No Japão, combater a pandemia implica pedir ajuda a um grande gato cor-de-rosa

Um super-herói mascarado patrulha dois dos distritos mais movimentados de Tóquio para ajudar os cidadãos japoneses a derrotar o coronavírus. O seu nome é Koronon e é um gato cor-de-rosa.

O cruzado é um mascote com um grande X cortando a palavra “COVID-19” na sua barriga. Ao longo do dia, o gato ronda os movimentados Ikebukuro e Shinjuku, distribuindo máscaras. Koronon também serve como um lembrete visível para praticar o distanciamento social e a higiene das mãos.

O centro de Tóquio da era covid-19 não é tão movimentado como de costume, mas ainda há muitas pessoas por aí.

Embora Koronon – cujo nome significa “sem corona” – pareça ser a única mascote criada em resposta à pandemia no Japão, não está sozinho na sua luta. Em todo o país, foram reaproveitadas mascotes para educar o público sobre as questões relacionadas ao vírus.

Algumas mascotes que normalmente fazem outras coisas foram recrutadas para distribuir máscaras faciais. Outras, incluindo Nazo No Sakana, a mascote da equipa de basebol dos Fuzileiros Navais de Chiba Lotte, estrelaram campanhas sobre a técnica adequada de lavar as mãos.

Dezenas delas foram apresentadas em placas lembrando os residentes de praticar o distanciamento social e ilustrações de mascotes aparecem atrás de falantes humanos em muitas conferências de imprensa.

Em declarações ao Atlas Obscura, Chris Carlier, que há quase uma década documenta as mascotes do Japão, disse que “as mascotes ajudam a aliviar quando assuntos sérios e sombrios estão a ser discutidos”.

Como os personagens peculiares são tão reconhecíveis e associados a lugares específicos, o arranjo também ajuda os espetadores a identificar onde os políticos estão a falar.

Além de Koronon, as procuradas mascotes da era da pandemia incluíram Shinjuku Awawa, uma bolha de sabão gigante que costumava “vigiar” a vida noturna do distrito, lembrando as pessoas de lavar as mãos; Maskuma, um urso com máscara que há muito tempo é a mascote do Centro de Saúde Tamakodaira em Tóquio; e Quaran, uma criatura alada cujos grandes óculos aparentemente ajudam a detetar doenças infecciosas como dengue e febre amarela.

Desde o início da pandemia, muitas outras mascotes foram reformadas para usar máscaras ou viseiras sempre que fazem aparições públicas. Algumas até usaram fantasias para se assemelhar a Amabie, uma criatura parecida com uma sereia da mitologia japonesa que supostamente cura doenças.

Embora as mascotes se tenham tornado uma parte altamente visível dos esforços dos governos locais para lidar com a pandemia, é difícil quantificar os seus impactos.

“Uma placa com uma mascote colorida e marcante provavelmente chamará a atenção dos cidadãos, mas não tenho ideia de como são eficazes”, afirmou Carlier.

Japão: O mundo das mascotes

Enquanto mascotes em outras partes do mundo são amplamente limitadas a eventos desportivos e parques de diversões, o Japão lança uma mascote para aparentemente todas as cidades, negócios, eventos e exportações locais.

Saiyou-kun, um rinoceronte, promove a Fundação de Serviços de Emprego de Tóquio; Ayucoro-chan, um leitão, é a mascote da cidade de Atsugi. Ranon-kun, um monge que também é um leão, é a mascote do Templo Higashi Honganji, em quioto. Gansho-kun, mascote de Gunkanjima, uma ilha mineira abandonada em Nagasaki, é um pedaço de carvão ambulante e carrancudo com edifícios abandonados na cabeça.

Esta lista continua indefinidamente.

Um site japonês lista cerca de 3.500 mascotes em todo o Japão, mas essa contagem está longe de ser abrangente. As mascotes baseiam-se em elementos de yokai (monstros sobrenaturais ou criaturas do folclore japonês), anime, manga e videojogos. A intenção é atrair as pessoas.

“As pessoas tendem a orgulhar-se das seus mascotes locais”, disse Carlier. Já a editora da Time Out Tokyo Kaila Imada, que já tinha feito reportagens sobre mascotes, ecoa esse sentimento. “Acho que parte disso é trazer um pouco de alegria”, disse.

Taizo Hayashi, designer e gerente da Koronon, espera que a mascote ajude a tornar “o mundo pacífico”, proporcionando um pouco de alegria num cenário de tempos difíceis.

E depois da pandemia?

Hayashi não tem certeza do que acontecerá a Koronon num mundo pós-pandémico. Se as doses anuais de reforço forem necessárias, talvez o gato possa voltar a sair para lembrar as pessoas de as tomar.

Imada observa que alguns museus japoneses têm procurado materiais relacionados com a pandemia de covid-19 para futuras exposições: talvez Koronon tenha um futuro lá.

  Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A praia de Katoku, no Japão.

Praia intocada no Japão é uma das últimas do país. A sua pureza está a ser violada

A praia em Katoku, no Japão, é parte do Património Mundial da UNESCO. A construção de um paredão está a dividir a população local. Nesta praia cercada por montanhas em Katoku, no Japão, quase não há …

Estátuas usadas num jardim eram, afinal, relíquias egípcias com milhares de anos

Duas estátuas de pedra, usadas durante muito tempo como simples decoração de jardim, foram vendidas por cerca de 230 mil euros, depois de se ter chegado à conclusão que eram, afinal, relíquias egípcias com milhares …

Pandora Papers são "embaraço também para Portugal". Caso vai ser analisado pelo Fisco

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais garantiu que, tal como já aconteceu noutros casos deste género, os Pandora Papers vão ser analisados pela Autoridade Tributária. No início de outubro, uma nova investigação do Consórcio Internacional …

Gonçalo Esteves, Sporting

"Gonçalo Esteves é o futuro do Sporting". Adeptos rendidos ao ex-portista de 17 anos

O lateral-direito Gonçalo Esteves, de apenas 17 anos, estreou-se na equipa principal do Sporting, no jogo da Taça de Portugal contra o Belenenses, e o treinador Ruben Amorim diz que é "o futuro" do clube. …

Portugal regista mais 10 mortes e 612 novos casos de covid-19

Portugal registou, este sábado, mais 10 mortes e 612 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 612 novos …

Toda a herança de Rendeiro foi para o "rei dos táxis". MP investiga presidente da ANTRAL e o filho motorista

O Ministério Público está a investigar o ex-motorista de João Rendeiro e o seu pai, o presidente da ANTRAL, a maior associação de táxis portuguesa. Em causa estão suspeitas de lavagem de dinheiro quando se …

Depois do polémico golo de Mbappé, UEFA pondera mudar regra do fora de jogo

A UEFA defendeu uma reformulação da regra do fora de jogo, depois do polémico golo de Kylian Mbappé que, no último domingo, deu a vitória a França na final da Liga das Nações. Apesar da polémica, …

Nova deputada do PSD condenada por falsificação de documento

A nova deputada do PSD, que toma posse na Assembleia da República na próxima terça-feira, já foi condenada por falsificação de documento há dois anos. Segundo avança o Jornal de Notícias, Eugénia Duarte vai substituir Carla …

Presidente avisou partidos sobre cenário de eleições antecipadas: "Se tiver de ser, é"

Em caso de chumbo do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), o Presidente da República prefere não perder tempo e "matar o mal pela raiz". Findas as audiências com os partidos no Palácio de Belém, a …

"A maior descida de sempre". Galamba sublinha redução dos preços da luz para empresas e famílias

As tarifas de electricidade propostas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) para 2022 representam uma descida nos preços da ordem dos 3,4%. O Secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba, fala de …