Irão insiste no direito de exportar petróleo e critica EUA e Reino Unido

chathamhouse / Flickr

Abbas Araghchi, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão

O Irão insistiu este domingo no direito, estipulado no acordo nuclear de 2015 e numa resolução do Conselho de Segurança da ONU, de exportar petróleo e acusou Estados Unidos e Reino Unido de estarem a atuar contra esses acordos.

Representantes do Irão e de cinco países (França, Reino Unido, Alemanha, Rússia e China), que continuam comprometidos com o acordo nuclear designado como Plano de Ação Conjunta Global (JCPOA), realizaram este domingo em Viena uma reunião extraordinária para conseguir salvar o pacto, do qual os Estados Unidos se retiraram.

“Qualquer obstáculo à forma como o Irão exporta o seu petróleo vai contra o JCPOA”, sublinhou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Abbas Araghchi, depois da reunião.

O diplomata referiu-se expressamente ao petroleiro iraniano Grace 1, apresado no início de julho pelas autoridades britânicas ao largo de Gibraltar, afirmando que contribuiu para agravar a tensão que já existia no Golfo Pérsico. Durante a manhã, o negociador iraniano já tinha acusado o Reino Unido de violar o acordo por reter o navio.

“O que os Estados Unidos estão a fazer — impedir exportações de petróleo a partir do Irão”, é uma violação da resolução do Conselho de Segurança”, afirmou o responsável iraniano em referência à resolução 2231 do órgão da ONU, adotada após o acordo nuclear.

Teerão considera vital manter a capacidade de exportação de petróleo, o principal benefício que conseguiu com o acordo, alcançado há quatro anos em troca do enquadramento das suas atividades nucleares.

Araghchi já tinha afirmado este domingo em declarações à televisão iraniana que os Estados-membros não devem colocar “qualquer obstáculo” às exportações iranianas de petróleo se querem salvar o acordo, destinado a garantir que o programa nuclear de Teerão tem fins pacíficos.

Em maio de 2018, Washington anunciou a retirada unilateral do acordo negociado pela administração Obama e o restabelecimento das sanções que têm devastado a economia iraniana, sem que os signatários que se mantiveram no acordo tenham conseguido ajudar Teerão a contornar esses obstáculos.

Um ano após o anúncio da decisão norte-americana, o Irão declarou que não se sentia obrigado a continuar a respeitar dois dos seus compromissos no pacto, os limites das reservas de urânio pouco enriquecido e de água pesada, e já este mês disse que deixaria de respeitar as restrições sobre o grau de enriquecimento de urânio, que o pacto limita a 3,67%.

Segundo Araghchi, “os participantes que continuam no JCPOA continuam determinados em salvar este acordo que representa um grande sucesso diplomático” e as conversações, a nível de diretores políticos, decorreram numa atmosfera “construtiva”.

Apesar da tensão, as negociações decorreram em “bom ambiente”, confirmou o representante chinês, Fu Cong.

As várias partes querem agora realizar uma reunião a nível ministerial para conseguir avanços, mas isso “ainda necessita de preparação”, referiu Araghchi.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pandemia de covid-19 alimenta corrupção na América Latina

A propagação da Covid-19 na América Latina está a alimentar a corrupção nos vários países que a integram, que vai desde a inflação dos preços a situações de aproveitamento económico e de ligações entre políticos …

Mais de 500 católicos portugueses contra proibição de comunhão na boca

Mais de 500 católicos portugueses, entre leigos e sacerdotes, apelaram à Conferência Episcopal Portuguesa para revogar a proibição de os fiéis receberem a comunhão na boca, por causa da pandemia de covid-19, informou na quarta-feira …

Adeptos recusam devolução dos bilhetes. Bayern distribui dinheiro por clubes amadores

Os adeptos do Bayern renunciaram ao direito de serem reembolsados pelos bilhetes comprados para os jogos até ao final da temporada. O clube decidiu distribuir o dinheiro pelos emblemas amadores da região da Baviera. Tal como …

Trabalhadores acusam TAP de pagar abaixo do salário mínimo a tripulantes em lay-off

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) acusou hoje a TAP de não estar a pagar o previsto na lei do ‘lay-off’, indicando vários casos em que a remuneração é inferior …

Tesla baixa preço de quase todos os modelos nos Estados Unidos

A empresa de carros elétricos Tesla baixou o preço dos Modelos 3, S e X no mercado norte-americano, visando estimular as vendas que estão em declínio durante a pandemia, avança a agência Reuters. O semanário …

Assessor de Boris cometeu infração ao confinamento, conclui polícia

A polícia britânica concluiu que Dominic Cummings, assessor do primeiro-ministro, Boris Johnson, cometeu uma violação "menor" das regras de confinamento introduzidas para combater o novo coronavírus, mas não pretende abrir um processo. Cummings admitiu ter conduzido …

Infarmed suspende hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19

O Infarmed suspendeu o uso de hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19. Para além da OMS, outros países já tomaram a mesma decisão que Portugal. A decisão vem no mesmo sentido da Organização Mundial de …

PCP mantém festa do Avante! e pede calma às "almas mais inquietas"

O secretário-geral do PCP admitiu hoje que “não seria um drama”, devido à pandemia de covid-19, cancelar a festa do Avante, e garantiu que não é por dinheiro que os comunistas estão empenhados em realizá-la …

Futebol inglês aponta regresso para dia 17 de junho

A Liga inglesa de futebol, suspensa desde 13 de março devido à pandemia da covid-19, vai regressar em 17 de junho, com a realização de dois encontros em atraso, de acordo com BBC e Sky …

Estado investe 2.000 milhões na ferrovia, mas comboios vão circular à mesma velocidade

O investimento da Infraestruturas de Portugal deverá rondar os 2.000 milhões de euros, mas este montante servirá quase exclusivamente para eletrificação de linhas e substituição de sinalização. De acordo com a edição desta quinta-feira do jornal …