Irão vive a instabilidade política mais mortífera das últimas quatro décadas

STR / EPA

O que começou por ser um protesto contra um aumento surpresa nos preços da gasolina transformou-se rapidamente em manifestações generalizadas, com uma repressão sistemática.

Em apenas quatro dias, entre 180 e 450 pessoas morreram em protestos que começaram há duas semanas após o aumento abrupto dos preços da gasolina. Este domingo, o norte-americano The New York Times escreveu que o Irão enfrenta atualmente a instabilidade política mais mortífera desde a Revolução Islâmica há 40 anos.

O gatilho dos protestos foi o aumento abrupto de 50% ou mais dos preços da gasolina. Desde então, os manifestantes pedem o fim do Governo da República Islâmica e o derrube dos seus líderes.

De acordo com o Expresso, os protestos têm sido reprimidos com violência pelas autoridades e só agora, após o levantamento recente de um corte da Internet, começam a surgir detalhes sobre a repressão. As forças de segurança terão aberto fogo contra manifestantes desarmados, na sua maioria desempregados ou jovens de baixos rendimentos, segundo relatos de várias testemunhas.

Omid Memarian, vice-diretor do Centro de Direitos Humanos no Irão, um grupo estabelecido em Nova Iorque, disse que “o uso recente de força letal contra pessoas em todo o país não tem precedentes, nem mesmo para a República Islâmica e o seu histórico de violência”.

O número de mortos não é certo, mas sabe-se que poderá ter variado entre as duas centenas e o meio milhar, havendo pelo menos dois mil feridos e sete mil detidos a registar.

O líder supremo, o ayatollah Ali Khamenei, considerou a repressão uma resposta justificada ao que apelidou de conspiração dos inimigos do Irão, dentro e fora do país.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. O fanatismo no Irão vai acabar. Nem sempre foi assim e nem será sempre assim. Existe uma cultura urbana jovem em cidades como Teerão que demonstram bem uma total intolerância com o atual regime. Acho que tem os dias contados. Pode não ser desta mas, mais tarde ou mais cedo, vamos voltar a ter um Irão pré-Khomeini

"Diga-lhe para ligar ao FBI". Autocarro com a cara do príncipe André circula em Londres

Um autocarro escolar, com a cara do príncipe André, andou a circular por Londres, esta sexta-feira, numa campanha da advogada Gloria Allred para pressionar o filho da Rainha a falar com o FBI. Esta sexta-feira, um autocarro …

Suspeito de terrorismo ouvido em tribunal (com o juiz a recusar ver os seus vídeos por não ter Internet)

O arguido Rómulo Costa, um dos oito portugueses acusados por financiamento ao terrorismo e recrutamento, adesão e apoio ao Estado Islâmico, foi interrogado, esta sexta-feira, na fase de instrução do processo que vai decorrer no …

FC Porto recorre do castigo de um jogo à porta fechada

O FC Porto vai recorrer do castigo de um jogo à porta fechada, aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) por ofensa a um agente desportivo. "O FC Porto vai recorrer …

Moita Flores investigado por corrupção. Antigo PJ fala em "coincidência" com empréstimo aos filhos

Francisco Moita Flores, antigo inspector da Polícia Judiciária e ex-presidente da Câmara de Santarém, está a ser investigado por suspeitas de corrupção. Há transferências de dinheiro de uma construtora para empresas a que esteve ligado …

SOS Animal vai constituir-se assistente no processo contra João Moura

A SOS Animal anunciou, esta sexta-feira, que se vai constituir assistente no processo criminal contra o cavaleiro tauromáquico detido, na quarta-feira, por suspeitas de maus-tratos a cães em Monforte, no distrito de Portalegre. Em comunicado, a SOS …

SMS de Rangel revelam teia de corrupção na Relação de Lisboa. Juiz Vaz das Neves tem empresa contra a lei

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, Luís Vaz das Neves, que foi constituído arguido na Operação Lex, tem uma empresa que se dedica à arbitragem extrajudicial de conflitos, o que constitui uma violação …

Presidente da PwC esteve em Lisboa para controlar danos do Luanda Leaks

O presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC) esteve em Lisboa, há duas semanas, para controlar os danos provocados pelo caso Luanda Leaks. Bob Moritz, presidente mundial da PricewaterhouseCoopers (PwC), esteve em Lisboa, há duas semanas, para perceber até …

CM Lisboa vai negociar avenças em parques para moradores da envolvente da Baixa

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou, esta sexta-feira, que a autarquia irá tentar acordar com os operadores dos parques de estacionamento da envolvente da Zona de Emissões Reduzidas da Baixa-Chiado a criação de "avenças …

Caso Marega. PGR tinha brigada anti-racismo no jogo de Guimarães

A equipa do Ministério Público estava de serviço, no jogo entre V. Guimarães e FC Porto, quando o jogador maliano decidiu abandonar o campo na sequência de cânticos racistas. De acordo com o semanário Expresso, a …

Cientistas descobriram o que comiam os primeiros australianos

Uma equipa de arqueólogos e anciões aborígines encontraram sobras carbonizadas de há 65 mil anos, que estão a mostrar o que comiam as primeiras pessoas a viver na Austrália. Os investigadores e anciões aborígines locais recuperaram recentemente …