Jerónimo acusa PS, PSD e CDS de quererem rever leis eleitorais para falsificar resultados

Tiago Petinga / Lusa

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, acusou na noite de quarta-feira PS, PSD e CDS-PP de quererem rever as leis eleitorais para falsificar os resultados e fazer maiorias governativas com minoria de votos.

Esta cíclica pretensão da revisão das leis eleitorais tem um objetivo: falsificar os resultados eleitorais, fazer maiorias governativas com minoria de votos”, disse Jerónimo de Sousa numa sessão pública com os candidatos a deputados da CDU do distrito de Coimbra, em Vila Verde, arredores da Figueira da Foz.

O líder comunista adiantou que a revisão das leis eleitorais “é a grande solução, sempre pensada pelos partidos da política de direita para eternizar o seu mando”. Jerónimo de Sousa afirmou ainda que as propostas “de uns, mas também de outros” abrem a porta a uma revisão constitucional e à revisão das leis eleitorais.

“Quando se juntaram nestas matérias, é bom que não o esqueçamos, nunca foi para reforçar direitos e assegurar um projeto de desenvolvimento soberano do país. Foi sempre para fragilizar a democracia nas suas diversas dimensões – a económica privatizando; a social, fragilizando direitos”, avisou.

Num discurso de quase meia hora em que voltou a criticar o Presidente da República por ter promulgado a nova legislação laboral, “do Governo do PS, em convergência com PSD e CDS-PP”, “justificando as malfeitorias com os sinais de crise económica que estão no horizonte”, o dirigente do PCP abordou também o tema da regionalização, argumentando que esta “não é para avançar, é para continuar a adiar e dar força a uma falsa descentralização que [PS e PSD] acordaram em abril de 2018”.

“Aliás, é da nossa história coletiva que quando não se quer resolver um problema, nomeia-se mais uma comissão”, enfatizou Jerónimo de Sousa, aludindo à Comissão Independente para a Descentralização. O PCP, frisou, considera a regionalização “uma questão central” para ter um país “desenvolvido, um país equilibrado e não assimétrico como atualmente existe”. “Há 45 anos [a regionalização] está inscrita na Constituição da República e continua por concretizar”, lembrou.

Entre outros temas, Jerónimo de Sousa falou sobre política fiscal, sustentando que em Portugal o problema não está na carga fiscal, mas, sim, na justiça fiscal, “porque quem muito tem, mais deve pagar, quem pouco tem, menos deve pagar e esse é o problema central”. Jerónimo de Sousa afirmou também que a solução governativa da “geringonça” – o Governo PS apoiado no parlamento pelos partidos de esquerda – foi obra do PCP.

“Há quatro anos, quando havia um bloqueio na solução política, na situação política, houve um partido, o Partido Comunista Português, que encontrou a forma de solucionar o problema institucional”, salientou o secretário-geral do PCP.

// Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. “…fazer maiorias governativas com minoria de votos” .
    Mas .. não foi isso que o PCP fez com a geringonça?
    Se bem nos lembramos, o PS não foi o partido mais votado.

    • Não, quando a ignorância é muita faz se perguntas estúpidas. Não sei se vais ler, vou escrever devagarinho para ver se compreendes. Não sei se sabes vota se para eleger deputados, não é primeiros ministros. Andaram a vida toda a enganarem te e tu foste nessa ou quiseste ir. O que está em causa é que alterando a lei como quer, quem tiver por exemplo 35% tem logo a maioria absoluta ou seja com menos votos tem mais deputados que os outros todos, o que me parece que é bem diferente. Porque o governo sai do parlamento e não deve ser o parlamento a sair do governo. Mas senão entendeste, não volto a explicar, por o preço das aulas tem que ser bem caro. E a ignorância já é cara por si

      • A ignorância é que é extraordinária em si! Pois não sabe para quê elegemos esses deputados! É para andar a parasitar na A R.? Ou quando o cidadão vota, não está a votar em quem pretender ver a governar? Alguém vai votar num deputado? Alguém sequer conhece as listas da sua região? O nosso sistema eleitoral é uma vigarice, e deve ser mudado para que os deputados sejam eleitos directamente pelos circulo a que apresentam, círculo esse que deve ser uninominal! Mais, está para aí a defender a tese do pcp e tal como esse partido cai no disparate, pois o cds tem praticamente o mesmo número de votos do pcp, não é igualmente prejudicado? Eu sei que o pcp fala para idiotas acéfalos. Nem questionam em quê esse partido saíria beneficiando? E agora, o ps também é de direita? Afinal até se gaba de o promotor da geringonça. E, aonde está escrita na C.R.P, a imbecil ideia da regionalização de todo o país? Conheço-a quase toda de cor e fora as regiões em que tal se justifica por estarem separadas do resto do país, e portanto necessitam de poderes locais para decidir em relação às necessidades específicas, devidamente legisladas, não se lê mais nada sobre o assunto. Aliás tal projecto já foi referendado e chumbado pelos portugueses! O Ou está a usar a estratégia do cansaço, oara criar mais “tachos” a parasitas, quando vê a base eleitoral, finalmente, diminuir? Quanto ao possível acordo, é a treta do costume! Esquemas para manter esta pseudo-democracia, um logro onde que a nacão portuguesa caiu há muito.

    • Exactamente. Mas infelizmente temos uma constituição feita à medida dos tempos onde os comunistas sonhavam vir a dominar este país! Felizmente esse horror foi afastado. O povo quando vota, escolhe um governo, mas a maioria não sabe o logro que existe por de trás ao eleger listas de desconhecidos e que servem as clientelas partidárias. A escolha da maioria, que determina quem governa é uma falácia. Até se fez uma aliança pós eleitoral criado uma falsa maioria – como vemos, hipocrisia e facadas nas costas nao faltam -, pois no boletim de voto, ninguém viu ali uma geringonça. Assim se subverteu o desejo de quem votou no partido que ganhou as eleições!

  2. “porque quem muito tem, mais deve pagar, quem pouco tem, menos deve pagar e esse é o problema central”

    Mas se só 40% dos trabalhadores com mais rendimentos pagam impostos – o IRS, por exemplo -, o restante já está isento, não está já a ser aplicada essa máxima comunista?

    A menos que o PCP se refira ao IMI, e queira que os partidos que mais património têm – PCP em 1º lugar – passem a pagar este imposto, de que estão isentos.
    Aí sim, terão todo o apoio de 92% do povo Português, já que os restantes 8% – os votantes comunistas – devem achar uma heresia.

  3. A ignorância é que é extraordinária em si! Pois não sabe para quê elegemos esses deputados! É para andar a parasitar na A R.? Ou quando o cidadão vota, não está a votar em quem pretender ver a governar? Alguém vai votar num deputado? Alguém sequer conhece as listas da sua região? O nosso sistema eleitoral é uma vigarice, e deve ser mudado para que os deputados sejam eleitos directamente pelos circulo a que apresentam, círculo esse que deve ser uninominal! Mais, está para aí a defender a tese do pcp e tal como esse partido cai no disparate, pois o cds tem praticamente o mesmo número de votos do pcp, não é igualmente prejudicado? Eu sei que o pcp fala para idiotas acéfalos. Nem questionam em quê esse partido saíria beneficiando? E agora, o ps também é de direita? Afinal até se gaba de o promotor da geringonça. E, aonde está escrita na C.R.P, a imbecil ideia da regionalização de todo o país? Conheço-a quase toda de cor e fora as regiões em que tal se justifica por estarem separadas do resto do país, e portanto necessitam de poderes locais para decidir em relação às necessidades específicas, devidamente legisladas, não se lê mais nada sobre o assunto. Aliás tal projecto já foi referendado e chumbado pelos portugueses! O Ou está a usar a estratégia do cansaço, oara criar mais “tachos” a parasitas, quando vê a base eleitoral, finalmente, diminuir? Quanto ao possível acordo, é a treta do costume! Esquemas para manter esta pseudo-democracia, um logro onde que a nacão portuguesa caiu há muito.

Responder a José Cancelar resposta

Maior queda do mês no preço dos combustíveis. Gasóleo atinge mínimos de 4 meses

A partir de hoje os preços dos combustíveis irão baixar, e esta será a maior queda do mês. No que diz respeito ao preço da gasolina, esta deverá cair um cêntimo para 1,387€ por litro. …

Mais de 500 detidos nos protestos contra Lukashenko. Segue-se a greve geral

A greve geral anunciada pela líder da oposição bielorrussa no exílio para exigir a saída do Presidente começou, esta segunda-feira, com protestos tímidos e detenções em todo o país. "O prazo para cumprir as exigências do …

Polacos protestam contra acórdão que torna o aborto quase impossível

Milhares de polacos têm-se manifestado, nos últimos dias, contra a proibição quase total do aborto, quando as leis do país estavam já entre as mais restritivas da União Europeia. Na última quinta-feira, o Tribunal Constitucional polaco …

Japão promete "uma sociedade neutra em termos de carbono" até 2050

O Japão quer alcançar a neutralidade de carbono até 2050, disse hoje o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, um caminho que se afigura complicado, devido à dependência do país do carvão. Numa altura em que cada vez …

"Nada nos vai fazer recuar". Macron desperta a raiva do mundo muçulmano (e enfurece Erdogan)

Emmanuel Macron, presidente de França, assumiu posições muito claras na defesa da liberdade de exibir as caricaturas de Maomé, no âmbito da homenagem ao professor decapitado na semana passada, suscitando protestos em vários países muçulmanos. "Nada …

Merkel avisa Alemanha que os próximos meses vão ser “muito difíceis”

A chanceler alemã, Angela Merkel, avisou a Alemanha de que os próximos meses vão ser "muito difíceis", já que o número de infeções por covid-19 continua a crescer diariamente, tendo-se registado 8.685 nas últimas …

Portugal acusado de bloquear lei europeia contra evasão fiscal pelas multinacionais

Os governos português e sueco estão a ser acusados de bloquear, no Conselho da União Europeia (UE), a deliberação de uma lei contra a evasão fiscal por parte de grandes empresas multinacionais digitais. Segundo anunciou esta …

Consumo de antibióticos desce 22% durante a pandemia. Menos 1,1 milhões de embalagens vendidas

O consumo de antibióticos registou uma descida na ordem dos 22% nos primeiros oito meses deste ano. Venderam-se menos 1,1 milhões de embalagens, quando comparado com igual período do ano passado. Entre janeiro e agosto deste …

Portugal regista mais 2.447 casos e 27 mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 2.447 casos positivos e 27 mortes por covid-19. A informação foi divulgada, esta segunda-feira, no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico divulgado hoje revela que …

Testes rápidos devem ser aplicados em surtos em escolas ou lares

A Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, hoje publicada, determina que em situações de surto em escolas, lares ou outras instituições devem ser utilizados preferencialmente testes rápidos no sentido de aplicar "rapidamente as medidas adequadas …