Irão insiste no direito de exportar petróleo e critica EUA e Reino Unido

chathamhouse / Flickr

Abbas Araghchi, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão

O Irão insistiu este domingo no direito, estipulado no acordo nuclear de 2015 e numa resolução do Conselho de Segurança da ONU, de exportar petróleo e acusou Estados Unidos e Reino Unido de estarem a atuar contra esses acordos.

Representantes do Irão e de cinco países (França, Reino Unido, Alemanha, Rússia e China), que continuam comprometidos com o acordo nuclear designado como Plano de Ação Conjunta Global (JCPOA), realizaram este domingo em Viena uma reunião extraordinária para conseguir salvar o pacto, do qual os Estados Unidos se retiraram.

“Qualquer obstáculo à forma como o Irão exporta o seu petróleo vai contra o JCPOA”, sublinhou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Abbas Araghchi, depois da reunião.

O diplomata referiu-se expressamente ao petroleiro iraniano Grace 1, apresado no início de julho pelas autoridades britânicas ao largo de Gibraltar, afirmando que contribuiu para agravar a tensão que já existia no Golfo Pérsico. Durante a manhã, o negociador iraniano já tinha acusado o Reino Unido de violar o acordo por reter o navio.

“O que os Estados Unidos estão a fazer — impedir exportações de petróleo a partir do Irão”, é uma violação da resolução do Conselho de Segurança”, afirmou o responsável iraniano em referência à resolução 2231 do órgão da ONU, adotada após o acordo nuclear.

Teerão considera vital manter a capacidade de exportação de petróleo, o principal benefício que conseguiu com o acordo, alcançado há quatro anos em troca do enquadramento das suas atividades nucleares.

Araghchi já tinha afirmado este domingo em declarações à televisão iraniana que os Estados-membros não devem colocar “qualquer obstáculo” às exportações iranianas de petróleo se querem salvar o acordo, destinado a garantir que o programa nuclear de Teerão tem fins pacíficos.

Em maio de 2018, Washington anunciou a retirada unilateral do acordo negociado pela administração Obama e o restabelecimento das sanções que têm devastado a economia iraniana, sem que os signatários que se mantiveram no acordo tenham conseguido ajudar Teerão a contornar esses obstáculos.

Um ano após o anúncio da decisão norte-americana, o Irão declarou que não se sentia obrigado a continuar a respeitar dois dos seus compromissos no pacto, os limites das reservas de urânio pouco enriquecido e de água pesada, e já este mês disse que deixaria de respeitar as restrições sobre o grau de enriquecimento de urânio, que o pacto limita a 3,67%.

Segundo Araghchi, “os participantes que continuam no JCPOA continuam determinados em salvar este acordo que representa um grande sucesso diplomático” e as conversações, a nível de diretores políticos, decorreram numa atmosfera “construtiva”.

Apesar da tensão, as negociações decorreram em “bom ambiente”, confirmou o representante chinês, Fu Cong.

As várias partes querem agora realizar uma reunião a nível ministerial para conseguir avanços, mas isso “ainda necessita de preparação”, referiu Araghchi.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Não acredito que cumpra as nossas leis". Trump diz que voto por correspondência é "inapropriado"

O Presidente dos Estados Unidos (EUA) disse que é "inapropriado" os estados levarem vários dias a contar os votos por correspondência, defendendo que o vencedor deve ser declarado na noite das eleições. "Seria muito, muito apropriado …

Reservas de sangue O+ e A+ com níveis críticos. Federação apela à dádiva

A Federação Portuguesa de Dadores Benévolos de Sangue (FEPODABES) alertou, esta terça-feira, que as reservas nacionais estão com níveis críticos dos tipos O+ e A+, apelando aos portugueses para darem sangue. Em comunicado, a FEPODABES refere …

Madeira quer visitantes infetados a ajudar nas despesas da estadia. "É aquilo que é justo"

O presidente do Governo madeirense anunciou esta terça-feira que decorrem diligências para encontrar mais uma unidade hoteleira para acolher doentes com covid-19, defendendo que os visitantes infetados devem ajudar a custear as despesas da sua …

Filhos de pais separados não podem circular entre concelhos no fim-de-semana

Os filhos de pais separados não poderão deslocar-se entre concelhos para efetuar trocas de residência entre os progenitores entre 30 de outubro a 3 de novembro, o próximo fim-de-semana que abrange o Dia de Todos …

Receita fiscal cai 2.822,7 milhões arrastada pela quebra do IVA e IRC

A receita fiscal do subsetor Estado registou uma redução de 2.822,7 milhões de euros até setembro, recuando 8,3% face ao mesmo período de 2019, refletindo os efeitos da pandemia, segundo a Síntese de Execução Orçamental. “No …

Novo Banco põe à venda carteiras de malparado (e têm nomes de jogadores de râguebi)

Depois de ter cancelado o projeto “Nata 3”, com crédito malparado no valor de 1,2 mil milhões de euros, o Novo Banco prepara agora a venda de carteiras de dimensões mais reduzidas. A revelação foi feita …

"Racismo cultural". Com França e Turquia em rota de colisão, Charlie Hebdo publica caricatura de Erdogan

Numa altura em que França e Turquia estão em rota de colisão, a publicação satírica Charlie Hebdo colocou o presidente turco Recep Tayyip Erdogan na capa a levantar as vestes de uma mulher. De acordo com …

Rui Pinto responde a Júdice: "Lidou durante décadas com ladrões e nunca se queixou"

O pirata informático respondeu, esta terça-feira, através do Twitter, às críticas do antigo sócio fundador da sociedade de advogados PLMJ que, em tribunal, lhe chamou "ladrão". Esta terça-feira, na 17.ª sessão do julgamento sobre o processo …

Leopoldo López admite que nunca quis fugir (e promete regressar para "libertar" a Venezuela)

O líder da oposição venezuelana Leopoldo López disse esta terça-feira, em Madrid, na primeira conferência de imprensa depois de ter saído do seu país, que nunca o quis deixar e que a intenção é "regressar …

É "tempo de unidade". Ex-ministro da Saúde apela a Marta Temido para deixar "retórica ideológica"

O ex-ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes afirmou esta terça-feira que é "tempo de unidade no país" e é preciso "falar verdade" quanto à pandemia da covid-19, considerando que um novo confinamento generalizado "seria devastador". Adalberto …