/

“Janelas de Vinho”. Itália ressuscita tradição do tempo da peste

1

Centenas de bares e restaurantes italianos “ressuscitaram” a tradição antiga das chamadas “Janelas de Vinho” durante a pandemia de covid-19, tentando assim servir os seus clientes com o mínimo contacto pessoal.

A tradição remonta aos tempos da Peste Negra (1300) e da Peste Italiana (1600) e consiste em servir vinho através de pequenas janelas dos estabelecimentos comerciais, explica o jornal norte-americano The Washington Post, detalhando que a iniciativa nasceu na região italiana da Toscana, no centro do país.

Tal como no passado, e temendo os efeitos da nova pandemia a nível da saúde pública e da economia, os comerciantes voltaram à tradição antiga e estão agora, tal como estiveram os seus conterrâneos no tempo da peste, a servir bebidas pelas janelas.

Mary Forrest, uma das fundadoras da Associazione Buchette del Vino, disse ao mesmo jornal norte-americano que a prática antiga é impressionante, uma vez que as pessoas da época não tinham a informação que temos agora sobre germes.

As pessoas não sabiam de onde vinha a praga, só descobriram mais tarde”, disse a fundadora da associação sem fins lucrativos criada para proteger estruturas históricas.

No passado, as janelas eram tradicionalmente utilizadas para a venda de vinho, mas, atualmente, o negócio expandiu-se: os italianos estão a usar a tradição para vender um pouco de tudo: vinho, cocktails, expressos e até gelados.

https://www.instagram.com/p/CAGFnNZlPVD/?utm_source=ig_embed

De acordo com a imprensa internacional, só em Florença estarão cerca de 150 estabelecimentos a recorrer a esta tradição para vender bebidas.

Os turistas que pretendam encontrar estas “Janelas de Vinho” podem utilizar o mapa interativo criado pela Associazione Buchette del Vino, que localiza os pontos de referência conhecidos. Todas as semanas é atualizado e conta com a ajuda do utilizadores.

O jornal britânico The Independent conta que, no tempo da peste, os clientes costumavam pagar pelas bebidas colocando moedas num recipiente de metal, que eram depois desinfetado pelo vendedor com vinagre, juntamente com as moedas.

A pandemia do novo coronavírus causou pelo menos 736.828 mortos em todo o mundo desde o aparecimento da doença na China em dezembro, segundo o balanço desta quarta-feira às 11:00 TMG (12:00 em Lisboa) da agência France-Presse.

  ZAP //

 

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.