“Preocupado”, Rui Rio diz que Governo “veio tarde” para o regresso às aulas

Hugo Delgado / Lusa

Esta segunda-feira, o líder da oposição vincou que o Governo “veio tarde” na preparação das normas para o arranque do novo ano letivo.

Durante uma visita à Escola Secundária Afonso Sanches, em Vila do Conde, Rui Rio elogiou as medidas sanitárias e de segurança adotadas pelo estabelecimento de ensino. “O que a escola fez, e bem, foi antecipar-se ao Governo. Fez as suas normas que agora serão ajustadas”, disse, afirmando que “é evidente que o Governo se atrasou, veio tarde” na preparação do ano letivo.

“Se houve escolas que ficaram à espera do Governo e não começaram a trabalhar a tempo e horas, naturalmente agora não estão em condições, porque o Governo fez isto muito tarde”, acrescentou, citado pelo Expresso.

Não sei se estamos a tempo de abrir o novo ano letivo em todas as escolas, mas aquelas que se precaveram, como foi o caso desta, estão em condições. Espero que a maior parte dos agrupamentos se tenham antecipado ao Governo”, rematou o social-democrata.

O presidente do PSD mostrou-se também “preocupado” com a questão do transporte dos alunos para as escolas, pedindo ao Governo medidas para mitigar possíveis contágios de covid-19 nessas deslocações.

“Penso que o Governo devia acionar mecanismos com as autarquias, para encontrar formas de transportar as crianças em segurança, pois nos transportes públicos normais é mais perigoso. A escola pode organizar-se o melhor que sabe, mas depois tudo pode ‘estragar-se’ na questão dos transportes”, disse.

Na visita a esta escola vila-condense, o presidente do PSD vincou ainda a necessidade de um “equilíbrio nos números do pessoal auxiliar”, mostrou preocupação com “a faixa etária elevada do corpo docente” e notou a “falta de computadores”.

“Depois da promessa do primeiro ministro, de que haveria computadores suficientes, vejo que isso não acontece. Vai dificultar o trabalho das crianças que, por qualquer razão, tenham de assistir às aulas em casa”, partilhou o responsável do PSD.

Sobre as medidas que vão ser aplicadas pelo Governo para o estado de contingência, que vigora a partir de 15 de setembro, Rui Rio disse esperar que “sejam conhecidas depressa”, mas admitiu que possam ser ajustadas “uma ou duas semanas depois”.

“Devemos apertar as medidas dentro do que país suporta, porque voltar ao que fizemos, e bem, em março e abril [com o confinamento], Portugal e a sua economia não vai aguentar. Parar o país e pôr as pessoas em casa não será possível. Temos de ter bom senso e sentido de interesse nacional”, disse o presidente do PSD.

Rui Rio disse ainda que o combate à pandemia de covid-19 só será vencido, em definitivo, “se 70% da população já tiver contraído o vírus ou quando uma vacina surgir”, lembrando que neste momento o país está a apenas a “atrasar a propagação”.

“Até chegar a vacina, temos de procurar que o vírus se propague o mais lentamente possível. Não vale a pena criarmos ilusões de que o vamos levar a zero. O que país está a fazer é compreensível até vir uma vacina eficaz”, disse Rui Rio.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pedrógão Grande. Testemunha afirma que Câmara a aconselhou a mudar a morada fiscal

A proprietária de uma segunda habitação reconstruída após o incêndio de 2017, em Pedrógão Grande, disse esta quinta-feira que alterou a sua morada fiscal a conselho de um "senhor Bruno", da Câmara Municipal. O julgamento das …

Corrida aos combustíveis. Ciberataque a oleoduto provoca pânico nos EUA

Quase dois terços dos postos de gasolina do sudeste dos Estados Unidos registam escassez de combustível, depois de um ciberataque à maior rede de oleodutos do país ter obrigado a suspender as operações desde sexta-feira. A …

Cecília Meireles sente "enorme tristeza" por ver CDS com 1% nas sondagens

A deputada centrista abordou vários temas numa entrevista, publicada esta quinta-feira, desde a queda do CDS nas sondagens ao seu lugar de deputada na Assembleia da República. Numa entrevista à rádio Renascença e ao jornal Público, …

"Chernobyl do século XXI." Pandemia de covid-19 poderia ter sido evitada, dizem especialistas

A pandemia de covid-19 podia ter sido evitada e o mundo deve aprender com os erros que não permitiram travar a disseminação do vírus, conclui um novo relatório, divulgado esta quarta-feira. A pandemia de covid-19 poderia …

"Estamos a ver a patologia da banca. Uma patologia triste", diz CEO do Novo Banco

O presidente executivo do Novo Banco, António Ramalho, tem visto, nos últimos tempos, grandes devedores da instituição financeira a explicarem-se na comissão de inquérito, classificando o que assiste como "triste". "Estamos a ver a patologia da …

Maduro aceita conversar com Guaidó sobre "acordo de salvação" da Venezuela

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou estar disposto a reunir-se quando a oposição quiser, um dia depois de o líder opositor Juan Guaidó propor um "acordo de salvação" da Venezuela, entre as "forças democráticas" e …

No Brasil, os "velhos" goleadores estão em destaque (e na Europa, ainda dão cartas)

Os goleadores de quase metade das equipas brasileiras que disputam a Copa Libertadores e a Sul-Americana têm mais de 30 anos. Aos olhos do futebol podem ser "velhos", mas preenchem o vazio dos jovens que …

Morreu Maria João Abreu. Atriz tinha 57 anos

Maria João Abreu morreu esta quinta-feira, após ter sofrido dois aneurismas. A atriz tinha apenas 57 anos. Maria João Abreu estava internada no Hospital Garcia de Orta, em Almada. A atriz, de 57 anos, foi submetida …

Um óbito e 436 novos casos registados nas últimas 24 horas

Esta quinta-feira, Portugal regista mais um óbito e 436 novos casos de infeção, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde, o país …

O "palheiro" de Vieira é agora um jardim (foi comprado pela Câmara de Vila Franca de Xira)

Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, já não é dono do "palheiro" que foi entregue como aval pessoal no âmbito de empréstimos concedidos pelo Novo Banco. O dirigente vendeu o imóvel à Câmara de Vila …