“Jack the Stripper”. O maior serial killer do Reino Unido pode estar prestes a ser identificado

(dr)

A polícia está considerando reabrir o caso não resolvido de um serial killer que assassinou pelo menos seis mulheres nos anos 1960, de acordo com relatos.

As jovens vítimas, todas alegadamente prostitutas, foram encontradas estranguladas e nuas perto do Tamisa entre 1964 e 1965. Os seus dentes também tinham sido removidos.

Na época, os assassinatos ficaram conhecidos como “assassinatos nus de Hammersmith”, e o criminoso, que nunca foi identificado, foi apelidado de “Jack the Stripper”, uma referência ao serial killer de Londres do século XIX “Jack the Ripper”.

O The Times relata que a polícia está agora a considerar novas informações descobertas por David Wilson, professor de criminologia da Birmingham City University. Ele acredita que o assassino foi Harold Jones, um galês condenado por assassinar duas jovens na sua cidade natal, Abertillery, na década de 1920.

Aos 15 anos, Jones matou Freda Burnell, de oito anos, mas foi absolvido porque não havia provas suficientes. “Duas semanas depois, assassinou Florence Little, de 11 anos, e escondeu o corpo no sótão dos pais”, diz o jornal.

Jones confessou ter matado Florence e foi mandado para a prisão, sendo jovem demais para ser condenado à morte por enforcamento. Depois de ser libertado, em 1941, juntou-se ao exército. “Nada mais foi ouvido sobre ele, mas foi posteriormente encontrado em Fulham, onde estava a viver sob o nome de Harold Stevens“, continua o The Times.

Wilson aponta que este foi o “epicentro” dos assassinatos de “Jack the Stripper”, diz a BBC. Jones também tinha uma ligação com uma propriedade industrial onde a polícia acreditava que as vítimas eram mantidas antes de os corpos serem despejados. Acredita-se que tenha trabalhado como chapista, o que pode ter dado acesso a tinta semelhante às manchas encontradas nos corpos de quatro das vítimas.

Durante a investigação de 15 meses, Wilson localizou a filha de Jones, que ficou chocada ao saber do passado do pai. Wilson, ex-governador da prisão, transmitiu as suas descobertas à Polícia Metropolitana e espera agora ver o caso concluído.

“Como as vítimas eram vistas como trabalhadoras do sexo, eram vistas como menos merecedoras, as suas vidas não importavam”, disse.

“É realmente importante que tentemos obter justiça para as famílias destas mulheres, mesmo que os crimes tenham sido cometidos na década de 1960, e estamos a dar à polícia evidências que nunca tiveram na época e em que Jones surge como principal suspeito”.

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

    • Caro Marco,
      Jack the Stripper. São duas pessoas diferentes, dois serial killers diferentes.
      Jack the Ripper (ou Jack, o Estripador) foi um assassino que atacava mulheres, geralmente prostitutas, e removia-lhes os órgãos. Atuou em Londres em 1888.
      Já Jack the Stripper atuou entre 1964 e 1965, também em Londres. Atacava prostitutas, mas não lhes removia os órgãos. Deixava os corpos nus. Por isso é que é chamado “the Stripper” – tirava as roupas às vitimas.

    • Ó caro Marco… Jack the Ripper?!! Esse gajo era de outro século…
      Entretanto li os restantes comentários e já percebi que a confusão é generalizar. O Jack the ripper é do século XIX!!! Suspeitou-se até que poderia ser alguém da família real. Não se sabe ao certo se seria especulação ou não, mas o boato correu.

  1. “Jack the Stripper”? Não seria «Jack the Ripper»? É que há uma grande diferença entre Stripper (que faz striptease) e Ripper (estripador)

    • Cara Ana,
      Sim, é Jack the Stripper. São duas pessoas diferentes, dois serial killers diferentes.
      Jack the Ripper (ou Jack, o Estripador) foi um assassino que atacava mulheres, geralmente prostitutas, e removia-lhes os órgãos. Atuou em Londres em 1888.
      Já Jack the Stripper atuou entre 1964 e 1965, também em Londres. Atacava prostitutas, mas não lhes removia os órgãos. Deixava os corpos nus. Por isso é que é chamado “the Stripper” – tirava as roupas às vitimas.

    • Caro Sam,
      Sim, é Jack the Stripper. São duas pessoas diferentes, dois serial killers diferentes.
      Jack the Ripper (ou Jack, o Estripador) foi um assassino que atacava mulheres, geralmente prostitutas, e removia-lhes os órgãos. Atuou em Londres em 1888.
      Já Jack the Stripper atuou entre 1964 e 1965, também em Londres. Atacava prostitutas, mas não lhes removia os órgãos. Deixava os corpos nus. Por isso é que é chamado “the Stripper” – tirava as roupas às vitimas.

Responder a MC Cancelar resposta

Aerogel de sílica pode ser a substância necessária para tornar Marte habitável

Marte é um lugar bastante inóspito e a NASA recentemente mostrou que não é possível transformá-lo numa "segunda Terra". No entanto, investigadores de Harvard mostraram que camadas finas de aerogel de sílica podem aquecer a superfície …

Revelada a primeira fotografia de entrelaçamento quântico

Pela primeira vez na História, os cientistas capturaram uma fotografia de entrelaçamento quântico - um fenómeno tão estranho que o físico Albert Einstein o descreveu como "uma ação fantasmagórica à distância". A imagem foi capturada por …

Netflix retira imagens de suicídio de "13 Reasons Why"

A Netflix modificou o episódio da série "13 Reasons Why" onde apareciam imagens do suicídio da protagonista Hannah Baker (Katherine Langford), passando agora essa parte da ação a ocorrer de forma totalmente oculta para os …

Belinda Sharpe é a primeira árbitra do râguebi australiano em 111 anos

Belinda Sharpe vai tornar-se na primeira árbitra de campo na história de 111 anos da liga profissional de râguebi na Austrália, quando dirigir um jogo do campeonato agendado para quinta-feira. A Liga Nacional de Râguebi (NRL) …

Os chimpanzés não têm noção de justiça e aceitam desigualdades

Os chimpanzés carecem da noção de justiça e aceitam a desigualdade na repartição de comida ou materiais, segundo a investigadora Nereida Bueno. A cientista, da Universidade Pontificia de Camillas, que participou num estudo publicado esta semana …

Descartar drogas pelo esgoto pode criar "meta-caimões" nos Estados Unidos

O Departamento da Polícia de Loretto, no estado norte-americano do Tennessee, alertou este sábado para os perigos associados à eliminação de narcóticos através das canalizações das casas de banho. Numa publicação na página oficial de Facebook, …

Descoberta nova via terapêutica para tratar o Alzheimer

Um grupo de cientistas descobriu uma nova via terapêutica para tratamento do Alzheimer, que segundo os investigadores cria “alguma esperança” para travar o desenvolvimento da doença em estágios mais iniciais. O projeto, cujas conclusões foram publicadas …

Exército de carraças está a dizimar vacas (e pode chegar aos humanos)

Uma espécie invasiva de carraças já dizimou um quinto da população de vacas na Carolina do Norte. Os cientistas temem que o próximo alvo podem ser os humanos. A espécie de carraça Haemaphysalis longicornis tem feito …

Ucrânia aprova castração química para pedófilos

Na Ucrânia, será administrada uma injeção que reduz o libido aos pedófilos. A legislação vai aplicar-se a homens com idades entre os 18 e os 65 anos que forem considerados culpados de violação ou abuso …

Em vez de desaparecer, ilhas do Pacífico poderão mudar de forma

Países insulares como Tuvalu, Toquelau e Kiribati passam o nível do mar em poucos metros. Estes são Estados considerados vulneráveis ao aquecimento climático do planeta e as populações acreditam que podem desaparecer com a subida …