Há 20 anos, o “TGV morreu da crise”, mas “agora, em princípio, há dinheiro”

rtppt / Flickr

João Cravinho, ex-ministro das Obras Públicas

A ligação de alta velocidade entre Porto e Lisboa anunciada, nesta semana, pelo Governo de António Costa, surgiu como um projecto para o país há 20 anos, durante o Executivo de António Guterres, mas “morreu da crise” no tempo de José Sócrates. É o mentor da ideia, João Cravinho, quem o conta.

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, anunciou a aposta numa ligação ferroviária de alta velocidade entre Lisboa e Porto como um dos grandes investimentos do Governo na ferrovia para os próximos anos.

Há 20 anos, João Cravinho, então ministro do Planeamento no Governo de António Guterres, fazia o mesmo anúncio, falando no “TGV” entre Porto e Lisboa.

O projecto que nasceu como ideia em 1999 acabou por não avançar e Nuno Santos assume que é preciso “saber fazer, enquanto país, uma autocrítica“.

“Em 1999 chegámos aquela que era a melhor solução para aproximarmos as principais cidades do país, para encurtarmos a distância e tempo dentro do nosso território”, salienta o ministro, salientando que é preciso fazer uma “homenagem” a João Cravinho porque o Governo actual não está “a inventar nada”.

“O Engenheiro João Cravinho já tinha chegado a isto. Infelizmente perdemos tempo“, salienta ainda Pedro Nuno Santos.

“Desta vez não há recuo”

Em declarações ao Eco, o antigo ministro de Guterres refere que a ideia para o TGV entre Porto e Lisboa lhe surgiu em 1995, quando entrou no Governo, numa altura em que “havia a Rede Europeia de Transportes que no caso português previa só uma ligação via rápida, de autoestrada, entre Lisboa e Valladolid”.

“Pareceu-me que estávamos muito mal colocados, e que era fundamental alterar a Rede Europeia de Transportes de forma a valorizar a costa atlântica, criando uma rede multimodal, com várias modalidades de transportes (rodoviário, aéreo, marítimo e ferroviário)”, destaca ainda Cravinho.

O Governo português reuniu-se então com o homólogo espanhol e juntos pressionaram a União Europeia a alterar a Rede Europeia de Transportes para “contemplar uma ligação TGV Lisboa-Porto, Lisboa-Madrid e Porto-Madrid“, como relata Cravinho ao Eco.

Após a saída de Cravinho do Governo, “já estavam todos os estudos feitos para o TGV e para o aeroporto da Ota“, uma obra que era vista como fundamental para substituir a Portela, refere ainda o ex-ministro.

Ora, a Ota não avançou, muito por culpa de “interesses imobiliários”, seguindo Cravinho, que destaca que, nessa altura, “começaram-se a fazer coisas soltas e não ligadas”. “O país não percebia a ligação profunda entre as diferentes peças”, sublinha.

“O TGV iria ligar Lisboa e Porto, mas não se sabia como ia ligar a Alcochete. Na altura as duas peças não encaixavam“, acrescenta.

Já com José Sócrates no Governo e depois de ter sido lançado o primeiro concurso para o TGV entre Poceirão e Caia, “o TGV morre da crise”, conclui o antigo ministro.

Mas, “agora, em princípio, há dinheiro”, sublinha Cravinho referindo-se à “bazuca” europeia que vai fazer chegar a Portugal milhões de euros, nos próximos anos, no âmbito do Plano de Recuperação por causa da pandemia.

“Desta vez não há recuo”, acredita Cravinho que não entende “que se tenha levado tanto tempo a perceber que Lisboa-Porto é fundamental”.

“Não temos propensão para organizar e para pensar o que será estrategicamente o país daqui a 10 ou 20 anos”, constata ainda.

“O tempo das autoestradas terminou”

Pedro Nuno Santos realça, por seu lado, que “o tempo das autoestradas terminou” e que a alta velocidade Porto-Lisboa “é uma revolução na forma como o país se relaciona”.

Trata-se de uma “linha cara e altamente dispendiosa, mas que tem um contributo relevante” para o país, sustenta.

O Estado prevê investir mais de dez mil milhões de euros na ferrovia até 2030 e o ministro das Infraestruturas destaca “a importância da ferrovia para um país como o nosso”.

“A ferrovia é hoje uma prioridade europeia, mas em Portugal não temos o melhor histórico”, assume ainda.

“Durante décadas achou-se que a ferrovia era passado. Mas o que torna mais estranha esta falta de aposta nacional são as mais-valias que a ferrovia pode dar“, sublinha também Pedro Nuno Santos, recordando que “a substituição do automóvel permitirá ao país ficar menos dependente das importações”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Outra vez o TGV? E porque não modernizar as linhas existentes e electrificar as que não são electrificadas? Já estou a ver a guerra dos Autarcas como foi no tempo do Sócrates de má memoria, em que até o senhor Fernando Ruas queria uma estação em Viseu Ribau Esteves queria uma estação em Aveiro na altura dizia eu os autarcas não querem um TGV querem um comboio do Katanga com paragem em todas as estações e apeadeiro, Portugal não tem distancia para ter um TGV quando ele fosse a ganhar velocidade Cruzeiro tinha que para porque já estava em cima de uma estação, modernizem os comboios poupam muito dinheiro aos contribuintes, ou será que há clientelas políticas à espera para meter uns largos milhares de euros no bolso?

  2. Crise há 20 anos? Qual crise? Quando o Guterres deixou o país no pântano? Maior crise foi no fim do reinado do 44 quando ele foi chamar a troika. Alguém acredita nessa gente??

RESPONDER

Os polegares dos neandertais adaptaram-se a ferramentas com pega

Os polegares dos neandertais adaptaram-se para segurar melhor ferramentas com pega, da mesma forma como utilizamos atualmente um martelo, revela uma nova investigação da Universidade de Kent, no Reino Unido. A mesma investigação sugere ainda …

Sporting 2-1 Moreirense | JackPote rende pontos ao “leão”

O “Leão” soma e segue na liderança do campeonato, depois de vencer o Moreirense por 2-1, graças a um bis Pedro Gonçalves. Neste sábado, na recepção ao Moreirense, num embate relativo à oitava jornada, sofreu, mas conseguiu …

Raro crustáceo parasita descoberto na boca de um tubarão em exibição num museu

Uma equipa de cientistas descobriu uma espécie extremamente rara de Cymothoidae na boca de um espécime de tubarão capturado no Mar da China Oriental e agora em exibição num museu. Os Cymothoidae são uma família de isópodes …

Série da Netflix faz disparar venda de jogos de xadrez nos Estados Unidos

A série "The Queen’s Gambit", da plataforma de streaming Netflix, que retrata a ascensão de uma jovem jogadora de xadrez na década de 1950, fez disparar as vendas deste jogo de tabuleiro nos Estados Unidos. …

Novo comité central do PCP eleito com 98,5%

O novo comité central do PCP foi este domingo eleito no XXI congresso nacional dos comunistas, em Loures, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 602 votaram a favor, seis abstiveram-se e três votaram contra na …

Elefante salvo de um poço profundo na Índia. Resgate durou 14 horas

Uma equipa de 50 pessoas ajudou a salvar um elefante que tinha caído num poço profundo em Dharmapuri, no sul da Índia. Moradores locais atiraram folhas de bananeira para o animal comer antes de ser …

Santa Clara 0-1 Porto | Magia de Díaz resolve jogo pobre

Missão cumprida. O Porto viajou até aos Açores para defrontar o Santa Clara e leva na bagagem os três pontos. Mas não o conseguiu com brilhantismo, longe disso. A eficácia foi a palavra de ordem, num …

Raro pinguim totalmente branco encontrado nas Ilhas Galápagos

Um raro pinguim com o corpo totalmente "pintado" de branco foi encontrado no arquipélago das Galápagos, no Equador. Em comunicado, o Parque Nacional das Galápagos detalha que o raro espécime foi encontrado enquanto um guia fazia …

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. Há uma razão

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. As cidades populosas, as vias não adaptadas, as poucas escolas de treino e a própria população são entraves à existência destes companheiros (e verdadeiros …

Governo das Ilhas Salomão quer banir o Facebook para preservar a União Nacional

O Governo das lhas Salomão quer banir temporariamente a rede social Facebook numa tentativa de combater o cyberbullying e a difamação, alegando que a plataforma está a "minar" a União Nacional. A decisão, que já …