Jerónimo nega rebelião interna contra a “geringonça”

Manuel Almeida / Lusa

O secretário-geral comunista recusou esta segunda-feira a ideia de haver uma rebelião interna contra o acordo bilateral com o PS que permitiu a denominada “geringonça” governativa, reiterando que o PCP está coeso.

Em conferência de imprensa na sede do partido, em Lisboa, num intervalo da reunião do Comité Central do PCP, Jerónimo de Sousa respondeu aos jornalistas que a recente expulsão de um militante por críticas à posição atual do partido é uma “questão do foro interno”, rejeitando tratar-se de um fenómeno alargado.

“Quero dizer, com toda a franqueza, em relação a situações que possam existir, se houver um problema interno é no plano interno que deve ser discutido. A reunião do Comité Central foi tudo menos isso, uma reunião que está a correr a bom ritmo, a discutir os problemas do país, dos trabalhadores e do povo, um partido que está a discutir o reforço da sua organização”, disse, adiantando que há centenas de recrutamentos de novos militantes, “muitos deles jovens”.

O líder comunista assegurou que o ambiente é de “um quadro de grande coesão, numa perspetiva de andar para a frente e não andar para trás” e refutou a “ideia de que existe para aí uma rebelião com os resultados da nova fase da vida política nacional”, salientando medidas positivas para os trabalhadores e o povo como a redução de preços dos passes de transportes públicos intermodais.

No sábado, o semanário Expresso noticiou a decisão da Comissão Central de Controlo do PCP de expulsar o militante e ex-responsável regional em Cascais Guilherme Antunes devido a “várias publicações nas redes sociais” contra a atual solução política de entendimento com os socialistas.

“Tenho lido, de facto, aí umas notícias. Designadamente, de que haveria uma tempestade ou uma convulsão na reunião do Comité Central. Desculpe desiludir, mas não houve nenhuma convulsão. Houve um processo, uma questão interna, que está resolvida pelos respetivos órgãos. Não pomos o pé no laço nessa coisa de o PCP vir para a praça pública discutir questões que são do foro interno. Houve o tratamento, houve a decisão”.

Segundo Jerónimo de Sousa “este posicionamento político” do PCP “teve o empenho, a saudação do coletivo partidário” e “o ambiente é de coesão, com as votações a indicarem precisamente isso”.

“Naturalmente, existem ainda problemas por resolver. É a mensagem que queremos transmitir: não é bom andar para trás, é preciso andar para a frente, avançar porque foram claramente insuficientes, limitados, esses avanços, mas importantes”, afirmou, realçando a “reposição da esperança” em Portugal depois do Governo PSD/CDS-PP, além da “reposição de rendimentos e direitos”.

O secretário-geral comunista salientou que, “no partido, há uma grande identificação com o posicionamento, há unidade e há coesão” e que o PCP está pronto “para as batalhas que aí estão”. “Aquilo que é verdade, neste partido, é, de facto, a sua coesão, determinação e unidade. Temos partido pronto para a luta, unido e coeso. Posso garantir isso com toda a sinceridade e verdade”, disse.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Mário Centeno está a perder influência no Governo". Os (maus) sinais para o Orçamento de Estado 2020

A proposta de Orçamento do Estado para 2020 [OE 2020] vai ser apresentada daqui a uma semana e alguns economistas antecipam os riscos do documento, falando de uma "situação potencialmente perigosa para as contas públicas" …

Utilizadores russos do Reddit terão divulgado documentos comprometedores sobre o Brexit

A rede social Reddit anunciou ter concluído que utilizadores russos estiveram na origem da divulgação de documentos confidenciais do governo britânico sobre as negociações comerciais do Brexit. O Reddit anunciou, num comunicado citado pela Associated Press, …

Concorrência quer novas regras para fidelizações nas telecomunicações

A Autoridade da Concorrência (AdC) quer mudanças nas regras impostas pelas operadoras de telecomunicações nos contratos de fidelização. Segundo um relatório da AdC, ao qual o Jornal de Negócios teve acesso e que será esta segunda-feira …

Se Trump fosse julgado perante um júri, seria condenado "em três minutos"

Caso o processo de impeachment avance, e Trump seja apresentado perante um júri, Jerry Nadler acredita que o presidente norte-americano seria considerado culpado "em três minutos". O presidente da comissão de Justiça da Câmara dos Representantes, …

Sangue, lágrimas e crianças escoltadas na primeira despromoção da história do Cruzeiro

O Cruzeiro desceu de divisão pela primeira vez na sua história. O último jogo do campeonato, que selou a despromoção, ficou marcado por episódios violentos entre adeptos e polícia. O cenário vivido no 'Mineirão', este domingo, …

Movimento "Convergência" prepara moção para convenção do Bloco (mas rejeita cisão)

Largas dezenas de elementos do Bloco de Esquerda (BE) estiveram reunidos para preparar uma moção para apresentar na próxima convenção do partido, mas rejeitam estar a criar uma nova tendência ou a preparar uma cisão. João …

Empresário lesou Fisco em 60 milhões, mas não tem de devolver nada

Um empresário do setor do ouro condenado a sete anos de prisão por fraude fiscal agravada não terá de devolver nenhuma parte dos 60 milhões de euros de prejuízo que deu ao Estado por não …

Maioria das pistolas Glock roubadas da PSP pode ter estado sempre com a polícia

Luís Gaiba defende que a contagem do armamento não estava atualizada e que, por isso, a maioria das armas alegadamente desaparecidas pode nunca ter saído da posse da polícia. O agente Luís Gaiba, suspeito do roubo …

Rússia banida dos Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos

A Rússia foi banida, esta segunda-feira, de Jogos Olímpicos e Mundiais por quatro anos, na sequência de uma decisão, tomada por unanimidade, do comité da AMA que avalia o cumprimento dos regulamentos. A Rússia foi excluída dos …

Governo chinês bane compras públicas de computadores e software estrangeiros

O Governo chinês ordenou que todos os escritórios governamentais e instituições públicas removam computadores e software estrangeiros, ao longo dos próximos três anos, depois da decisão de Washington de banir aquisição de equipamentos da Huawei. A …