/

Com direito a uma moção sobre ananás na pizza, IL apresenta o Plano B para Lisboa

2

Miguel A. Lopes / Lusa

Bruno Horta Soares é a escolha para o Plano B da Iniciativa Liberal para a Câmara Municipal de Lisboa. O candidato foi apresentado à porta fechada e até houve direito a uma moção sobre ananás na pizza.

A Câmara Municipal de Lisboa tem sido um problema para a Iniciativa Liberal (L). O nome de Bruno Horta Soares surge depois de o primeiro candidato apresentado pela Iniciativa Liberal, Miguel Quintas, ter sido afastado depois de apenas três dias, alegando estar em causa a privacidade dos filhos.

Numa curta declaração, vem confirmar que esteve em causa uma questão pessoal, especificando que a privacidade dos filhos não estaria protegida se continuasse na corrida autárquica e isso “vale mais do que qualquer política”.

O núcleo de Lisboa da Iniciativa Liberal reuniu-se e aprovou o nome de Bruno Horta Soares, candidato que foi apresentado à porta fechada. O Conselho Nacional reuniu este sábado, mas o programa e a lista de Bruno Horta Soares ainda não foram aprovados por não estarem totalmente completos, sabe o Observador.

Houve ainda espaço para vozes do partido que defendiam que o apoio a Carlos Moedas seria a melhor opção.

No entanto, a ordem de trabalhos começou por uma moção sobre ingredientes na pizza, naquele que é um longo e velho debate: Ananás na pizza. Sim ou não?

A brincadeira prende-se com o facto de a IL estar a ganhar espaço na comunicação social. A quantidade de notícias, fontes e “fugas de informação” levaram os liberais a brincar com a situação para se perceber se tudo chega aos media.

O Porto continua a ser uma incógnita para os liberais. O presidente da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, assume que a Câmara do Porto é uma das “exceções previsíveis à regra” das candidaturas próprias nas autárquicas e revela que tem havido contactos com o movimento de Rui Moreira.

Confrontado com a possibilidade de vir a ser o candidato da Iniciativa Liberal no Porto, o ex-candidato presidencial Tiago Mayan Gonçalves não exclui essa hipótese.

Apesar das conversas que houve entre a Iniciativa Liberal e Carlos Moedas, Mayan Gonçalves explicou, em entrevista ao Vichyssoise, da Rádio Observador, que não resultaram “provavelmente porque o pendor liberal que exigimos e queremos não pôde ser incorporado”.

No Porto, confirmou que um eventual apoio a Rui Moreira “não está fora de ponderação”, embora não haja decisões tomadas.

Miguel Barros, engenheiro de 52 anos, é o candidato escolhido pelo Núcleo Territorial de Cascais da Iniciativa Liberal para concorrer à presidência do município do distrito de Lisboa, nas próximas eleições autárquicas. Além de Miguel Barros, que é proposto como cabeça de lista, é indicada também a gestora Joana Matias, de 43 anos, como número dois.

Para Setúbal, o Observador adianta que está fechado um independente, apesar de ainda não haver nomes confirmados.

  Daniel Costa, ZAP //

2 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.