Inspirados na chita, cientistas desenvolvem o robô macio mais rápido de sempre

Quando pensamos em robôs macios, tendemos a imaginar dispositivos que se movem muito lentamente. O mais recente robô deste tipo é capaz de desafiar a nossa própria imaginação, movendo-se muito mais rapidamente do que os já existentes.

Totalmente inspirada pela biomecânica das chitas, o animal mais rápido do mundo, uma equipa de cientistas desenvolveu um novo robô macio capaz de se mover mais rapidamente, em superfícies sólidas ou na água, do que as gerações anteriores deste tipo de máquina autónoma. Além disso, adianta o portal EurekAlert, este robô consegue agarrar objetos gentilmente e levantar objetos pesados.

“Fomos inspirados pelas chitas a criar um tipo de robô macio que possui uma coluna biestável“, o que significa que o robô possui dois estados estáveis, explicou Jie Yin, da Universidade Estatal da Carolina do Norte e um dos autores do artigo científico, recentemente publicado na Science Advances.

Os cientistas conseguem alternar entre estes dois estados bombeando ar para os canais que revestem o robô de silicone. A troca entre os dois estados liberta uma quantidade significativa de energia “que permite que o robô exerça rapidamente uma força contra o solo, galopando pela superfície”.

Os robôs macios já existentes rastejam no solo como se fossem minhocas, o que limita a sua velocidade. Até agora, os robôs macios mais rápidos moviam-se a 0,8 comprimentos de corpo por segundo, em superfícies planas e sólidas.

Agora, a nova classe de robôs flexíveis, chamada LEAP, consegue atingir velocidades de até 2,7 comprimentos de corpo por segundo, ou seja, três vezes mais rápida do que a geração anterior, a uma frequência de atuação baixa de cerca de 3Hz. Estes robôs “galopantes” têm, aproximadamente, sete centímetros de comprimento e pesam cerca de 45 gramas.

A equipa demonstrou ainda que o design do LEAP poderia melhorar a velocidade de natação dos robôs macios: nos testes, um robô LEAP conseguiu nadar a uma velocidade de 0,78 comprimentos de corpo por segundo, em comparação com 0,7 comprimentos de corpo por segundo no robô de natação anterior.

O trabalho em equipa foi outro detalhe importante da investigação. Os cientistas demonstraram que, juntos, vários robôs flexíveis conseguiam levantar objetos delicados ou com um peso igual ou superior a 10kg, como se fossem uma pinça.

“As potenciais aplicações destes robôs incluem tecnologias de busca e resgate, onde a velocidade é essencial, e a robótica de fabricação industrial”, remata Yin.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Metro de Nova Iorque pede à Apple para melhorar sistema de reconhecimento facial

A autoridade que gere o metro de Nova Iorque, nos Estados Unidos, pediu à gigante tecnológica Apple para melhorar o reconhecimento facial dos seus dispositivos depois de serem observados vários passageiros a retirar a máscara …

Rival da Tesla diz que o seu carro terá uma autonomia de 832 quilómetros

A empresa Lucid Motors, concorrente direta da Tesla no mercado automóvel elétrico, afirma que o seu carro Air terá uma autonomia de 832 quilómetros. A confirmar-se a autonomia deste carro, o automóvel da Lucid Motors ultrapassará …

Moradores das Maurícias estão a cortar o próprio cabelo para ajudar a evitar um desastre ambiental

Moradores das Maurícias estão a cortar o seu próprio cabelo para para tentar minimizar os danos causados pelo derrame de petróleo de um navio janponês encalhado nos recifes de coral ao largo da ilha. Estima-se que …

Atalanta 1-2 PSG | Reviravolta épica vale bilhete para as “meias”

Um final impróprio para cardíacos e o epílogo perfeito num excelente jogo. O PSG esteve a perder desde o minuto 27, mas em apenas três minutos dos descontos deu a volta ao texto diante da …

Um emblemático transplante nos EUA aconteceu graças a um coração "roubado"

Um dos primeiros transplantes de coração realizados no mundo aconteceu no Estados Unidos. O que muitos não sabem é que este caso de sucesso também deu aso ao primeiro processo civil no país por homicídio …

"Pandemia de sem-abrigo" nos EUA. Há 30 milhões de pessoas sob risco de despejo

Nos Estados Unidos da América avizinha-se uma "pandemia de sem-abrigo". Até ao final de setembro, 30 milhões de norte-americanos estão em risco de despejo devido à covid-19. Nos Estados Unidos, a pandemia de covid-19 pode estar …

Tráfego nas autoestradas cai para quase metade. Foi o pior trimestre de sempre

A rede da Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Autoestradas ou Pontes com Portagens (APCAP) registou de abril a junho "o pior trimestre de circulação e tráfego médio desde que há registos", recuando 46% devido …

Bielorrússia cortou acesso à internet e tentou fazer com que parecesse um acidente

No seguimento da reeleição de Alexandr Lukashenko na Bielorrússia, multiplicam-se os apagões de internet. O Governo diz que se trata de um ataque cibernético, mas há suspeitas de que seja um plano do presidente. Os protestos …

Resgatados 28 cães sem registo ou vacinas de barracões onde também vivia a proprietária em Lisboa

Vinte e oito cães foram retirados pela PSP terça-feira de barracões em Lisboa onde também vivia a proprietária, avança a agência Lusa, detalhando que os animais serão depois colocados para adoção.  Os animais foram posteriormente recolhidos …

Pela primeira vez em 300 anos, é possível visitar esta ilha em Cabo Cod

Pela primeira vez em 300 anos, uma ilha ao largo da costa de Cabo Cod, península em forma de gancho no estado norte-americano de Massachusetts, está aberta ao público. A Ilha Sipson é propriedade privada desde …