“Jack the Stripper”. O maior serial killer do Reino Unido pode estar prestes a ser identificado

(dr)

A polícia está considerando reabrir o caso não resolvido de um serial killer que assassinou pelo menos seis mulheres nos anos 1960, de acordo com relatos.

As jovens vítimas, todas alegadamente prostitutas, foram encontradas estranguladas e nuas perto do Tamisa entre 1964 e 1965. Os seus dentes também tinham sido removidos.

Na época, os assassinatos ficaram conhecidos como “assassinatos nus de Hammersmith”, e o criminoso, que nunca foi identificado, foi apelidado de “Jack the Stripper”, uma referência ao serial killer de Londres do século XIX “Jack the Ripper”.

O The Times relata que a polícia está agora a considerar novas informações descobertas por David Wilson, professor de criminologia da Birmingham City University. Ele acredita que o assassino foi Harold Jones, um galês condenado por assassinar duas jovens na sua cidade natal, Abertillery, na década de 1920.

Aos 15 anos, Jones matou Freda Burnell, de oito anos, mas foi absolvido porque não havia provas suficientes. “Duas semanas depois, assassinou Florence Little, de 11 anos, e escondeu o corpo no sótão dos pais”, diz o jornal.

Jones confessou ter matado Florence e foi mandado para a prisão, sendo jovem demais para ser condenado à morte por enforcamento. Depois de ser libertado, em 1941, juntou-se ao exército. “Nada mais foi ouvido sobre ele, mas foi posteriormente encontrado em Fulham, onde estava a viver sob o nome de Harold Stevens“, continua o The Times.

Wilson aponta que este foi o “epicentro” dos assassinatos de “Jack the Stripper”, diz a BBC. Jones também tinha uma ligação com uma propriedade industrial onde a polícia acreditava que as vítimas eram mantidas antes de os corpos serem despejados. Acredita-se que tenha trabalhado como chapista, o que pode ter dado acesso a tinta semelhante às manchas encontradas nos corpos de quatro das vítimas.

Durante a investigação de 15 meses, Wilson localizou a filha de Jones, que ficou chocada ao saber do passado do pai. Wilson, ex-governador da prisão, transmitiu as suas descobertas à Polícia Metropolitana e espera agora ver o caso concluído.

“Como as vítimas eram vistas como trabalhadoras do sexo, eram vistas como menos merecedoras, as suas vidas não importavam”, disse.

“É realmente importante que tentemos obter justiça para as famílias destas mulheres, mesmo que os crimes tenham sido cometidos na década de 1960, e estamos a dar à polícia evidências que nunca tiveram na época e em que Jones surge como principal suspeito”.

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

    • Caro Marco,
      Jack the Stripper. São duas pessoas diferentes, dois serial killers diferentes.
      Jack the Ripper (ou Jack, o Estripador) foi um assassino que atacava mulheres, geralmente prostitutas, e removia-lhes os órgãos. Atuou em Londres em 1888.
      Já Jack the Stripper atuou entre 1964 e 1965, também em Londres. Atacava prostitutas, mas não lhes removia os órgãos. Deixava os corpos nus. Por isso é que é chamado “the Stripper” – tirava as roupas às vitimas.

    • Ó caro Marco… Jack the Ripper?!! Esse gajo era de outro século…
      Entretanto li os restantes comentários e já percebi que a confusão é generalizar. O Jack the ripper é do século XIX!!! Suspeitou-se até que poderia ser alguém da família real. Não se sabe ao certo se seria especulação ou não, mas o boato correu.

  1. “Jack the Stripper”? Não seria «Jack the Ripper»? É que há uma grande diferença entre Stripper (que faz striptease) e Ripper (estripador)

    • Cara Ana,
      Sim, é Jack the Stripper. São duas pessoas diferentes, dois serial killers diferentes.
      Jack the Ripper (ou Jack, o Estripador) foi um assassino que atacava mulheres, geralmente prostitutas, e removia-lhes os órgãos. Atuou em Londres em 1888.
      Já Jack the Stripper atuou entre 1964 e 1965, também em Londres. Atacava prostitutas, mas não lhes removia os órgãos. Deixava os corpos nus. Por isso é que é chamado “the Stripper” – tirava as roupas às vitimas.

    • Caro Sam,
      Sim, é Jack the Stripper. São duas pessoas diferentes, dois serial killers diferentes.
      Jack the Ripper (ou Jack, o Estripador) foi um assassino que atacava mulheres, geralmente prostitutas, e removia-lhes os órgãos. Atuou em Londres em 1888.
      Já Jack the Stripper atuou entre 1964 e 1965, também em Londres. Atacava prostitutas, mas não lhes removia os órgãos. Deixava os corpos nus. Por isso é que é chamado “the Stripper” – tirava as roupas às vitimas.

Há uma nova teoria para explicar a onda de sismos silenciosos que fez a Terra tremer em 2018

Em maio de 2018, milhares de terramotos sacudiram a pequena ilha francesa de Mayotte, no arquipélago das Comoras, situado entre o continente africano e Madagáscar. A maioria foram tremores leve mas, um deles, a 15 …

Os futuros colonos de Marte poderão ter miopia, ossos mais densos e até outra cor de pele

https://vimeo.com/338334578 Caso os seres humanos consigam colonizar Marte, os novos colonos do Planeta Vermelho vão sofrer uma série de mutações que os distanciará dos humanos da Terra. Estas alterações serão tão drásticas que os habitantes de …

Adolescente italiana libertada depois de matar pai abusivo. Autoridades alegaram legítima defesa

Uma adolescente italiana que matou o seu pai abusivo foi libertada da prisão domiciliária que as autoridades lhe tinham imposto depois de os promotores considerarem que a jovem agiu em legítima defesa. De acordo com …

Asteróide gigante com lua própria vai passar muito próximo da Terra este sábado

Um asteróide com sua própria "lua" potencialmente perigoso passará este sábado no ponto mais próximo em relação ao nosso planeta pela primeira vez desde que foi descoberto em 1999. Segundo o portal Cnet, trata-se de um …

Adolescente encontra (por acaso) mandíbula de um mastodonte com 34 mil anos

Enquanto procurava relíquias do período neolítico, uma estudante fez uma descoberta surpreendente: encontrou uma mandíbula de um mastodonte com 34 mil anos. Uma adolescente do estado norte-americano de Iowa encontrou uma mandíbula de um mastodonte com …

Encontrado o navio que transportou os últimos escravos africanos para os EUA. Estava num rio

Afundado há 160 anos, um navio emergiu do fundo das águas de um rio do Alabama para contar a história dos últimos escravos africanos nos Estados Unidos. O Clotilda terá sido o último navio de sempre …

Banca. Aumento das comissões é "inevitável"

A diretora-geral da Associação Portuguesa de Bancos disse esta sexta-feira ser "inevitável" que se verifique um aumento do peso relativo das comissões no produto bancário, assinalando que o próprio Banco Central Europeu tem reconhecido …

Presidente do PSG indiciado por corrupção ativa

O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaïfi, foi indiciado por corrupção ativa num âmbito de um processo judicial que investiga suspeitas relativas à atribuição da organização dos Mundiais de Atletismo a Doha, no Qatar. De acordo com …

Incêndios: Governo decreta Situação de Alerta até 30 de maio

O território continental está desde as 20:00 desta sexta-feira e até às 23:59 de 30 de maio, quinta-feira, em Situação de Alerta, devido às previsões meteorológicas que “apontam para um significativo agravamento do risco de …

Vivia numa habitação social. De repente, herdou uma propriedade de 50 milhões

Um teste de ADN mudou a vida de Jordan Rogers para sempre. O britânico, de 31 anos, promete tentar ajudar outras pessoas que vivem na situação que ele próprio sentiu na pele. Jordan Rogers trabalhava como …