Iraquiano que derrubou estátua de Saddam dava tudo para voltar atrás

Um dos homens que, no dia 9 de abril de 2003, derrubou a estátua do ditador está arrependido pelo que fez e diz que o Iraque está ainda pior depois desse episódio.

“Hoje, quando passo por aquela praça, sinto vergonha”, afirma o iraquiano Khadim al-Jabbouri, referindo-se à praça Firdos, em Bagdade.

Foi aí que o mecânico, juntamente com a força de muitos outros homens, ajudou a derrubar a famosa estátua de Saddam Hussein.

O episódio aconteceu em 2003 e as imagens correram mundo, com a queda da estátua a tornar-se o símbolo de esperança e da chegada de uma nova etapa ao país.

Mas hoje, Al-Jabbouri, que viu mais de uma dezena de parentes executados pelo antigo regime, diz estar arrependido do que fez e que, se pudesse, gostava de ter o ditador de volta.

“Porque é que derrubei aquela estátua? Se pudesse, colocava-a de novo no lugar, podia reconstrui-la, mas tenho medo de ser morto”, questiona o iraquiano, citado pela BBC.

Treze anos depois da invasão americana, o mecânico é um dos muitos iraquianos frustrados com o rumo que o país tomou desde a guerra.

Imerso em vários conflitos, com um poder fragmentado e territorialmente ameaçado pelos terroristas do Estado Islâmico, o Iraque nunca emergiu da violência extrema em que mergulhou desde o conflito.

Caso disso foi o ataque do último domingo em Bagdade, quando um carro-bomba explodiu no centro da capital, num local repleto de jovens e de famílias que celebravam o fim do Ramadão, o mês sagrado dos islâmicos.

Os novos balanços indicam que o número de mortos subiu para 250, fazendo desse dia o mais sangrento dos últimos anos no país.

“O regime de Saddam foi implacável e assassino e levou o país a uma série de guerras desastrosas e a sanções internacionais. Mas, olhando para os últimos treze anos, o mundo que existia antes de 9 de abril de 2003 era mais calmo e seguro”, considera Jeremy Bowen, editor do Médio Oriente da BBC.

“Os iraquianos não tiveram um único dia de paz desde a queda do regime”, acrescentou.

Relatório Chilcot publicado

A história da invasão do Iraque vem à tona exatamente no mesmo dia em que uma investigação sobre a participação do Reino Unido na guerra é publicada.

Elaborada pelo político John Chilcot, a pedido do Governo britânico, a investigação concluiu que “o Reino Unido escolheu juntar-se à invasão do Iraque antes de esgotar as opções pacíficas para um desarmamento”.

“A ação militar não era, na altura, o último recurso”, disse Chilcot, acrescentando que a investigação concluiu também que os planos para a ocupação do Iraque foram “completamente desadequados”.

“Apesar das advertências explícitas, as consequências da invasão foram subestimadas. O planeamento e os preparativos para o Iraque pós-Saddam foram completamente desadequados”, disse.

No relatório, que está disponível online, lê-se ainda que Tony Blair garantiu apoio incondicional a George W. Bush, “aconteça o que acontecer”.

Mas para Al-Jabbouri, que hoje vive refugiado no Líbano, as conclusões já são claras há muito tempo.

Bush e Blair são uns mentirosos. Destruíram o Iraque e voltamos à estaca zero. Se eu fosse criminoso, matava-os com as minhas próprias mãos”, afirma.

ZAP / BBC

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Nada me admira, infelizmente parece que andamos todos de cavalo para burro e até por cá alguns vão torcendo a orelha!

  2. Os governantes (?) de Portugal e de outros países em 2003 que apoiaram os Estados Unidos na invasão do Iraque não estão isentos de culpa em relação ao estado de violência a que este país chegou.

RESPONDER

"Fez a Amadora e uma parte de Luanda". Amigo de Salgado nega "qualquer perdão de dívida" do Montepio

O construtor civil José Guilherme, que está no centro das investigações ao Banco Montepio, assegura que não recebeu qualquer empréstimo sem garantias, nem "qualquer perdão da dívida", garantindo ainda que sempre cumpriu todas as suas …

Entre Rui Rio e Luís Montenegro, há quem vote no regresso de Passos Coelho

O presidente do PSD, Rui Rio, e o antigo líder parlamentar Luís Montenegro voltam hoje a disputar eleições directas, numa inédita segunda volta em que podem votar 40.604 militantes com as quotas em dia. Nos …

Vírus detetado na China pode já ter infetado mais de mil pessoas

O número de pessoas infetadas com um vírus que matou duas pessoas na China ultrapassa provavelmente o milhar de casos e é muito superior àquele avançado pelas autoridades locais, segundo investigadores britânicos. Num artigo publicado, esta …

Joacine Katar Moreira não vai renunciar ao cargo de deputada

O IX Congresso para eleger os novos órgãos do Livre começa, este sábado, em Lisboa. A única deputada do partido na Assembleia da República já disse que não vai renunciar ao cargo. À chegada ao IX …

Cabeceamentos no futebol podem ser proibidos ou limitados. O problema é o risco de demência

A Federação escocesa de futebol prepara-se para proibir os cabeceamentos nos escalões com menores de 12 anos.  Em Inglaterra, fala-se em limitar este gesto futebolístico que foi associado a doenças neuro-degenerativas em vários estudos científicos. …

Fenómeno cerebral desvenda enigma sobre as casas do Neolítico

O comportamento humano está influenciado por aspetos inconscientes. Um deles é um fenómeno da perceção conhecido entre psicólogos como a negligência espacial cerebral. Este fenómeno refere-se à observação de que as pessoas saudáveis preferem o seu …

Justiça do Mónaco investiga José Eduardo dos Santos e Isabel dos Santos

As autoridades do Mónaco estarão a investigar a empresária angolana, assim como o seu pai e o seu marido, pelo crime de branqueamento de capitais. De acordo com o semanário Expresso, as autoridades judiciais do Mónaco …

Depressão Glória atinge Portugal continental com vento forte

A depressão Glória está a caminho. Segundo o Instituto Português do Mar e Atmosfera, no domingo, esperam-se rajadas de vento que podem atingir os 110 quilómetros por hora nas terras altas. A depressão Glória vai passar …

Governo não renova PPP do Hospital de Loures

O Estado não vai renovar a atual parceria público-privada (PPP) do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, que é gerido pelo grupo Luz Saúde, anunciou a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo …

Cientistas podem ter descoberto por que Beethoven ficou surdo

Ludwig van Beethoven começou a notar dificuldades de audição em 1798, com 28 anos. Com 44 ou 45, estava totalmente surdo. Aos 56 anos, o músico morreu e, até hoje, ainda não se sabe …