/

Três dias e uma polémica depois, Quintas desiste da candidatura a Lisboa pelo Iniciativa Liberal

5

Três dias depois de ter sido apresentado como o candidato da Iniciativa Liberal à Câmara de Lisboa, o empresário Miguel Quintas desistiu da corrida alegando “motivos pessoais”. Decisão que surge após uma polémica com a TAP.

Foi uma candidatura efémera que durou somente três dias. Miguel Quintas desiste de concorrer à Câmara de Lisboa pelo Iniciativa LiberaL (IL) devido a “motivos pessoais”, conforme avançam o Público e o Observador.

O partido está, agora, à procura de um novo candidato, uma vez que continua a colocar de parte dar o seu apoio à candidatura de Carlos Moedas do PSD.

A número 2 da lista de Quintas, Ana Pedrosa Augusto, ex-vice-presidente do Aliança, não deverá ser a candidata escolhida.

Esta desistência de Quintas acontece pouco tempo depois de se ter visto envolvido numa polémica com a TAP, após a divulgação de um artigo da revista Ambitur, datado de 2020.

Nesse artigo, Quintas defende que “pensar numa nacionalização [da TAP] não é de todo descabido”, reforçando que “poderá ser uma excelente opção para o desígnio nacional” de uma empresa que define como “especial” na economia Portuguesa e em particular no sector do turismo”.

Note-se que o Iniciativa Liberal defende a privatização da TAP.

A desistência pode não estar relacionada com esta polémica, mas, para já, não se conhecem os motivos concretos.

Quintas veio esclarecer que a posição sobre a TAP foi apenas “um título” que não espelhava a “plenitude” da sua “visão”.

“A TAP é um buraco descomunal a caminho de mais de 4 mil milhões de euros e ainda nem se viu o [seu] fundo”, afiança ainda o já ex-candidato numa publicação no Facebook, realçando, contudo, que o “maior problema” é “o Governo continuar a insistir no mesmo caminho, sabendo que tal percurso apenas resultará numa ainda maior erosão da riqueza nacional”.

Não é economicamente responsável meter mais dinheiro da TAP“, “nem justo para as demais empresas da nossa economia”, escreve ainda Quintas.

O candidato presidencial do Iniciativa Liberal, Tiago Mayan Gonçalves, já reagiu, considerando que a desistência de Quintas é “um sério revés em Lisboa”. “Eu sou um exemplo de quão rápidas podem ser as curvas de aprendizagem na IL”, aponta contudo.

  Susana Valente, ZAP //

5 Comments

  1. Que coerência tem esta gente? Se em 2020, como diz a notícia, defendia a nacionalização da TAP, e que isso seria ” uma excelente opção para o desígnio nacional”, como é que uns meses depois vem defender o contrário? Claro que há uns meses atrás ninguém lhe tinha soprado ao ouvido que podia vir a ser candidato à CM Lisboa…Por aqui se vê que a qualidade da gente que campeia pelo mundo da política. Defendem hoje uma coisa e amanhã o seu contrário. Claro que todos podemos mudar de opinião ao longo dos tempos. Mas, em poucos meses, mudar radicalmente de opinião numa matéria desta relevância… Dá que pensar! Foi apanhado na contradição e só lhe restou invocar motivos pessoais para desistir.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.