/

Iraque retira embaixador do cargo e recusa levantar imunidade dos gémeos

O ministro dos Negócios Estrangeiros anunciou esta quinta-feira que o Iraque decidiu retirar de Lisboa o embaixador do Iraque em Portugal, pai dos gémeos que agrediram um jovem em Ponte de Sor.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O Iraque decidiu retirar o seu embaixador em Lisboa, anunciou hoje em conferência de imprensa o ministro dos negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva.

As autoridades iraquianas optaram por não levantar o pedido de imunidade diplomática dos filhos do diplomata porque consideram que “não há elementos suficientes que o justifiquem”, adiantou o governante.

Ainda assim, dado o envolvimento no caso, Bagdad considera que o diplomata não está em condições de continuar as suas funções, pelo que vai ser retirado do cargo.

Desta forma, não será necessário às autoridades portuguesas declarar Saad Mohammed Ali “persona non grata”.

Ainda ontem, o Ministério Público levantou o segredo de justiça do processo e considerou que o levantamento da imunidade diplomática dos gémeos era “imprescindível”.

A Procuradoria-Geral da República já tinha afirmado que o inquérito crime iria correr os seus termos, apesar do acordo extrajudicial anunciado entre a família de Rúben Cavaco e o embaixador iraquiano.

O jovem agredido recebeu do diplomata um total de 52 mil euros, isto é, 40 mil euros para selar o acordo extrajudicial e ainda 12 mil euros que já tinham sido pagos para as despesas hospitalares.

Em agosto de 2016, em Ponte de Sor, os dois jovens terão espancado o jovem, que acabou por sofrer múltiplas fraturas e que chegou a estar em coma induzido.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.