorda que a convenção sobre os direitos das crianças, que celebra este ano o seu trigésimo aniversário, reconhece aos menores de idade o direito à liberdade de expressão e considera inaceitável qualquer ameaça ou abuso pelo exercício dessa liberdade.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …