No Japão, combater a pandemia implica pedir ajuda a um grande gato cor-de-rosa

Um super-herói mascarado patrulha dois dos distritos mais movimentados de Tóquio para ajudar os cidadãos japoneses a derrotar o coronavírus. O seu nome é Koronon e é um gato cor-de-rosa.

O cruzado é um mascote com um grande X cortando a palavra “COVID-19” na sua barriga. Ao longo do dia, o gato ronda os movimentados Ikebukuro e Shinjuku, distribuindo máscaras. Koronon também serve como um lembrete visível para praticar o distanciamento social e a higiene das mãos.

O centro de Tóquio da era covid-19 não é tão movimentado como de costume, mas ainda há muitas pessoas por aí.

Embora Koronon – cujo nome significa “sem corona” – pareça ser a única mascote criada em resposta à pandemia no Japão, não está sozinho na sua luta. Em todo o país, foram reaproveitadas mascotes para educar o público sobre as questões relacionadas ao vírus.

Algumas mascotes que normalmente fazem outras coisas foram recrutadas para distribuir máscaras faciais. Outras, incluindo Nazo No Sakana, a mascote da equipa de basebol dos Fuzileiros Navais de Chiba Lotte, estrelaram campanhas sobre a técnica adequada de lavar as mãos.

Dezenas delas foram apresentadas em placas lembrando os residentes de praticar o distanciamento social e ilustrações de mascotes aparecem atrás de falantes humanos em muitas conferências de imprensa.

Em declarações ao Atlas Obscura, Chris Carlier, que há quase uma década documenta as mascotes do Japão, disse que “as mascotes ajudam a aliviar quando assuntos sérios e sombrios estão a ser discutidos”.

Como os personagens peculiares são tão reconhecíveis e associados a lugares específicos, o arranjo também ajuda os espetadores a identificar onde os políticos estão a falar.

Além de Koronon, as procuradas mascotes da era da pandemia incluíram Shinjuku Awawa, uma bolha de sabão gigante que costumava “vigiar” a vida noturna do distrito, lembrando as pessoas de lavar as mãos; Maskuma, um urso com máscara que há muito tempo é a mascote do Centro de Saúde Tamakodaira em Tóquio; e Quaran, uma criatura alada cujos grandes óculos aparentemente ajudam a detetar doenças infecciosas como dengue e febre amarela.

Desde o início da pandemia, muitas outras mascotes foram reformadas para usar máscaras ou viseiras sempre que fazem aparições públicas. Algumas até usaram fantasias para se assemelhar a Amabie, uma criatura parecida com uma sereia da mitologia japonesa que supostamente cura doenças.

Embora as mascotes se tenham tornado uma parte altamente visível dos esforços dos governos locais para lidar com a pandemia, é difícil quantificar os seus impactos.

“Uma placa com uma mascote colorida e marcante provavelmente chamará a atenção dos cidadãos, mas não tenho ideia de como são eficazes”, afirmou Carlier.

Japão: O mundo das mascotes

Enquanto mascotes em outras partes do mundo são amplamente limitadas a eventos desportivos e parques de diversões, o Japão lança uma mascote para aparentemente todas as cidades, negócios, eventos e exportações locais.

Saiyou-kun, um rinoceronte, promove a Fundação de Serviços de Emprego de Tóquio; Ayucoro-chan, um leitão, é a mascote da cidade de Atsugi. Ranon-kun, um monge que também é um leão, é a mascote do Templo Higashi Honganji, em quioto. Gansho-kun, mascote de Gunkanjima, uma ilha mineira abandonada em Nagasaki, é um pedaço de carvão ambulante e carrancudo com edifícios abandonados na cabeça.

Esta lista continua indefinidamente.

Um site japonês lista cerca de 3.500 mascotes em todo o Japão, mas essa contagem está longe de ser abrangente. As mascotes baseiam-se em elementos de yokai (monstros sobrenaturais ou criaturas do folclore japonês), anime, manga e videojogos. A intenção é atrair as pessoas.

“As pessoas tendem a orgulhar-se das seus mascotes locais”, disse Carlier. Já a editora da Time Out Tokyo Kaila Imada, que já tinha feito reportagens sobre mascotes, ecoa esse sentimento. “Acho que parte disso é trazer um pouco de alegria”, disse.

Taizo Hayashi, designer e gerente da Koronon, espera que a mascote ajude a tornar “o mundo pacífico”, proporcionando um pouco de alegria num cenário de tempos difíceis.

E depois da pandemia?

Hayashi não tem certeza do que acontecerá a Koronon num mundo pós-pandémico. Se as doses anuais de reforço forem necessárias, talvez o gato possa voltar a sair para lembrar as pessoas de as tomar.

Imada observa que alguns museus japoneses têm procurado materiais relacionados com a pandemia de covid-19 para futuras exposições: talvez Koronon tenha um futuro lá.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

No One Britain One Nation Day, (quase) todas as crianças britânicas vão cantar uma canção patriótica

O Governo britânico está a encorajar todas as crianças em idade escolar a cantar uma música patriótica, muito criticada nas redes sociais. O Departamento de Educação do Reino Unido quer que as escolas participem no One …

Descoberta a causa da extinção em massa mais severa dos últimos 540 milhões de anos

A extinção em massa mais dramática nos últimos 540 milhões de anos eliminou mais de 90% das espécies marinhas e 75% das espécies terrestres da Terra. Mas qual foi a sua causa? Embora os cientistas tenham …

Este robô pode salvar agricultores de um inesperado assassino

O Grain Weevil é um robô criado por estudantes de engenharia que pode salvar a vida de de agricultores e dos seus familiares de um assassino inesperado: cereais. Se os agricultores não gerirem ativamente os seus …

Ferro Rodrigues arrasado por pedir deslocação "massiva" de portugueses a Sevilha para apoiar Selecção

Numa altura em que o Governo se prepara para anunciar um travão no desconfinamento devido ao aumento de casos de covid-19, Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, é duramente criticado por ter apelado à …

Certificado digital vai permitir livre circulação em todo o país

O Certificado digital Covid-19 da União Europeia vai também servir de "passaporte" em todo o país para cidadãos em determinadas situações, prevê o decreto-lei que o governo vai apresentar esta quinta-feira. Segundo apurou o jornal Público, …

covid, Lisboa

Travão no desconfinamento em todo o país. Porto à beira do alerta e Lisboa pode recuar 2 meses

Os números da pandemia de covid-19 "continuam a aumentar", reconhece Marta Temido numa altura em que o Governo deverá anunciar o travão no desconfinamento em todo o país. Mas a situação em Lisboa é mais …

Todos contra o Chega. Parlamento chumba projeto sobre enriquecimento injustificado

O Parlamento rejeitou projecto de lei de André Ventura sobre enriquecimento injustificado com os votos contra de todos os partidos, exceto do PAN, que se absteve, e da deputada Cristina Rodrigues. O projeto de lei de …

Canon obriga funcionários na China a sorrir para irem trabalhar

Os funcionários do escritório de Pequim da multinacional japonesa são avaliados por um sistema de inteligência artificial que determina se estão felizes o suficiente para trabalhar. A medida foi criticada por invadir a privacidade dos …

Cristiano Ronaldo é o terceiro jogador mais decisivo do Euro 2020 (atrás de um belga e de um italiano)

O italiano Marco Verratti, o belga Kevin de Bruyne e o português Cristiano Ronaldo são os três jogadores mais decisivos do Euro 2020 até agora, altura em que acabou a fase de grupos da prova. …

John McAfee encontrado morto em prisão espanhola

O criador do antivírus McAfee, John McAfee, foi encontrado morto esta quarta-feira na sua cela numa prisão espanhola, aparentemente por suicídio, horas depois de a justiça espanhola ter aprovado a extradição para seu país de …